sexta-feira, 5 de julho de 2013

Foi a maior derrota politica da vida do Portas

O Passos vai-se aguentar.
Se olharmos de forma analítica para a actual crise politica e financeira, não estamos diferentes da noite do dia 5 de Junho de 2011, quando o PSD ganhou as legilativas com 108 deputados e precisava de 116 para ter maioria absoluta.
Nesse dia, e ainda hoje, faltaram 8 deputados para o Passos ter maioria absoluta pelo que iniciou conversações com o CDS (que tinha e tem 24 deputados) para formar governo. A taxa de juro da divida pública a 10 anos estava nos 10%/ano e hoje está nos 7.2%/ano.
Se no dia 6 de Junho de 2011 ninguém falava em eleições antecipadas. Mantendo-se hoje exactamente a mesma situação politica, é uma imbecilidade dizer que as eleições antecipadas são inevitáveis.
Estou hoje, dia 5 de Julho de 2013, mais convencido que o governo vai acabar a legislatura do que estava no dia 5 de Junho de 2011.
 
O Passos não é como parece.
Sempre estranhei como o Passos Coelho conseguiu chegar a líder do PSD. Perguntava-me como era possível um bonacheirão que nunca levanta a voz e que está sempre sorridente sobreviver à máquina trituradora do PSD e derrotar as facas afiadas do Rui Rio, Alberto João Jardim, Ferreira Leite, Capucho, etc., etc., etc.
A questão é que o Passos não é o que parece. Nós estamos habituados a que uma pessoa dura na acção tenha um comportamento duro no dia a dia, tipo Sócrates que parece um cão enraivecido. Mas a fibra do Passos é diferente, mais do tipo  da Sr.a Merkel: fofinho por fora mas com uma fiada de dentes que, quando morde, até ossos corta.

Fig. 1 - A hiena parece um cachorrinho ternurento mas, quando crava os dentes, vai até ao osso.

Longos dias têm 100 anos.
Eu acompanho, enquanto bloguista, a carreira politica do Passos que sempre me pareceu estar à beira do fracasso total. A vida do moço parece um aqueles dias de mar bravo em que estamos a observar os banhistas. Vem a onda e as cabecinhas desaparecem mas, passados uns 5 segundos, reaparecerem todas à tona da água.

Fig. 2 - Quando vier a onda, tudo isto desaparece para logo reaparecer. Estas gajas boas devem ser caras como tudo. Nem com a reposição do subsídio de férias vou lá.

Quando em 2008 se candidatou contra a Ferreira Leite e o Santana Lopes para a liderança do PSD, ninguém deu um tostão por ele. Toda a gente o tratou como um bebé birrento, sem ideias e que caminhava a passo largo para se estatelar contra uma parede. Mas o homem andou, andou, andou e, na noite da contagem dos resultados, ficou em segundo lugar a apenas 6.8 pontos da lista vencedora. A Ferreira Leite ficou tão danada que lhe fez uma guerra total (que continua).
Qualquer um teria desaparecido, mas o bicho susteve a respiração, mergulhou e ficou à espera que a onda passasse.

Depois da derrota do PSD de 2009, a Ferreira Leite saiu e, de entre os candidatos putativos, o Rui Rio aparecia com 90% das intenções de votos. Mas o Rio penso, pensou, pensou e imaginou-se a ser trucidado por um Sócrates com o freio nos dentes. A estratégia do Rio era meter alguém a aguentar 4 anos de desgaste de um super-Sócrates para, em 2013, aparecer como o salvador da pátria.
Mas o Passos Coelho avançou num partido desanimado e derrotado e ganhou porque os graúdos não quiseram ir a jogo porque pensaram que era a fajões.
O coitado, por ter sido excluído pela Ferreira Leite do Parlamento, penou. Quem o safou nesta fase foi o Relvas que tinha uns contactos na comunicação social e conseguia que ele aparecesse uns segundos de vez em quando para dizer umas banalidades.
Foi uma verdadeira travessia do deserto que até dava pena mas o bicho susteve a respiração, mergulhou e ficou à espera que a onda passasse.

A crise rebenta e o Sócrates demite-se.
Em Fevereiro de 2010, altura das eleições internas no PSD, eu excrevi que o Sócrates nos estava a encaminhar para o fracasso (O  endividamento de Portugal à luz da New Macroeconomics).
Eu vi que o Sócrates caminhava a grande velocidade em direcção a um muro de betão mas o Rio não viu. Se tivesse lido este meu texto (e acreditado), via que, se queria ser primeiro ministro, estava na hora de se candidatar a lider do PSD. Mas, por essa altura, eu ouvi o Rio na Antena 1 dizer "não aprendi nada enquanto fui aluno da FEP". Perdeste a oportunidade.
Aconselho vivamente que leiam este meu pequeno texto porque prova que a teoria económica tem capacidade de previsão. E não havia Gasparzinho nem Passos Coelho.
Na altura, os meus colegas universitários, muitos deles no governo do Sócrates, fizeram-me uma guerra sem quartel. Chegaram a pressionar a editora dos Working Papers para que retirasse esse meu texto de circulação.
O problema é que, infelizmente, o Futuro veio-me a dar razão. Não há maior prova da pertinência da aplicação da economia "nova clássica" ao caso português (o tal neo-liberalismo dos esquerdistas) que o facto das suas previsões feitas em 2010 (quando os "sábios" diziam que estava tudo a correr bem)  se terem concretizado.
O Passo Coelho chegou a primeiro ministro porque muita gente que se pensa sábia fez cálculos errados. O Passos perseverou contra ventos e marés e calhou estar no sitio certo à hora certa.

