sexta-feira, 26 de setembro de 2014

As ilegalidades do Passos Coelho

O Passos foi denunciado pelo anónimo. 

Disse o anónimo que, "no passado", o Passos foi deputado com exclusividade e recebeu dinheiro de uma empresa qualquer. 
Como estão a ver, o problema de meter tudo "no passado" é como meter tudo "no mar", são coisas muito grandes. 
"No passado" D Afonso Henriques e o D Manuel II governaram o mesmo país (mas não em simultâneo).
"No mar" tomei banho ao mesmo tempo que a Irina (mas calhou em locais muito distantes).

O que se terá provavelmente passado.
O Passos Coelho foi deputado com exclusividade algures no passado, entre 1991 e 1999.
O Passos Coelho recebeu dinheiro da Tecnoforma algures no passado, 2ntre 2001 e 2007.
Foi tudo no passado mas não ao mesmo tempo.

Mas há alguém que nunca tenha cometido uma ilegalidade?
Tenho a certeza que, ao longo da sua vida, o Passos Coelho violou a Lei variadíssimas vezes, talvez tantas ou mais do que qualquer um de nós.
  Há alguém que nunca tenha copiado num teste?
  Há alguém que nunca tenha feito um pedido para arranjar um emprego para um filho?
  Há alguém que nunca tenha excedido a velocidade máxima?
  Há alguém que nunca tenha calcado um risco contínuo?
  Há alguém que nunca tenha estacionado num sítio proibido?
  Há alguém que nunca tenha metido umas despesa duvidosa no IRS?

Eu já cometi muitas violações à Lei. Por exemplo, ando há 4 anos no Judo e, nesse tempo, já tive umas 400 aulas. Será que no dia 20 de Setembro de 2011 meti dinheiro no parcómetro ou será que me esqueci?
Eu sou muito esquecido pelo que tenho a certeza que ... ... ... me esqueci.
Não me esqueci de que me esqueci porque me esqueci sempre, nunca meti dinheiro na máquina. 

Até Cristo pecou.
Há uma passagem num evangelho qualquer em que Jesus diz "alguém que nunca tenha pecado, atire a primeira pedra" e ninguém atirou, nem Ele próprio o que revela que o próprio Jesus cometeu pecados.
Todos nós já pecamos, todos, até o Papa Francisco.

Vamos aos verdadeiros crimes.
Na Segunda Guerra Mundial, a máquina de guerra alemã foi baseada na industria pesada alemã de que o Grupo Krupp era o expoente máximo. Produziram carros de combate, canhões, aviões, de tudo um pouco para dar cabo do canastro ao povinho um pouco por toda essa Europa fora.
Acontece que, no fim da guerra, proprietários, além de verem os bens confiscados, foram metidos na cadeia. O Alfried Krupp foi condenado a 12 anos de cadeia.
E quanto anos esteve preso? 
30 meses.
E depois, o que lhe aconteceu? 
Voltou a ser o dono do império Krupp.
E porquê? 
Porque o grupo estava de rastos e o Krupp era a única pessoa que podia por outra vez a industria pesada alemã a funcionar.
E deu resultado?
Se deu, em poucos anos, a Alemanha voltou a ter uma potência industrial.

Perdoemos ao homem qualquer falhazinha que ele era jovem e inconsciente.
Dizia-se na altura que "se se matassem todos os alemães que cometeram crimes de guerra, deixaria de haver alemães pois os únicos inocentes que existiam já tinham sido mortos pelos que estavam vivos".
Nós precisamos do Passos. Se o Cavaco e a Ferreira Leite já lhe perdoaram a vida negra que ele lhes fez viver, também temos que o perdoar  qualquer as falcatroazita que ele possa eventualmente ter feito.  

Fig. 1 - Nesta imagem vê-se claramente que o anónimo é o Rui Rio.

