quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O que disse o Cavaco de relevante.

O Cavaco estava lúcido quando analisou da nossa situação actual mas logo entrou em  desorientação psíquica na parte em que tenta apontar caminhos para o Futuro.
É o problema de quem está alzaimado: ora está bem para logo ficar desligado.  

Fig. 1 - O Cavaco está com a Amália: nem dá conta que já não canta nada. Obrigaduuuu.

Na análise fala do problema da nossa dívida externa
"É essencial que todos compreendam que as dificuldades que Portugal atravessa derivam do nível insustentável da dívida do Estado e da dívida do País para com o estrangeirocerto
"Esta situação é insustentável e limita, de forma drástica, as possibilidades de financiamento do Paíscerto

A dívida do Estado
"as dificuldades que Portugal atravessa derivam do nível insustentável da dívida do Estado e da dívida do País para com o estrangeiro" certo
"Os juros absorvem 20% do total dos impostos que são cobrados" certo

O défice público tem que ser atalhado
"Enquanto ... as despesas do Estado são maiores do que as receitas arrecadadas, vamos acumulando dívida à dívida já existente e o montante dos juros vai subindocerto

A dívida externa
"a dívida externa do País é mais do dobro da produção anual, implicando o pagamento ao estrangeiro de um montante de juros muito elevadocerto

Solução para a "situação insutentável"
"Para corrigi-la, Portugal está a executar o programa de assistência financeira negociado pelo Governo anterior com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional" certo

E o Cavaco pensa ainda que não há alternativa ao memorando da Troika
"Deixar de honrar os compromissos internacionais que subscrevemos não é uma opção credível" discutível mas é a opinião do Coelho
Tentar negociar o perdão de parte da dívida do Estado não é uma solução que garanta um futuro melhor. Poderia criar uma ilusão momentânea, mas, no final, estaríamos numa situação dramática, pior do que aquela em que nos encontramos. Ninguém de bom senso pode desejar essa situação para o nosso País." discutível mas é a opinião do Coelho

"Por isso, temos de cumprir as obrigações internacionais que assumimos."
Temos de equilibrar as contas públicas e reduzir a dívida externa. Enquanto não o fizermos, a nossa independência financeira será sempre limitada." Tal e qual como dizem o Gasparzinho e o Coelhinho

E o PS deveria estar caladinho
"O Orçamento do Estado para 2013 ... visa cumprir o objetivo de redução do défice acordado com as instituições internacionais que nos têm emprestado os fundos necessários para enfrentar a situação de emergência financeira a que Portugal chegou no início de 2011." certo, estava lá o Sócrates.
"Devemos ter presente que o programa de assistência financeira foi apoiado por partidos que representam 90% dos deputados à Assembleia da República, deputados eleitos num sufrágio que teve lugar há pouco mais de um ano e meio." Tal e qual como dizem os do PSD+CDS

Fig. 2 - Sr. presidente, só para dizer que concordo a 100% e que eu não teria feito uma análise mais lúcida.

Mas, de um momento para o outro, a mente desorientou-se
Perdeu a linha de raciocínio entrando em pseudo-pensamentos fugitivos para a culinária.

O Cavaco Silva engatou no discurso do Baptista da Silva
As pessoas de mente fraca rodeiam-se das pessoas que dizem o que elas querem ouvir. É o síndrome da "flauta mágica".
Pode ser uma promessa impossível do tipo "se fores a Fátima a pé, ficas curada do cancro" mas temos que acreditar porque isto é que são autênticos milagres.
Não interessa ouvir "se andas à chuva, molhas-te". Quando D. Sebastião aparece com o discurso do "até 2011 conduzi-te pelo mau caminho mas agora tenho uma pomada que resolve todos os teus problemas, é a pomada do crescimento", logo ficamos hipnotizados. 

Fig.3 - Deixa-me ajuda-te: dá-me 500€ que todos os teus problemas desaparecerão.

O menino discursava entre os doutores, Lc 2.24
Quando o Baptista da Silva discursou no meio dos doutores, seria de esperar que a sua conversa fosse diferente dos maiores conhecedores da ciência económica. Mas não.
Já me imaginaram a discutir culinária com um chefe? Quando eu falasse de como se deve fazer um eclere estaladiço, ficava logo claro que eu não percebia nada do assunto.
Mas os nossos professores doutores catedráticos de economia têm o mesmo discurso de um taxista: o discurso de senso comum.
Olhem eu a discutir culinária ao nível desses grandes chefes:
"Se puser muito sal na comida, esta vai ficar salgada e depois terá sede"
"Se colocar o dedo dentro da sopa enquanto esta está a ferver, vai-se queimar"
"Se estiver a fazer um assado e o gás acabar a meio, vai ter que mudar a botija para a comida não ficar meio crua"
"Na América do Norte um fogão eléctrico usa a electricidade para produzir calor enquanto que em Portugal um fogão a gás usa o gás."
Ei pá, eu sou mesmo um master chef.

Os milagres financeiros são um monopólio da IURD.
O Cavaco pensa que o Gasparzinho é pastor da IURD.
Só pode pois o que está a pedir é um autêntico milagre financeiro.

