sábado, 2 de julho de 2011

Quanto irá o Estado Português PAGAR pelas privatizações?

A generalidade das pessoas pensa que o Estado vai receber dinheiro pela privatização das empresas públicas. Infelizmente, o Estado vai receber dezenas de milhares de milhões de euros negativos para se ver livre dessas empresas. Vejamos porquê.

Fig.1 - O Jardel não está falido. Contabilista disse que Jardel tem milhões em riqueza negativa.
Qual é o valor de uma empresa?

1. O valor contabilístico:
A contabilidade patrimonial regista todos os activos (dinheiro em caixa, máquinas, edifícios, stocks, dívidas de clientes, etc.) e todos os passivos (dívidas a bancos, a fornecedores, etc.). Subtraindo-se aos activos os passivos, temos o Valor Contabilístico, VC, da empresa.
Quando o VC é negativo, diz-se que a empresa está tecnicamente falida. A generalidade das empresas públicas está nesta situação.
O VC serve de pouco porque os gestores têm tendência a empolá-lo. Como os prémios dos gestores estão dependentes do VC e é difícil controlar a classificação das saídas de dinheiro, há uma pressão para classificar como activos (capital e existência) coisas que são custos. O caso mais famoso foi a ENRON mas está sempre a acontecer.
Por isso é que há as agências de rating e as auditoras.
Quando se descobre uma sobre-valorização dos activos, faz-se uma correcção: são as imparidades.
Fig.2 - Está registado no Benfica como um activo de 10milhões€: uma forte imparidade.
2. O valor económico:
O valor económico tem duas possibilidades: o valor de liquidação da empresa e o valor de continuar a actividade.
2.1. O valor de liquidação:
Se pegarmos em todos os activos da empresa (máquinas, edifícios, stocks, carros, etc.) e o vendermos, parte para a sucata, parte em segunda mão, parte para outras empresas ou particulares, e somarmos todo o dinheiro recuperável dos nosso devedores, obtemos o Activo da Empresa.
A empresa liquidando-se tem um passivo de liquidação pois tem que pagar todas as dívidas e encargos que tem mais as indemnizações aos trabalhadores.
Subtraindo o passivo de liquidação  do activo de liquidação, obtemos o Valor de Liquidação, VL, da Empresa.
2.1. O valor de continuação da actividade:
Num determinado ano, uma empresa tem como custos os produtos intermédios e matérias primas que gasta mais os salários, as rendas e os juros do capital pedido emprestado. Depois, obtém receitas da venda da sua produção no mercado.
Obtemos o lucro de um ano, LA, subtraindo os custos totais de um ano à facturação desse ano.
Como a empresa vai durar "para sempre", é preciso somar o lucro (descontado) para todos os anos fazendo de conta que os resultados se capitalizam como num deposito bancário à taxa de juro de mercado, TJ.
Valor de Continuação da Actividade,VCA, vem dada por
     VCA  = LA * (1+ TJ)^-1 + LA * (1+ TJ)^-2+ LA * (1+ TJ)^-3 + ...
     VCA  = LA / TJ
Por exemplo, uma empresa que dê um lucro médio de 100mil€/ano, para uma taxa de juro de mercado de 5%/ano, valerá 2milhões€. Sem acontecer nada nos fundamentais da empresa, se taxa de juro de mercado subir para 10%/ano, a empresa desvaloriza para 1mihão€.
Uma empresa bem gerida apenas existe enquanto o valor de continuar a actividade for maior que o valor de liquidação. Quando o VCA ficar menor que o VL, o gestor deve liquidar a empresa.
Então, o valor económico da empresa é dado pelo máximo entre o VL e o VCA
Valor Económico da Empresa = Máximo (VL, VCA)

Fig. 3 - Só podes escolhe uma: a Maria Continuação ou a Joana Liquidação.

No caso das empresas públicas, por o Estado ser fraco, não consegue liquidar as empresas.