Quem era o anónimo?
Claramente o Rui Rio em conluio com o António Costa.
É que o homem está a ficar sem tempo, está a ficar sem espaço de manobra. O Costa disse que o seu adversário era o Rio.
O óptimo seria o Passos demitir-se hoje, o Costa ganhar no Domingo e o Rio entrar triunfante na Segunda-feira. 
Mas, pelo hoje, já fracassou.
O Rio já passou à história, e escrevo declaradamente história com letra pequena. Não vai passar de um autarcazeco equivalente ao Cabral (será que alguém se lembra deste?).

E o aumento do salário minímo?
Em termos económicos é um erro mas, em termos políticos, é totalmente acertado.
É errado porque, relativamente ao PIB per capita, o nosso salário mínimo é muito elevado.
É acertado porque foi acordado entre os representantes dos patrões e dos empregados.
É acertado porque, mesmo descendo a taxa da TSU de 34,75% para 34%, a Segurança Social recebe mais. Em 485€ recebia 168,54€ e em 505€ recebe 171,70€.
Por isso, o Passos ser contra o aumento causaria um enorme desgastante político.

Eu já defendi um desconto na TSU.
Para integrar no mercado de trabalho as pessoas menos produtivas que vivem no interior do país, o Salário Mínimo deveria ajustar ao nível de vida concelhio.
Os 505€/mês, com subsídios, correspondem a 725€/mês para o empregador e 524€/mês para o trabalhador.
A minha ideia seria que esse custo diminuísse nos concelhos com menor PIB, por exemplo, haver um desconto de metade da diferença para a média nacional, parte suportada pelo desconto na TSU de forma a que, no mínimo, o trabalhador recebesse 419,22€/mês (o IAS que só é pago 12 x por ano <=> 360€/mês).

Concelho     PIB      SMN-empregador  SMN-Empregado        TSU
País            100%           725€                         450€               11% + 23%
Alcobaçã    80%             652€                         430€                 8% + 19%
Almeida      60%             580€                         410€                 5% + 15%
Alandroal    40%             507€                         384€                 2% + 11%
Celorico      23%             453€                         363€                 0% +  7%

* No cálculo do SMN do empregador uso 12 meses e do empregado uso 14 meses.

Haver SMN igual causa desertificação.
As terras têm PIB per capita diferente porque não há infra-estruturas. Mesmo assim, há pessoas que preferem viver nessas terras mais pobres e ter um emprego. Mas ser o SM igual em Lisboa (PIB de 385% da média) e em Resende (PIB de 26% da média) faz com que as empresas de Resende, que são menos produtivas, não possam contratar as pessoas que querem trabalhar mesmo que por um salário mais baixo porque têm aqui a sua casa e as suas relações sociais.
Seria como termos o mesmo SMN que o Luxemburgo, 1874€/mês: as empresas faliam todas.

O Passos sobreviveu.
Concluo o dia com a certeza que o Passos vai sobreviver ao caso Tecnoforma e o aumento do SMN é um passo largo para a reeleição.
Estou cada vez com mais esperança de que o Passos ganhem as legislativas de 2015.

Fig. 2 - Estou cada vez com mais esperança (de que esse piscar de olho seja para mim)

Pedro Cosme Costa Vieira

19 comentários:

Pedro Alexandre disse...

Caro Professor,

Este ataque político ao Passos é um claro sinal de desespero vindo das bancadas da esquerda, mas também com a ajuda dos camaleões que existem um pouco por toda a política, mais concretamente por uns quantos que vivem de discursos sociais nos partidos da direita.

Isto para mim não é surpresa nenhuma, isto é o habitual clichê da política em Portugal, só interessa falar de novelas, trabalhar está quieto, a maioria dos deputados daquele parlamento devia ter vergonha porque eles fazem o mesmo a toda a hora.

Se o Passos fez algo de ilegal deve responder por isso, o Passos já disse que não, mas acho que isto é mais um ataque pessoal vindo na altura perfeita em que o governo vai aumentar o SMN, e numa altura em que o PS está a cair a pique nas intenções de voto e que a troika já não está no país.

Cumps

Fernando Gonçalves disse...

Popularidade por aumentar o salario mínimo em um café por dia?Espero bem que perca as eleições.Volta PS,estás perdoado.

Antonio Cristovao disse...

