sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Serão os 7% uma característica nossa?

É proprio do Homem errar. É proprio do Português errar e pôr a culpa nos outros.
Muitos culpam os especuladores estrangeiros por a Dívida Pública Portuguesa estar a pagar 7%/ano. Mas somos nós os responsáveis pois essa taxa é característica da nossa personalidade colectiva.

Porque será que existe taxa de juro?
Faz parte da natureza animal considerar o presente mais importante que o futuro. Isto acontece porque se não se comer hoje, não chegamos a amanhã. Portanto, essa tendência está entranhada nos nossos genes e na nossa cultura.
A preferência pelo presente traduz-se numa taxa de juro: se eu tiver todos os dias 20€ de rendimento, existe uma taxa de juro que faz com que eu consuma exactamente 20€ por dia. Se a taxa de juro for menor, eu endivido-me para consumir mais no presente e menos no futuro. Se a taxa de juro for menor, eu empresto dinheiro consumindo menos no presente e mais no futuro.
A taxa de juro revela de forma quantitativa de que forma uma sociedade prefere o presente ao futuro: quanto mais elevada for, mais prefere o presente.
Em termos técnicos chama-se Taxa de Preferência Temporal ou Taxa de Desconto da Utilidade.

Porque na Alemanha a taxa de juro é menor que em Portugal?
Em termos culturais, existe uma correlação entre as horas de luz solar e a taxa de juro. As sociedades expostas a mais exposição solar preferem o presente enquanto que os que têm invernos longos, preferem o futuro.
Isto acontece porque no passado, havendo um longo período de inverno, apenas sobreviviam os que guardavam o máximo possível de alimentos durante o curto verão. A evolução levou a que ficasse entranhado nas sociedades do Norte uma taxa de preferência temporal pequena. Os do Sul, porque havia produção todo ano, podiam gastar tudo hoje que amanhã haveria sempre qualquer coisa.

Qual a implicação desta diferença cultural (que poderá ser genética)?
Tudo parece indicar que  a taxa de preferência temporal  dos alemães é 2%/ano enquanto que a taxa dos Portugueses é 7%/ano.
Estando os dois países separados, reina na Alemanha uma taxa de juro de 2%/ano e em Portugal de 7%/ano. Com a Zona Euro, as taxas de juro ficaram iguais em ambos os países e iguais à média. Sendo a Alemanha 12 vezes maior que Portugal, resultou uma taxa média de (12x2% + 7%)/3 = 2.385%/ano.

Com esta taxa, os alemães passaram a poupar e os portugueses a gastar. Não foi o Socrates nem o Guterres porque havia a Manuela e o Cavaco e os portugueses não os quiseram. Foram os Portugueses que, por terem uma taxa de preferência temporal de 7%/ano que escolheram governantes que gastassem muito.
E os Alemães também têm candidatos que prometem gastar muito, mas perdem as eleições.

Qual o futuro?
Agora atingimos o equilíbrio. E nunca mais vamos deixar de pagar 7% de taxa de juro. Nunca mais. Pagávamos antes de 1995 e vamos pagar depois de 2010. Foram 15 anos de regabofe.
Recordo que quando alguém se endivida, pode consumir mais no presente, mas vai consumir menos no futuro. E o futuro de Portugal começou no dia 1 de Janeiro de 2011.
É o dá em viver no Futuro.


Pedro Cosme da Costa Vieira

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code