As sondagens foram-lhe sempre negativas.
Apesar de o Sócrates se ter demitido porque o país entrou em bancarrota, durante a campanha recuperou. Até ao fecho das urnas, as sondagens mostraram um PS em  empate técnico com o PSD.
O principio de este blog teve por objectivo combater o Sócrates. Não acreditava que o nosso povinho fosse tão burrinho que fosse dar uma nova vitória aos que nos tinham levado à bancarrota. 
Por fim, o Passos ganhou à ultima da hora.


Fig. 3 - Apesar de faltarem ao PSD apenas 8 deputados para a maioria absoluta, o Governo tem estado sempre no fio da navalha

Os 2 anos de governo.
O governo tem estado sempre no fio da navalha. Volta e meia eu tenho antecipado que está breve o desmoronar do Governo.
O Portas é vaidoso, frio e calculista aparecendo sempre com o corpo hirto e a cara enjoada como quem tem uma gravíssima prisão de ventre. Parece um pavão com o papo cheio de pedras.
Os cortes dos subsídios, os aumentos dos transportes e das taxas moderadoras, o fecho dos centros de saúde, o corte dos subsídios, a aplicação da CES aos pensionistas, etc., etc., etc. foram um treme treme porque o Portas aparecia sempre a discordar.
Vinha a Troika, o Gasparzinho negociava uma coisa para logo o Portas dizer "eu avisei que era contra, que é uma linha vermelha que eu não posso permitir".


Mas o Passos não estava  a dormir.
Para governar, o Passos tem que continuamente esvaziar as oposições dentro do PSD e do CDS. Tem que anular aquelas facas todas que apenas querem dinheiro para gastar.
Cada vez que o Portas aparecia a torpediar uma medida de controle orçamental e o Passos recuava, inchava em volta do seu umbigo. Mas o Passos estava-lhe a dar corda para ele próprio se enforcar. Lentamente, toda a gente começou a ver que o Portas estava num delírio pessoal.

Fig. 4- Está com essa cara de pavão mas já te fiz a cama. Vem aí uma marretada para essa careca que nunca mais te endireitas.

Para onde quer o CDS levar Portugal?
Afinal o que move o Portas? O interesse de Portugal? O interesse do CDS?
Apesar de a comunicação social querer transmitir a ideia de que o CDS é o Portas, de facto, os bastidores é que têm o poder e o Passos foi-lhes colocando exactamente estas perguntas.

Terá sido a demissão do Gasparzinho estratégica?
Não.
O Gasparzinho chegou mesmo ao esgotamento físico.
O Gasparzinho é uma pessoa como eu, nada habituado a que as pessoas discordem dele.
A gente ensina qualquer coisa e os alunos não estão na aula com o objectivo de saber se isso está certo ou errado mas apenas pretendem responder no exame tal e qual o que dizemos.
No mundo da política ninguém quer saber se o Gasparzinho está certo mas afirma sempre que está errado. As pessoas gritam, insultam, tratam mal com o único objectivo de captar para o si os recursos escassos da nossa sociedade.
Cada um acha-se com o direito de ter coisas sendo que não quer saber se, para isso, outros têm que viver privações.

Como é possível que um aluno custe ao Estado 400€ por mês?
Um aluno que termina o 12.º ano custou ao Estado 60000€ e 80% deste custo foram salários dos professores.
Como é possível o Estado gastar tamanha fortuna?
São 500 milhões€ por mês que o Gasparzinho tinha que arranjar só para financiar os custos dos alunos do primário e secundário e mais 170 milhões € por mês para o superior. 2/3 de todo o IRS vai directo para a educação.
Os professores, os país, os alunos estão-se borrifando, o Gasparzinho que se arranje.
A politica é uma guerra sem regras e o Gasparzinho não aguentou mais.

Mas meter a Maria Luís foi uma rasteira.
A segunda parte do mandato do Passos Coelho vai ser muito pior que o primeiro pois vai ser preciso cortar verdadeiramente o défice do Estado.
Como mostrei no último poste, a divida pública está, desde 2005, a crescer 1100 milhões€ por mês (um défice de 7.8% do PIB) e é preciso descer isso para, no máximo, 2.5% do PIB. Estamos a falar de qualquer coisa como um corte na despesa e aumento nos impostos de 9000M€, 4700 M€ a aplicar já em 2013/14 e esperar que a retoma económica anule os restantes 4300M€.