O que se pretendia abalara a imagem impoluta do PC já está.
Como ninguem avança com o que importava =discutir como tecnoforma,partex e outras do genero torraram tantos milhoes de euros a formar tipo guardadores de terrenos para poisar avioes que nao temos, penso que os objectivos da "oportuna" denuncia foram conseguidos.Agora só falata mandar os submarinos para integrar a coligação dos amigos do petroleo e combater o ISIL

Portuendes disse...

Sobre o Passos Coelho e o caso-Tecnoforma, acho que, jovem como era, foi convencido na altura a entrar numa empresa, ganhar uns cobres e, no fim, pedir os subsídios de reintegração porque "toda a gente o fazia e ninguém era apanhado" (é verdade!). Ele teve o azar (ou a intervenção de alguns correlegionários invejosos( e acabou por ser o único a ser apanhado. Tough luck! Para mim é uma chatice, pois tenho que o PC é o melhor PM desde o 25 do 4, mas, em última analise, não o ilibo, nem posso perdoar e prefiro até que ele seja castigado (e nós com ele) pois nisso (honestidade dos políticos) sou muito moralista e tenho que uma das principais causas do sermos um país europeu relativamente pobre deve-se à falta de honestidade generalizada. Repito: se acabar por sair, é pena pois o que vier será muito pior, mas pode ser que ganhe alguma coisa e o próximo tente ser mais honesto. Há que ter esperança.

Chilavert disse...

Não percebo porque se há de "perdoar" Primeiro Ministro pelas suas ilegalidades.
Não estamos a falar de uma multa de estacionamento ou de falta de cinto de segurança ou até mesmo da falta de pagamento de uma factura no prazo.
Estamos a falar de pagamentos irregulares feitos por uma empresa(dos quais todos os registos convenientemente desapareceram) ao actual primeiro ministro quando ele tinha um regimo de deputado por exclusividade.
Se o Professor não percebe qual eu problema eu terei todo o prazer em elucidar.
As pessoas(os portugueses/contribuintes) estão um pouco fartos de que façam ilegalidades com o dinheiro dos impostos que pagam e que as pessoas que cometam ilegalidades passem impunes.
Ora se o professor passa a vida aqui a diabolizar o reinado Socratista(impunidade ao seu mais alto nivel) era de esperar uma coerencia e que condena se veementemente o comportamento passado actual Primeiro Ministro mas afinal pede aqui uma "absolvição".
Agora eu pergunto: porque é que os erros da esquerda são mais criminosos que os erros da direita?
No que me diz respeito um crime é um crime á esquerda á direita ao centro em baixo ou em cima...
O que me parece é que o proprio Professor deu um tiro auto infligido na sua credibilidade com este artigo e que apesar de concordar consigo em algumas das suas ideias, demonstra que está tambem demasiado apegado a ideologias e cores politicas para conseguir debater ou discutir ideias de forma aberta e descomprometida.
Não sei se tem reparado nos sitios que frequenta de uma inversão total no discurso das pessoas com que se cruza.
Já ninguem distingue direita de esquerda, as pessoas só distingue quem quer continuar com status quo ou se quer mudanças para um futuro melhor(quase não se vislumbram).
Já agora o professor(se conseguir despir a camisola que veste) está de que lado?

Económico-Financeiro disse...

Amigo Chilavert,
A questão do Passos não se trata de nenhum crime. Trata-se de alguém, o "Vasco" para desviar para a esquerda - o camarada Vasco Gonçalves, que alegou que o Passos receber +10% enquanto deputado e que não podia.
Na pior das hipoteses, teria que devolver esses 10%.

E, pelos documentos, o Passos recebeu os +10% entre 1991 e 1999 e as tais maquias de 2001 a 2007. Os tais 150000€ a dividir por 6 anos dá 1786€por mês brutos, que não é grande coisa para se viver.

Eu estou do lado da mudança, do progresso e essa mudança não passa por meter lá de novo o Guterres e o Sócrates e muito menos o Santana Lopes (rebaptizado como Rui Rio).
Um abraço,
pc



BC disse...