Vejamos, apenas, qual o Valor de Continuar a Actividade da RTP.
Em 2010, a RTP teve um prejuízo de 234 Milhões de euros. Em termos contabilísticos, esta verba foi classificado como "compensações pelo serviço público" mas é uma treta para esconder o prejuízo. Cerca de metade deste valor foi paga pelo orçamento e a outra metade foi paga pelos consumidores de electricidade.
A manter-se a RTP como está, terá este prejuízo anualmente, LA com valor negativo. Para uma taxa de juro de 6%/anos, o valor de continuação da actividade da RTP é negativo e igual a
     VC = -234 / 6% =  -3900Milhões de euros
Portugal tem que pagar 3900milhões de euros para se ver livre da RTP
Fig. 3 - RTP: Uma onda que vai imundar Portugal

Todas as empresas públicas portuguesas estão tecnicamente falidas, o valor de liquidação é negativo e o valor de continuar em actividade é altamente negativo.
O Estado não tem dinheiro para privatizar as empresas públicas, nem os governantes têm coragem para as liquidar. Então, vai ficar tudo na mesma.
Vão privatizar o bocado da REN, da EDP e ficamos por aí.

A resolução à bruta: o Empowerment.
Este modelo de resolução dos problemas das empresas públicas é normalmente aplicado em países que precisam de uma forte reestruturação do tecido produtivo. Foi aplicado nos anos 1990 em todos os países que deixaram a economia planificada da URSS e de África. Também foi aplicado na África do Sul na saída do Apartheid.

Primeiro. O Coelho define um nível de encargo aceitável a ter com a empresa pública a privatizar (que pode ser zero). Por exemplo, define uma transferência de 60Milhões€ por ano para a RTP a pagar por quem consome electricidade. Assim, consegue reduzir em 75% o encargo existente.
Segundo. O Coelho arranja uma pessoa qualquer falida, eu, e entrega-me 75% da RTP, com o seus 1000milhões€ de passivo e o pouco activo que tem, por 75mil€. Os 60Milhões€/ano cobrem este passivo.
Terceiro. Firmamos um contrato de serviço público: Eu obrigo-me a uma série de regras de programação previstas num contrato e vou receber o salário mínimo e, por cada dia que a RTP continue em actividade, mais 1000€ de prémio.

Fig. 4 - O buraco é tão grande que já não pode ser resolvido a bem

E isto dá resultado?
Dá todo o resultado porque os credores e funcionários têm menor poder de pressão contra mim que contra o Estado.
Eu estou a lutar pelos meus 75mil€ mais os 1000€ por dia de prémio enquanto que os governantes não estão a lutar por nada. É uma ligação muito remota entre os objectivos dos governantes e o desempenho da empresa.
Se eu falir, não tenho por onde pagar. Então, os credores e funcionários vão ter que negociar não podendo ser tão agressivos como são contra o Estado porque
Temos todos que nos desenrascar com os 60Milhões/ano.

Será que eu vou ficar rico?
Se eu for muito competente, fico milionário, senão, trabalho por tuta e meia, perco 75mil€ e fico conhecido com o fulano que deu cabo da RTP, uma empresa exemplar.
O Estado fica sempre a ganhar poupando milhares de milhões de euros e os governantes não ficam com o ónus de terem liquidado uma empresa extraordinária.
Tenho a certeza que conseguia levar a missão a bom porto.

Fig. 4 - Eu sou capaz, eu vou safar a RTitanicP.

A privatização do petróleo russo criou vários bilionários mas foi a única forma que a Rússia de Boris Yeltzin encontrou para continuar a exportar, no meio do caos, petróleo.
Esta será a única forma de privatizar as empresas públicas portuguesas. Uma encerrarão (como a Setenave de que já ninguém fala)  e outras transformar-se-ão em casos de sucesso.

Fig. 5 - Vou cortar o telefone para evitar o risco de me enfiarem a RTP.

Pedro Cosme Costa Vieira

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code