sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Porque abortou a privatização da TAP?

A coisa abortou.

O nosso governo e o German Efromovich estavam tão animado com a TAP e, de repente, a privatização abortou.
O que será que aconteceu à última da hora para que a criança, já com a cabecinha toda de fora, tenha re-entrado na barriguina da mãe-Estado?
Vou tentar convencer-vos que as razões estão do lado do governo (que se deixou convencer pela arruaça de que a TAP vale dinheiro) e  do lado do German (que, ao falar comigo, entrou em pânico com a notícia de que os pilotos da IBERIA aceitaram uma redução de 51% nos salários).

Fig. 1 - Vais ter que voltar para dentro da barriguida da mamã porque não consegui garantias de que te podia sustentar.

A dívida total da TAP são 2325M€
No relatório anual  referente a 2011 é afirmado (p. 33) que a divida total da TAP é de 1231 milhões € (e que tem sido repetido à exaustão na Comunicação Social). 
Mas que grande mentira. Que trapalhões. Tanta desonestidade.
Vê-se facilmente no quadro da p. 126 desse relatório que estes 1231M€ não são a dívida total mas apenas a "divida bancária" (identificadas a vermelho no Quadro 1):  

Passivo não corrente
Provisões158086
Financiamentos obtidos985709
Responsabilidades com benefícios pós-emprego78540
Passivos por impostos diferidos23933
Estado e outros entes públicos84868
Outras contas a pagar1958
 1333094
Passivo corrente
Fornecedores165081
Adiantamentos de clientes1202
Estado e outros entes públicos29087
Financiamentos obtidos245209
Outras contas a pagar222633
Documentos pendentes de voo263510
Diferimentos65393
 992115
TOTAL DO PASSIVO 2325209
Quadro 1 - Passivo da TAP, milhares €, onde se vê que a dívida total são 2325Milhões€ (fonte: Relatório e Contas da TAP - 2011, p.126)

Passivo quer dizer dívidas.
O total das dívidas da TAP tem muitas mais parcela além da dívida bancária. Por isso, soma 2325M€.
Vir a administração da TAP dizer para a comunicação social que a sua dívida total são 1231M€ é um erro deliberado para envenenar a opinião pública contra a privatização.

O Balanço da TAP aguenta o passivo não bancário.
Retirando o passivo bancário de 1231M€ (que está garantido pelo Estado), ficam dívidas no valor de 1094M€.
O activo da TAP (retirando os 206M€ do goodwill que não valem nada) são 1774M€.
Então, existe no balanço da TAP 1.62€ de activo por cada 1.00€ de dívida não bancária.
Desta forma, o balanço da  TAP é capaz de garantir a dívida não bancária mesmo considerando que, em caso de falência,  haverá necessidade de indemnizar os trabalhadores e eventuais quebras de contratos.
Mas entregando o activo para pagar a dívida não bancária, os 1231M€ de dívida aos bancos ficam no ar.
Onde é que os bancos se vão agarrar?
Ao Orçamento de Estado que terá que suportar uma despesa extraordinária de 1231M€ quando a TAP for liquidada (e que será brevemente).

Ativo não corrente
Ativos fixos tangíveis952332
Propriedades de investimento 2862
Goodwill206395
Outros ativos intangíveis1424
Outros ativos financeiros3258
Ativos por impostos diferidos23758
Ativos por impostos diferidos23758
 
1224427
Ativo corrente 
Inventários 142429
Clientes250482
Adiantamentos a fornecedores11221
Estado e outros entes públicos18620
Outras contas a receber156615
Diferimentos 10805
Caixa e depósitos bancários167365
 757537
TOTAL DO ATIVO 1981964
Quadro 2 - Activo da TAP, milhares€, onde se vê que o activo é inferior às dívidas (fonte: Relatório e Contas da TAP - 2011, p.126)

Os da TAP vieram hoje dizer na TV.
A dívida não está garantida pelo Estado.
Mas está solidariamente garantida pela Parpública que está solidariamente garantida pelo Estado. Então, em cascata, a dívida bancária da TAP está garantida solidariamente pelo Estado.
E mesmo que não estivesse, alguém acredita que Portugal vai permitir a bancarrota da TAP quando não permitiu a bancarrota do BPN que era uma empresa privada e onde o Estado não tinha qualquer interesse e que nos custou 4000M€ sem qualquer contrapartida?
Nunca ninguém emprestaria dinheiro a uma empresa com um activo de 1774 M€ e dívidas de 2325M€ sem outras garantias sólidas.
Por cada 1.00€ de activo, a TAP deve 1.30€.
A menos que fosse a Caixa Geral de Depósitos, a Parpública, a Segurança Social ou o BPN.