O Portas dizia que queria cumprir o Memorando.
Mas quando se fala da necessidade de aumentar os impostos, o Portas diz que não e que é preciso cortas genericamente na despesa pública.
Quando se fala concretamente em cortes na despesa, o Portas fala de outra coisa e ameaça com uma crise política.
Então, como vamos dar cumprimento ao Memorando se o Governo não pode aumentar os impostos nem cortar na despesa?

Agora, o Cavaco quer dar a machadada final.
O CDS já disse que mantém o apoio ao Governo mas o Cavaco não quer o Portas a passear por aí. Quer a destruição total ao estilo dos editoriais que o Portas escrevia no Independente.
Como o Portas escreve que a sua demissão "é irrevogável", o Cavaco ao dizer que dissolve o Parlamento se o líder do CDS não estiver no governo está a forçar a que o CDS substitua a sua cabeça.

Ainda há outra hipótese.
Pelo menos 15 dos 24 deputados do CDS comprometerem-se com o Presidente da República a absterem-se sempre e sem condições. Ficarão 108 votos do PSD contra 107 votos da oposição. Não é preciso mais.

É o fim do Portas.
Mas pode ser que ele sustenha a respiração, mergulhe e aguarde que a onda passe.

Tenho que falar um bocadinho no Snowden.
O que o homem disse era verdade. Realmente os USA escutam tudo e todos.
Se, como disse o Jhon Biden, toda a gente sabe disso e faz isso então, qual o crime que o Snowden cometeu para estar a ser perseguido como o mais criminoso dos criminosos?
Alguém dizer o que toda a gente sabe é algum crime?
Eu dizer que no próximo 25 de Dezembro haverá Natal será algum crime?
O homem está inocente e não só deve ter toda a liberdade para viver a sua vida como o Obama tem que pedir desculpa às instituições europeias que mandou escutar.

Finalmente, fiz exame de Judo.
Foi ontem, num dia de calor isuportável e eu estava bastante nervoso porque tenho dificuldade no japonês (os nomes das técnicas).
Mas lá fui fazendo e gostei porque usei uma técnica que o Mestre disse "tenho que ensinar isso que nunca me lembrei". No Jujitsu é conhecida por Kimura mas em japonês é Ude Garami com posição invertida (da guarda).
Passei para 3.º kyu (cinto verde). Nada mal para um azelha.


Fig. 5 - A Ude Garami da posição invertida é surpreendentemente poderosa.


Pedro Cosme Costa Vieira

3 comentários:

VidalFerreira disse...

Boa tarde, professor!

No próximo mês vou-me candidatar à universidade, no curso de Economia, provavelmente na FEP ou na Nova (ainda estou indeciso) e gostaria que me escrevesse para o mail: diogo.vidal.ferreira@gmail.com sobre a situação atual do mercado de trabalho para os licenciados em economia (desemprego, nível de salarial, ...) e qual das universidades deveria escolher, isto tendo em conta a sua experiência como docente universitário.

Agradecido. Cumprimentos.

Económico-Financeiro disse...

Estimado Vidal,

O valor de mercado de um licenciado tem, como principal componente, a pessoa.
É mais valiosa uma pessoa boa depois de andar numa escola fraca que uma pessoa fraca depois de andar numa escola boa.
Em Portugal existem muita escolas de economia boas, sejam as Nova e FEP que refere como o Minho, Aveiro, ISEG, ISCTE, Católica (sem esgotar a lista).

Aversão ao risco.
A evidencia empirica indica que os alunos têm mais dificuldade de adaptação às escolas de "elite" existindo uma probabilidade elevada de, à menor vacilação, o aluno ver destruida a sua autoestima.
O Vidal deve perguntar às pessoas do seu circulo social que frequentem cursos de economia e que pensa terem uma capacidade identica à sua (intelectual, de trabalho e de resistencia) como tem sido a sua adaptação.
Por vezes o óptimo é inimigo do bom.

Quando ao mercado.
A coisa está um pouco mal mas é transversal a todos os cursos.
Cada vez a escolaridade é menos escassa pelo que as licenciaturas são menos valorizadas em termos de euros. Ninguém pode negar que existem ex-alunos da FEP desempregados e a ganhar pouco mais que 500€/mês mas não nos podemos esquecer que o desemprego jovem está na ordem dos 40%.
Naturalmente que tirar um curso (pelo menos numa universidade pública) é positivo porque o aluno recebe um bem que custa dezenas de milhares de euros ao Estado.

A escolha óptima vai ainda depender de outras variáveis como, por exemplo, a proximidade.

Uma braço,
pc

BC disse...

Acima de tudo foi uma derrota para o país.

Portas passa a interlocutor com a troika numa altura em que temos de apresentar cortes/reformas de €4,7MM. E Portas não quer reformar o Estado.

Para ministro da Economia vai Pires de Lima que há 12 meses vêm defendendo o "alívio" da austeridade para promover o crescimento.

E para o Ambiente/Energia fala-se de Moreira da Silva que é um ortodoxo do ecologismo, o socialismo do séc XXI.

Se isto não é um desastre à vista então não sei o que será...

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code