quarta-feira, 5 de junho de 2013

A crise de Tiananmen foi há 24 anos

Eu sou um democrata sem reservas.
Platão defende no República que a melhor forma de governo é a aristocracia, um governo formado pelos bons e justos da sociedade que, apesar de não resultar da eleição do povo,  trata do povo melhor do que ele próprio pensa ser possível. Platão também considera que a democracia é uma das piores formas de governo, sendo apenas melhor que a tirania.
Eu penso que não, que a democracia é a melhor forma de governo porque todas as outras padecem de dois problemas inultrapassáveis.
Primeiro, há o problema da identificação de quem são os bons e justos. Se não é o povo por eleições então, apenas podem ser os próprios formando uma oligarquia que evolui rapidamente para a demagogia e para a tirania.
Segundo, há o problema de o poder corromper os homens e o poder absoluto corromper de forma absoluta (Loard de Acton).

O que foi Tiananmen?
No seguimento da desagregação da URSS, uma das duas super-potencias da guerra fria, espalhou-se pelos países comunistas a ideia de que a liberdade iria facilmente vencer o partido. No caso chinês, centenas de milhar de pessoas reuniram-se na Praça Tiananmene à espera que o regime ruísse por si.
O problema é que, contrariamente à URSS, a economia da China estava a crescer rapidamente tendo o rendimento disponível das pessoas, entre 1979 e 1989, mais que duplicado. Então, as pessoas da China profunda, ainda extremamente pobre, não estavam preparada para aventuras.
Depois de 2 meses de "negociações" dentro do CPC, o exército e a policia avançaram e, em poucos dias, acabaram com a aventura. Ainda morreram umas centenas de pessoas, mas, em termos históricos, o incidente de Tiananmen foi menos mortífero que a derrocada daquela fábrica têxtil no Bangladesh. Em ambos os casos, são danos colaterais do desenvolvimento.

Fig. 1 - Praça Tiananmen por Balakov

Qual é o regime político da China?
É uma oligarquia em que os membros do CPC elegem  os órgão de soberania do Estado. Como normal numa oligarquia, os novos membros são "eleitos" pelos actuais membros do CPC.
É muito parecido com o regime politico da Igreja em que os padres são escolhidos pelos bispos da diocese e os bispos e cardeais são escolhidos pelo papa que é, posteriormente, eleito pelos bispos cardeais.
Em parte a oligarquia chinesa (e a católica) é uma democracia porque a "eleição" dos novos membros tem em atenção o equilíbrio de forças de cada comunidade de base. Um oligarquia pode ser mais ou menos democrática se, na escolha dos novos membros, atender mais ou menos às vontades das pessoas locais (que não têm voto).
No CPC estão, teoricamente, as pessoas justas e boas, uma por cada 16 habitantes. Para uma pessoa se tornar membro do CPC precisa ser trabalhador e aceitar os princípios do CPC. Depois de se candidatar,  precisa da aprovação da secção local do partido. Os membros do partido são agrupados em organizações de base onde a maioria dos membros não pertencem ao CPC. Os órgão dirigentes de cada organização de base são eleitos pelos seus membros mas a secção local do partido tem direito de veto.

Estará a China a democratizar-se?
Não posso responder de forma fundamentada  pois apenas sei que o número de membros do CPC está a aumentar. Por exemplo, recolhi no sitio do CPC que em 1997 o partido tinha 1 membro por cada 21 habitantes e agora tem 1 por cada 16 habitantes o que corresponde a mais 0.1% da população a cada ano. A esta velocidade, dentro de 450 anos, o CPC terá como membros mais de metade da população chinesa.
Na minha opinião, baseada numa análise feita de muito longe, a China está-se a tornar mais democrática, devagarinho mas está a melhorar. Já permite que vários candidatos se apresentem a eleição (membros do partido) e, provavelmente num futuro não muito longo, vai permitir a eleição directa dos "presidentes da junta" e, o aparecimento de mais um ou 2 partidos políticos.

Mas vamos à economia.
Depois da implantação do comunismo, a economia da China entrou em colapso tendo atingido o seu nível mais baixo em 1962. Nessa altura, a China era apenas o país mais pobre do Mundo, onde milhões de pessoas morriam de fome.
Mesmo ainda sob a batuta do Mau Tsé Tung, começaram a ser feitas reformas que potenciaram um crescimento económico como nunca antes visto pela humanidade. Entre 1962 e 1989 o rendimento per capita na China quintuplicou, cresceu 6.4%/ano. Desde o incidente de Tiananmene, o rendimento dos chineses multiplicou-se por 8, um crescimento de 9.3%/ano (ver, Fig. 2).

Fig. 2 - PIB pc, paridade poder de compra da China (dados: Banco Mundial)

E como foi a transição na URSS?
Em 1989, o poder de compra de um chinês era idêntico ao de um cidadão da Guiné-Bissau.
A URSS era muito mais, mesmo muito mais, desenvolvida que a China. Em 1989, o poder de compra de um russo era cerca de 13 vezes e o de um ucraniano era 8 vezes o poder de compra de um chinês (ver, Fig. 3).
Comparando com 1989, o poder de compra na Rússia e Ucrânia (os 2 países mais populosos da URSS) está praticamente o mesmo. Foram 24 anos de estagnação.
Podemos argumentar que a china cresceu porque era muito pobre. Por isso apresento o exemplo da Guiné Bissau que está exactamente ao mesmo nível de 1989 (ver, Fig. 3).