A dívida da TAP tem diminuído todos os anos.
Pois, mas porque a idade dos aviões tem aumentado.
De facto, entre 2010 e 2011 o passivo total diminuiu de 2352M€ para 2325M€ (reduziu 27M€) mas à custa de uma diminuição do activo de 2087M€ para 1982M€ (reduziu 105M€). Considerei no activo o goodwill.
Por cada 1.00€ de redução na dívida, a TAP perdeu activos no valor de 3.89€.
E isto é que é boa gestão a ponto de o Fernando Pinto ter recebido em 2011 uma maquia de 445mil€ e os seus 5 ajudantes uma média de 290M€ cada.
Assim também eu diria que a "minha" empresa é a melhor gerida do Mundo e arredores.

Fig. 2 - No nosso país, toda a gente mente impunemente

Vem por aí mais uma sobretaxazita.
A continuar assim, quando o Activo chegar a zero a dívida estará reduzida a "apenas" 1800M€ que o nosso Passos Coelho terá que pagar usando a mesma fonte de financiamento que o Sócrates arranjou para o BPN: os nossos impostos.
O mais provável é também utilizar a estratégia do Sócrates para financiar as loucas energias renováveis (uma sobretaxa na conta de electricidade). Neste caso, a solução será uma sobre-taxa no Imposto Único de Circulação Automóvel.
São apenas mais uns 15€/ano por cada veículo automóvel para cobrir o "custo estratégico de termos a TAP" que foi de 80milhões€ em 2011.
Aguenta-se pois dizem que sem TAP, Portugal desaparecerá como desapareceu o Império Português quando acabou a nossa marinha mercante.
E porque perdemos o Brasil, a pérola do Império?
E as águas da Terra Nova, a mãe de todos os bacalhaus?

Como foi a negociação entre o Passos e o German? 
Eu sei porque tenho pessoas bem colocadas que gravaram as conversas e mas enviaram* e porque fiz parte da negociação*.

O Passos avançou com a lengalenga dos comunas e da  administração da TAP.
- A TAP tem lucro, a dívida tem-se reduzido todos os anos, não depende das garantias do Estado para se financiar, é sólida, tem rotas muito lucrativas e trabalhadores muito competentes. Por isso vale muito dinheiro, milhares de milhões de euros.

O German respondeu.
- Estoi dúvidando pela simples razão de que nenhum cara aparecer querendo comprá TAPi.
- Bem, se eu colocassi minha Avianca à venda por 20 milhão, apareceria mais de cinco bilhão de cara para comprá.
- Mas vou acreditar nisso e aumento o preço para 35 milhão.
- Vamos lá assiná no papéu pois o dinheiro está na mala.

O Passos esfrega as mãos e diz.
- Agora o German vai assinar as garantias bancárias em como a TAP vai honrar as suas dívidas, entrega-me os 35 milhões e assinamos o contrato.
- Sem garantias, o negócio não pode avançar porque os credores não deixam.

O German ficou admirado.
- O quê? A TAP precisa que eu preste garantias de 1231M€ junto da banca?
- Mas óh Passos você não me estava dizendo que a TAP era uma empresa sólida, que tinha lucros, bem gérida e que todo mundo lhe queria emprestar cacau sem qualquer garantia que não fosse o seu balanço?
- Isto está-me cheirando a esturro. Eu estava acreditando em você, cara, mas você estava querendo me enganar.
- Eu li umas coisas num bilogue e não acredité mas, depois do que você me disse agora, vou ter que telefoná ao biloguisssta. Vou ter que falar com o carcará.

Fig.3 - O quê? A TAP precisa de garantias minhas? Mas você me disse que aquilo era um colosso.

Aí, o German telefonou-me.
- Oi cara, biloguisssta, estou aqui com o Passos e ele me está pedindo garantias para a divida da TAP. Que é que você acha cara?
- O que você dissé, eu cumpro. Acredito maisss não nessstes caras.

Fig. 4 - German, lembras-te de quando eu te conheci, lá na loja maçónica?

A minha resposta.
- German, para mim, a verdade está acima de tudo.
- Eu gosto muito do meu país mas estás a ser enganado.
- Isso é um buraco sem fundo. Tu dás as garantias e imediatamente os pilotos e demais pessoal vai entrar em greve. Depois vais querer meter os teus aviões a substituir os da TAP (parados por causa da greve) e o Governo não to vai permitir.
- Se os dos portos de mar estão em greve há meses e estão-se borrifando para o facto de isso prejudicar ou não o país, agora imagina como será quando o prejudicado fores tu.
- E os da IBERIA que são concorrentes directos da TAP nas rotas para o Brasil, desceram os salários para menos de metade pelo que vão praticar preços muito mais agressivos.
- Desiste disso enquanto tens tempo e algum cabelo. Vais ficar mais depenado que o Abrunhosa.

