quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Estará o PedroPC mais troikista que a troika?

O que diz o Memorando da Treta.
Quero dizer, da Troika.

O MT contém um conjunto de generalidades sem qualquer interesse de ver com pormenor.
Conversa muito mal escrita, sem rigor nenhum, feito tudo no joelho.
Nem tem capa, introdução, nada.
Não vale a pena perder um minuto a ler aquele chorrilho de coisas.


Mas temos que nos concentrar em 4 pares de números que lá estão.
      2011 <-> 10068m€
      2012 <->  7645m€
      2013 <->  5224m€
      2014 <-<  4521m€
Estes pares traduzem os limites para o défice público do Estado Português em cada ano civil.
Agora, como vai isso ser feito, o PPC que se desenrasque.
O Memorando de Entendimento poderia ter estes pares de números e acabou.

E como está a execução das contas públicas em 2011?
Nos primeiros 6 meses de 2011, ainda sob mando do Sócrates, foram gastos 7568milhões€.
Já só restam 2500milhões€ para o segundo semestre de 2011.
Os números indicam que vai ser difícil fechar o semestre com menos de 6000milhões.
Dá 13568milhões, 7.5% do PIB.
Nós não vamos conseguir acabar 2011 com um défice sequer próximo dos 10068 milhões €.
Mesmo descontando os 1000milhões€ do "cobrança excepcional sobre o Subsídio de Natal", Portugal vai falhar por 2500milhões€.
Excede o "acordado" em 25%.

Teremos que renegociar o Memorando?
Uma fonte*, bem colocada dentro do Governo que não posso revelar, revelou-me que o Memorando já foi renegociado.
A Troika aceita que Portugal, apesar de ficar nos 13568m€, 12568m€ com o meio Subsídio de Natal, anuncie que atingiu os 10068m€. Nem que diga que "vendeu 2500 milhões de litros de água do Atlântico a 1€/litro" aos de Arouca que vão pagar em prestações a partir do ano 2537.
Não interessa.

E para 2012 como estamos?
As formulas de cálculo das pensões de reforma e o aumento do desemprego faz com que a despesa da Segurança Social tenha uma tendência de crescimento de 6.6%/ano. Por aqui há uma tendência automática para que a despesa da SS aumente 2400m€ de 2011 para 2012.
Depois, é preciso reduzir o défice de 13568m€ para 7645m€. São mais 6000m€.
Então, o OE para 2012 tem que prever uma redução de 8400m€ relativamente a 2011.

8400m€ é muita massa.
Os cortes previstos no OE2012 e os aumentos dos impostoss são suficientes para cobrir metade deste buraco. Apenas metade.

Estará o PPC a exagerar?
Uma pessoa que fica 2500m€ abaixo do "acordado" em 2011 e fica pela metade em 2012, não pode estar "além" de nada.
E o PPC prevê uma contracção do PIB de 2.8% e vai ser para aí 13% o que faz reduzir as receitas fiscais.
Ainda falta conhecermos onde vão ser os cortes da outra metade.

*Para que o PPC não fique nervoso, a razão para não revelar a minha fonte é por a ter inventado. Usei apenas informação pública.

Pedro Cosme Costa Vieira

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code