Fig. 3 - Comparação do PIB pc ppp da China com a URSS e a Guiné-Bissau (dados: Banco Mundial)

E como evoluiu, relativamente a Portugal, a China do pós-Tiananmen?
Em 1989, o poder de compra de um chinês era 7% do poder de compra de um português (ver, Fig. 4). Se imaginarmos um trabalhador português médio tem um salário de 1000€/mês, um chinês idêntico tem um ordenado de 420€/mês.
Em 1989, a preços de hoje, o mesmo português tinha um salário de 588€/mês e o chinês equivalente tinha um ordenado de 40€/mês. Em 1989 o salário médio de um chinês era, a preços de hoje, de apenas 40€/mês, valores que se observam hoje, por exemplo,  no Bangladesh, mas havia uma sensação de que a vida estava a melhorar porque, apenas 10 anos antes, o salário era de apenas 20€/mês.

Fig. 4 - Rácio entre do PIB pc ppp da China e de Portugal (dados: Banco Mundial)

Temos que lhes perdoar.
Nos 24 anos que decorreram desde Tiananmen, a China deixou de ser um dos países mais pobres do mundo para se transformar na segunda maior economia.
De um rendimento (PIBpc ppp) de 1000$ por ano  (720€/ano), a China saltou para os actuais 8500$/ano (6200€/ano).
Relativamente a Portugal, a China corresponde ao Portugal de 1970, ainda um país em que o poder de compra é de apenas 42% do português. Para os mais velhinhos de nós, saber como é viver na China é recordarmo-nos de 1970.

Aconteceu o mesmo na Birmânia.
Pode parecer estranho que um regime militar que meteu na cadeia uma pessoa que ganhou as eleições e foi prémio Nobel da paz tenha tido quase todo o apoio dos ocidente. É que a Birmânia, sendo altamente pobre, o PIB per capita tem crescido 8%/ano.
Por nos mostrarem serem capazes deste grande crescimento económico é que os USA (e demais países) perdoamos aos políticos das "democracias musculadas" asiáticas a não existência de eleições livres, directas e com voto secreto.
Existe mesmo a discussão se não será o modelo chinês o modelo certo para levar o desenvolvimento aos países mais pobres do Mundo.

Temos é que procurar exportar (e importar) para a China.
Não podemos fazer mais que não seja deixarmos que o desenvolvimento traga a felicidade ao povo.

Pedro Cosme da Costa Vieira

2 comentários:

juan gomez disse...

Tenho dúvidas:
Existem diferentes formas de moeda:
1) Moeda com produção atomizada (basta para isso fazer uma criação) e quantidade potencial ilimitada, com valor intrínseco - ex: galinhas.
2) Moeda com produção monopolizada e quantidade potencial ilimitada, sem valor intrínseco - ex: euro.
3) Moeda sem produção e quantidade limitada, com valor intrínseco - ex: o ouro

O raciocínio que faz do confronto entre poupança e procura de fundos para investir de que resulta a taxa de juro percebo e estou de acordo mas numa realidade em que a moeda é do tipo 1. Agora numa economia com a moeda do tipo 2 o seu raciocínio está igualmente correcto? O facto de a moeda ser papel não altera nada? Até porque as taxas de juro são controladas pelos Bancos Centrais e não se formam naturalmente.


quando a moeda é papel o que garante que existe a moeda necessária às tocas que se deseja fazer?
quando a moeda é papel quem introduz essa moeda na vida das pessoas? os bancos, o estado?
qual é o papel dos bancos na monetarização da economia?
como chega a moeda à vida das pessoas? não consigo ver como.

É através do crédito? O banco o intermediário da poupança/investimento recebe galinhas e depois empresta essas galinhas com a promessa de que do investimento vai resultar em mais produção...
só há mais moeda se houver mais produção.

Se for através do crédito os bancos tem um papel absolutamente decisivo. e a moeda só se "alastra" às pessoas mediante a avaliação da aplicação da poupança pelos bancos.



ESCREVEU ISTO:
Só depois da WWII, os governos começaram-se a preocupar com a estabilização dos preços porque deu-se conta que as oscilações criavam dificuldade no ajustamento da economia.
Criam porquê? pensava que as oscilações é que garantiam que o ajustamento se fazia.

Podia comentar a notícia:
A Comissão indica que pôde concluir, com base na análise já feita, que a produção das moedas de um e dois cêntimos é claramente uma actividade que provoca perdas para a zona euro – face à diferença entre o valor facial das moedas em causa e o preço pago pelo Estado –, estimando que se registe desde 2002 uma perda acumulada total de 1,4 mil milhões de euros.

BC disse...

Ao crescimento económico sucede-se a vontade de liberdade de expressão e pensamento. Permitir uma crescente democratização (para acompanhar o crescimento económico) é essencial se o partido não quiser ver enormes convulsões sociais num futuro mais ou menos próximo.

Temos o presente exemplo da Turquia. Com o crescimento económico, e consequente aumento da consciência da liberdade, as gerações mais novas estão a reclamar liberdade. A teimosia e a repressão de Erdogan é inútil. Quando uma sociedade atinge um certo nível de desenvolvimento não se contenta com liberdades castradas.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code