Fig. 5 - German,  garanto-te que custa menos uma depilação brasileira que aguentar a TAP.

O German termina dizendo.
- Biloguisssta, obrigado. Você é que divia ser o presidente da TAP e receber os 450Mil.
- Não tinha pensado nessa da IBERIA mas isso vai mesmo levá TAPi à falência rapidamentech.
- Acabou

A exigência de garantias revelou o verdadeiro estado da TAP.
Em qualquer negócio existe informação assimétrica (cada um dos negociadores tem graus de informação diferentes).
Ao colocarem condições na mesa vão revelando essa informação previlegiada.
No caso da TAP, o Governo ao exigir garantias ao German, está a revelar que está entalado com as dívidas e que não pensa que o negócio da TAP seja capaz de gerar meios para pagar todas as dívidas.
A privatização da TAP apenas pode avançar se o Estado Português partilhar o risco com o privado.

Base de partida.
Cenário 1 - Se a TAP for liquidada, perdem-se 13 mil postos de trabalho e o Estado tem que entrar com cerca de 750 milhões €.
Cenário 2 - Se a TAP continuar a sua actividade, vai continuar a ter prejuizos que implicarão a entrada regular de dinheiros públicos. O valor actual de continuar a actividade é ligeiramente inferior ao valor de liquidação (serão 1000Milhões€ negativos).
O governo optou pelo cenário 2 pelo que se encontrar quem assuma o compromisso de tentar pagar parte dos 1000milhões€ de saldo negativo, já é bom.

Risco assumido pelo Estado
O Estado Português mantém as garantias sobre 50% da dívida bancária da TAP (615M€). A dívida continuará no balanço mas garantida pelo Estado.

Risco do privado.
O privado entra com 615M€:
1) paga 35Milhões€ e
2) faz um aumento de capital de 580Milhões€ para anular o actual capital negativo (345M€) e passar a ter uma autonomia financeira de 10% (235M€).

Obrigações do privado.
1) O privado terá que "continuar a actividade" de aviação da TAP durante pelo menos 50 anos.
2) Tendo a TAP lucro (antes de impostos), tem que usar 60% para amortizar a dívida garantida pelo Estado.
Por exemplo, se o Lucro AI for 60M€, o privado tem que amortizar 60 x 60% = 36M€ passando a garantia do estado para 615M€-36M€ = 579M€.
3) O valor da amortização fica isento de IRC.
4) Tendo prejuízo, será assumido a 60% pelo privado e 40% pelo Estado. As garantias do Estado mantêm-se.
5) O privado não pode fazer reduções de capital.
6) Em caso de a situação líquida passar a negativa,  o Estado fica com a opção de comprar a TAP por 1€. 

Mais não pode ser pedido.
Alguém enterrar 615Milhões € na TAP, pagar juros sobre a totalidade da dívida, usar 60% do lucro para amortizar o actual "custo de liquidação" e, em caso de prejuízo (onde se incluem os juros) o estado só assumir 40%, já será um muito bom negócio para os contribuintes e para a economia do país.
Continuar a acreditar que a TAP vale milhares de milhões só a vai levar a uma falência estrondosa em que teremos, contribuintes, que assumir encargos equiparados ao caso do BPN. 

* Informação falsa.

Pedro Cosme Costa Vieira

1 comentários:

Económico-Financeiro disse...

Recebi este comentário de alguém que não se quer identificado~

Caro Pedro Cosme

Não nos conhecemos pessoalmente mas por mero acaso cruzei-me hoje com um texto seu num blogue sobre o processo de privatização da TAP em 2012.

Dou-lhe os meus parabéns pela clareza(irónica...) e simplicidade com que aborda a questão. Raramente acontece.

O que me parece surpreendente é que não haja neste país alguém (incluindo os nossos jornalistas sabichões) que consiga olhar para um balanço e uma demonstração de resultados e entender que aquele Grupo não é privatizável sem que o Estado acabe de uma forma ou de outra por por a "mão por baixo".

Infelizmente conheço bem a realidade da TAP (fiz parte da equipa do Fernando Pinto durante vários anos). A gestão desta equipa de brasileiros é um caso de polícia (e não estou a exagerar). O controlo da comunicação social e das sucessivas tutelas tem permitido um endeusamento do Fernando Pinto que não passa de um gestor mediocre (embora jeitoso na comunicação e um artista na manipulação de números).

Folgo muito em ouvir vozes conhecedoras tornar visivel o que devia ser claro para todos. Infelizmente são cada vez menos. E ninguém que faça frente aquele senhor sai sem retaliações (infelizmente sei do que falo, fiz-lhe frente nas aldrabices dele na privatização da Groundforce e ainda hoje estou a sofrer as consequencias de o ter feito, mas não me arrependo!)

um abraço
(identificado)

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code