terça-feira, 19 de abril de 2011

A bancarrota de Portugal – Teremos que sair da Zona Euro? Parte III

Portugal está falido. Tem um saldo negativo da balança corrente de 17MM€ e tem que passar para um saldo positivo de 8MM€. Isto representa uma diminuição por cada portugues de 200€/mês. Timor vai ajudar Portugal mas não vai ser suficiente.
Ver parte I
Ver Parte II


Timorense está gordo e vai ajudar Portugal a acabar com os mercados sanguinários
1. Santo Aleixo dos Mendigos está falida
Nos últimos 15 anos, Portugal teve um défice corrente de 10% do PIB. O governo, em vez de deixar a quantidade de moeda em circulação diminuir para a economia se equilibrar, endividou-se ao exterior e incentivou o os privados a endividarem-se.
Portugal actualmente deve 380MM€ e devem-lhe 170MM€ tendo uma situação líquida negativa de 210MM€. Para uma amortização em 50 anos da situação líquida terá que pagar (2%/ano de taxa de inflação e 1.5%/ano de crescimento):
     3%/ano -> 3.7MM€/ano -> 2.16% do PIB (Se fossemos como a Alemanha)
     5.5%/ano -> 6.6MM€/ano -> 3.85% do PIB (Condições do resgate da Irlanda)
     10%/ano -> 13.8MM€/ano -> 8.11% do PIB (Taxa que actualmente pagamos)
A situação é mais grave porque temos que pagar pelo que devemos uma taxa mais elevada que recebemos pelo que nos devem. Para um diferencial de 1 ponto percentual temos:
5.5%/ano + 1pp/ano -> 6.6MM€/ano + 1.7MM€/ano = 8.3MM€/ano -> 4.85% do PIB
Portugal tem que reduzir 15% no que gasta.
É uma redução na conta corrente de 25MM€/ano
     O estado tem que reduzir 12.5MM€
     Os privavos têm que reduzir 12.5MM€
Não temos povo nem governantes para que isto seja possível.

2. Santo Aleixo dos Mendigos entra em bancarrota
O governo já anunciou que está em rotura financeira não tendo dinheiro para amortizar a divida externa. O povo ainda tem esperança no resgate do FMI mas, com o aproximar da data sem avançar nenhum acordo, os agentes económicos entram em pânico.
Toda a gente vai tentar levantar os depósitos bancários e transferir os seus saldos para o exterior.
De um momento para o outro, esgota-se a liquidez: deixa de haver euros em circulação.
Não existe outro caminho ao governo que não seja emitir moeda não convertível.
Não existe outro caminho para Portugal que não seja sair da Zona Euro.
Acontece pá. Exilamo-nos na Arábia Saudita.

3. Que mal tem para a Zona Euro a saída de Portugal?
Quando uma família entra em bancarrota, fica sem dinheiro no bolso e os credores têm prejuízo. Mas não vem daí prejuízo nenhum para o sistema financeiro. Com Portugal passa-se o mesmo.
O Cambista é que controla o sistema monetário. Se quem falir dever muito dinheiro ao Cambista este pode entrar em dificuldades mas não é o caso (Portugal deve 50MM€).
O sistema monetário é como um lago onde vivem peixes. Quando um peixe sai do lago, o volume do lago sofre uma alteração muito pequena. Apenas se saísse uma baleia (a Alemanha) é que o sistema estremecia.
Sairmos da Zona Euro não terá qualquer efeito no Euro.
Não nos vale apenas ameaçar que, se sairmos do Euro, a Zona Euro vai à bancarrota porque os nossos parceiros europeus percebem mais de economia que os nosso governantes.
Ainda podíamos fazer um pouco de chantagem mas não funciona. dá o mesmo resultado que Timor anunciar que vai destruir os especuladores sanguinários que estão a sugar o sangue do amigo Portugal.
Agora já posso avançar para uma plano de ajustamento que resolva a gravíssima crise portuguesa.
Pedro Cosme Costa Vieira

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code