1. Quero para 2013 uma consolidação das contas públicas com crescimento económico.
"em 2012, ficou claro que um processo de redução do desequilíbrio das contas públicas acompanhado de um crescimento económico negativo tende a tornar-se socialmente insustentável" certo
"No coração das dificuldades do País está um problema fulcral: a falta de crescimento da nossa economia."  certo
"É aí, no crescimento económico, que temos de concentrar esforços"  certo

Mas será preciso poupar para haver investimento, penso eu de que
O crescimento não cai do Céu. É preciso poupar para poder haver financiamento do investimento produtivo.
Mas o cavaco diz que não, nada de poupança porque isso "leva ao encerramento de empresas e ao agravamento do desemprego."
O Cavaco Silva, copiando o Baptista da Silva, conclui que basta querer que o crescimento económico cai do Céu e torna muito mais fácil o equilibrio das contas públicas.

Isto é uma evidencia a la Palice
Pergunta o Cabo ao soldado Palice.
- Porque é que este está morto?
- Porque morreu. Responde sabiamente o Palice.
Vamos pedir em grande. Desejo para 2013 que o PIB cresça 7.5%. Se a China o consegue e acha pouco, nós também podemos exigir isso ao Deus da IURD.

Mas, afinal o milagre é alguém terrestre dar-nos dinheiro.
"As nossas empresas pagam pelos empréstimos taxas de juro muito superiores às suas congéneres da União Europeia" certo

Agora é que o Cavaco entra a alucinação total
Sendo que lá em cima o Cavaco diz que o nosso endividamento externo é insustentável, agora pede que ele aumente!!!!

"Temos argumentos – e devemos usá-los com firmeza – para exigir o apoio dos nossos parceiros europeus, de modo a conseguir um equilíbrio mais harmonioso entre o programa de consolidação orçamental e o crescimento económico."

Ora "apoio" quer dizer que nos emprestem mais dinheiro.
Ou será que quer que rezem para que a gente encontre fundos debaixo das pedras?
"É do nosso interesse, mas também do interesse da União, que a coesão e a solidariedade não sejam meras palavras de circunstância. É nas alturas difíceis que se testa a solidez do projeto europeu."

A não ser que sejam empresta-dados.
Os Alemães e Franceses darem-nos dinheiro.
Sendo assim, esta estratégia de governação alucinante deveria ser dirigida a quem tem dinheiro e não aos portugueses.
Traduzia para francês e alemão e transmitia como mensagem de "Nouvel An" (para o Messiu Holland) e de "Neu Jahr" (para a Frau Merkel).
Dirigir a conversa para o Zé Pagante, é uma total perda de tempo.

Foi o brinde de ano novo dos sem abrigo.
Dizerem às 12 badaladas, uns para os outros debaixo da ponte, "está na hora de os capitalistas darem uma casa a cada um de nós".
Mas os capitalistas não ouviram.

Mais subsidio-dependentes.
Afinal o Cavaco gostava do Guterres e dos seus subsídios para tudo que mexia.
Masi uma vez, depois de dizer que a nossos problemas "derivam do nível insustentável da dívida do Estado" carrega-se com mais uns subsídios:
"Tenho encontrado jovens empresários ... que devem ser incentivados pelas entidades públicas e apoiados pelo sistema bancário" (leia-se: CGD falida)

Na privatização da ANA pareceu-me ouvir qualquer coisa perigosa.
Esta conversa do Cavaco mais parecer-me ter ouvir falar na expansão da capacidade aeroportuária, indica que vai surgir uma nova PPP para avançar com o novo Aeroporto Internacional de Lisboa.
Depois voltarão as 5 linhas do TGV, o Metro do Mondego e estarão de volta todas aquelas loucuras todas do socratismo.
Afinal, criam emprego.

O Cavaco volta a ficar lúcido e grita "aguenta firme Coelho".
Coelho aguenta-te porque "o País não está em condições de se permitir juntar uma grave crise política à crise económica, financeira e social em que está mergulhado. Iríamos regredir para uma situação mais penosa do que aquela em que nos encontramos."

O ano 2013 vai ser um ano difícil mas desejo, tenho esperança e pode ser que
Tudo se resolva pelo melhor porque "Portugal deve e merece ser ajudado"
"Os Portugueses merecem um tempo melhor, para si e para os seus filhos, para as novas gerações."
Merecem ter, como os brasileiros têm, calor todo ano e um oceano com água a 25ºC. E  merecem que se descubra petróleo que não são menos filhos de Deus que os angolanos.
"Com esperança num tempo melhor, desejo a todos os Portugueses um Bom Ano Novo"

As dúvidas constitucionais do Cavaco
Foram retiradas do meu blog.

Mas como é que isso se vai fazer?
Espero um ano em que o Cavaco Silva seja substituido pelo Baptista da Silva.
Espero ainda que o Seguro substitua o Coelhinho com o Guterres na Segurança Social e o Sócrates nas Finanças.
É como a Síria: para se criar um país novo, é preciso, primeiro, destruir tudo o que existe.

Faça por ter bom ano, dentro do possível.

Pedro Cosme Costa Vieira

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code