quinta-feira, 18 de abril de 2013

O governo do Passos Coelho está por dias

A coisa está preta.
Ontem à noite queria ouvir o resultado da reunião do conselho de ministro que, mais uma vez, reuniu de emergencia para estudar maneiras de ultrapassar o chumbo do tribunal contitucional ao corte do subsídio de férias dos pensionitas e funcionários públicos.
Por volta das dez e pico, veio o anuncio de que a reunião iria durar pela noite dentro pelo que fui-me deitar.

Pensei eu enquanto adormecia que, indo a coisa durar noite fora (ou dentro), talvez chegassem à conclusão que tinha que implementar uma das minhas ideias. Custa sempre dar o braço a torcer mas os especialistões do governo teriam que me pedir a ideia, muito simples, de extender o corte a todos. Também poderiam implementar a ideia que avancei há uns meses de aumentar o horario de trabalho dos funcionário públicos das actuais 35h/semana para as 40h/semana (como nos privados) e passar todos os contractos a 90% (a tempo parcial), com a proporcional redução do ordenado.

Afinal, foi uma noite de farra.
Fontes bem colocadas, indicaram-me que o pessoal esteve toda a noite a contar anedotas sobre auteriade e sob o seguro.

Chegaram-me ao conhecimento estas.
- Na Grécia o povinho está tão magrinho que, nas horas de ponta, são usados táxis a fazer as carreias dos autocarros (num táxi cabem 48 gregos).
- Chama-se iogurte grego porque um grego toma banho num daquelas tacinhas.
- O programa espanhol de ajuda ao fim dos sobre-endividados é um abridor de janelas.
- Se fossem gregos, no naufrágio do titanic não teria morrido ninguém porque as 2200 pessoas a bordo teriam cabido, com folga, em apenas um bote salva-vidas.
- (Esta disse o Portas enquanto o Gasparzinho foi dar uma mijinha). Os gasparzinho faz sexo tântrico para ver se, antes de ele ter conseguido dar 1000 carimbadelas na mulher,  os funcionários públicos recebem o subsídio de férias.
- (Esta perguntou a Cristas) Ó Passos, dizes que não há dinheiro mas se houvesse um temporal, o que dirias aos agricultores?
Que falem com o Seguro.
Fig. 1 - Miau, miau, ... estou tão desanimada. Anda-me abrir a janela ...
Bem queria mas ainda não posso. É que o subsídio de férias ficou para Novembro.

A montanha pariu um adiamento.
Começaram por dizer que vai haver alterações nas escolas de condução Como o Portas ainda não tem carta, é preciso permitir a validação da experiência (a conduzir submarinos).
Depois veio a revelação há vários anos sabida que nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo vão continuar a coça-los. Chegaram mesmo a dizer que o Sócrates queria fazer qualquer coisa, mas nós vamos deixar isso para depois.
Uma jornalista ainda disse que ninguém queria ouvir conversa fiada.
Calma que isto tem uma certa sequência e, na sua vez, falará o júnior.
Lá por fim, puseram o meia leca que entrou anteontem, todo trémulo da voz (eu ouvi na rádio) a anunciar que
A) Vamos cortar na despesa 0.5% do PIB.
Mas onde serão o cortes? perguntou uma jornalista.
- Serão em todos os ministérios mas não sei em concreto onde nem em quê. Lá para fins de Maio pode ser que já se saiba mais qualquer coisa, mas não prometo nada.
B) O subsídio de férias passa-se a chamar subsídio de Natal e o subsídio de Natal passa-se a chamar subsídio de férias.
C) Vamos negociar as PPPs e outras coisas que não me lembro bem, mas isso é muito difícil e logo se verá no que dá.

Se Portugal tem problemas, que accione o Seguro.
A estratégia de adiar é fazer como o PS que assinou (pela mão do Sócrates) um memorando de entendimento para receber dinheirinho e, logo à saída, veio dizer que não assinou nada.
Agora o Passos vai assumir compromissos (que o subsídio será pago em Novembro, que os ENVC ficam na mesma, etc., etc.) para quem vier aguentar.
Mete-se no seguro.

A lista dos 400.
O poder da internet é haver listas de e-mails onde circulam comentários e informação sobre temas diversas. E particular, existe uma lista onde uma pessoa das minhas relações faz parte (o EB) e onde circulam informações reservadas sobre o que se passa no governo, no PSD e em todas as envolventes politicas, financeiras e económicas. Apenas posso dizer que tem lá povo muito bem colocado.
Até há uns tempos, quando o EB passa por mim perguntava sempre, para me gozar, "Então quando saímos do euro?", "Será que o Passos vai aguentar até o fim do mês?". Na última vez que o vi, não me perguntou nada.
Mau, isto está mesmo mau, pensei eu.

A saida do Relvas destruiu a força anímica do Passos.
É como aquele relato de Primo Levi de um nazi ter perguntado a uma mãe judia que levava 2 filhos pela mão, qual deles ela escolhia para morrer. Se ela não escolhesse nenhum, seriam os 2 mortos.
A mãe teve que escolher um, mas acabou por se suicidar.
Não conseguiu viver com a pressão de ter feito uma opção moral altamente reprovável para salvar o que restava da sua família.
O Passos está igual.
Não consegue viver com a ideia de que, para manter o governo a funcionar, tem que aceitar a destruição o seu maior amigo.
Este dilema moral vai-o levar à auto-destruição.

O que vai acontecer até princípios de Maio?
Tudo me indica que foi accionado o gatilho que vai dar inicio a um novo ciclo eleitoral.
O CDS já fala num entendimento com o PS para acabar com a austeridade.
A Troika disse palavras muito duras ao Seguro mas ele não mudou de tecla.
Então, em princípios de Maio, o relatório da Troika vai dizer que Portugal não tem condições para cumprir o memorando de entendimento sem mais medidas de austeridade.
Aí, o Passos vai fazer uma comunicação ao país dizendo:
Portugueses, boa noite.
Estamos agora a concluir os trabalhos da 7ª revisão relativa ao Programa de Assistência Económica e Financeira.
Quero falar-vos com a mesma franqueza com que sempre vos falei, sem rodeios e com o realismo que cidadãos livres e responsáveis merecem dos seus representantes políticos e que a seriedade da situação actual exige.
Para resolvermos a emergência financeira nacional em que o País foi mergulhado em 2011 é preciso implementar as medidas avançadas pelo bloggista maluco.
Como o nosso parceiro de coligação não o quer, o tribunal constitucional não permite cortes da despesa e o PS não mostra vontade de ajudar a encontrar uma solução de consenso, tenho que me demitir para dar oportunidade ao PS de avançar com a sua "política de crescimento".
Demito-me dizendo que o PSD dará todo o apoio parlamentar para um governo minoritário do PS e coligação com o CDS-PP.

Fig. 2 - Aguentar com o Portas em cima fez-me velho em 2 anos.

O Portas mais o Seguro vão arrear.
O Seguro pode ser burro mas não é suicida. Onde é que ele vai arranjar dinheiro para pagar o tal subsídio de Novembro?

Este filme é um remake de 1987.
Pois é.
O filme original Foi quando, no seu governo minoritário, o Cavaco caiu por causa de uma moção de censura do PRD, o PS e o PRD foram chamados a formar governo e se recusaram sem irem a eleições.
Das eleições resultou a maioria absoluta do PSD e o PRD desapareceu.

Como vai ser o cronograma.
Lá para meados de Maio, o Passos demite-se e é dado um tempo para o PS+CDS formarem governo.
O governo não se chega a formar, o Cavaco ouve o conselho de Estado, os partidos e, e, em meados de Junho, dissolve a Assembleia da República.
Marca eleições para o dia 22 Setembro que serão conjuntas com as eleições autárquicas.

Resultados?
O Passos Coelho ganha com maioria absoluta folgada.
O Seguro desaparece.
O CDS desaparece.

Entretanto, vamos viver como os gregos.
So help us God

Fig. 3 - É mais fácil o Passos fazer esta pomba voar que Deus fazer-nos ultrapassar a crise.


Pedro Cosme Costa Vieira

3 comentários:

skeptikos disse...

So help us God

Bruno BaKano disse...

O problema é que eu acho que o PS vai ganhar com maioria folgada, logo agora que toda a gente ficou a saber do erro do Excel no estudo dos gajos de Harvard sobre a austeridade. O povinho vai pensar que afinal o PS é que tem razão e com as suas medidas de crescimento é que o país vai avançar.
E então sim, é tempo de dizer "So help us God"!

Mundo Real disse...

Porque é que o PSD+CDS, com maioria, estável(?), aparente apoio do presidente, precisa da benção do PS para governar ?

1) Tem medo e já não tem relva.
2) Se tiver 20% nas próximas eleições há muitos boys que ficam sem job, o desemprego dispara, e o Gaspar volta a falhar nas previsões.
3) Comover a Troika com uma fotografia muito linda com os políticos de T-shirt branca e de mãos dadas e abraçados.
4) Coisas da Maçonaria

JAA

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code