Professor,

Falta-me a fé para acreditar que o Costa perde com Passos. Citando o próprio, acho que ontem foi mesmo o primeiro dia do fim deste governo.

A propósito calha bem este texto do Henrique Raposo:

http://expresso.sapo.pt/bater-em-seguro-era-um-dever-bater-em-costa-sera-um-prazer=f891411

Pedro Alexandre disse...

Caro Fernando Gonçalves,

Por acaso não é funcionário público? Ontem foram em massa às urnas... Eu vou-lhe explicar como funciona o sistema político em Portugal.

O PS é igual ao PSD, mas o PS para chegar ao poder usa a estratégia de falar para os mais pobres, e o PSD tenta cativar a classe média, porque só uma classe média forte se sustenta um estado social cada vez maior.

Depois o socialismo é tão generoso que quem paga é a classe média e toda a economia, e não os políticos xuxas que as praticaram, mais tarde o povinho volta a votar no PS porque ficou ainda mais pobre, mas como esta já é a terceira bancarrota o povinho já percebeu que a economia xuxa é uma farsa, e já mandou o PS ir dar uma voltinha ao largo do Rato.

Cumps

Ricciardi disse...

Caro Pedro Cosme,

O seu raciocinio, no que diz respeito ao SMn, não tem lógica dentro dos seus próprios critérios economico-cientificos.
.
Pois então, se o SMn fosse diferenciado pelo PiB de cada concelho, isso significava que em Vila de Rei, por hipotese, se praticaria um SMn de 250 euros e em Lisboa, que tem um PiB per capita superior ao resto do país, se praticaria um SMn de 750 euros.
.
Ora, o pessoal de Vila de Rei rumaria a Lisboa à procura de melhor salário. Os Salários em Vila de Rei, à falta de mão de obra, teriam de subir e assim liquidar os negócios que por ali têm. Por outro lado em Lisboa haveria excesso de procura de trabalho face à oferta (desemprego em Lisboa). E o que é que acontece neste casos? sim, os salários diminuiriam. Mas como não podiam diminuir de imediato porque se tratava de de um SMn, os negócios faliam.
.
O pessoal de Vila de Rei regressaria então à terra de onde nunca deviam ter saido, porque, afinal, lá já estavam a praticar melhores salários e em Lisboa o desemprego estava alto.
.
Dessa forma os salarios voltavam a descer em Lisboa e os salários em Vila de Rei voltariam a descer com o regresso do pessoal.
.
No fim de contas estava tudo na mesma. Ou pior. E vc tinha que resolver novamente o problema que agora se propõe resolver.
.
Como se percebe o mercado, num ambiente aberto, não pode ter esse tipo de politcas economicas, porque resultam em nada. A única coisa que podia fazer era uma discriminação de salários em função do Salário Médio nacional tendo em conta o sector de actividade de cada empresa. A idade, essa, já está prevista na actual lei que prevê que um jovem possa receber 80% do SMn.
.
Cumpts.

Rb

Ricciardi disse...

Quanto a Passos Coelho. Um gajo até perdoa as faltas do homem, desde que o critério seja sempre o mesmo. Sempre que algum politico incorrer nalguma ilegalidade cá estaremos para perguntar se há alguém que os não tenha cometido. Vai em paz e que o Senhor te acompanhe. Ahhh, mas não voltes a pecar, ouviste?
.
Pronto, se ele voltar a pecar leva com o dobro da pena e repõe-se o processo perdoado.
.
Parece-me bem.
.
Rb

Económico-Financeiro disse...

Ricciard,
O SM no Luxemburgo é de 1921€/mês e as pessoas de Vila de Rei têm tanta liberdade para ir para Lisboa como para ir para o Luxemburgo e, tanto quanto sei, ainda não foram todas.
Lembro-me que lá se ganha mais que no Brasil e que os brasileiros não quizeram ficar lá.
As pessoas estão dispostas a ganhar substancialmente menos para estar no sítio que gostam.
Os meus colegas que estudaram nos USA poderiam ter lá ficado a trabalhar ganhando mais mas, a grande maioria, prefiriu voltar para cá.
No fundo, nós somos como o salmão que gosta de voltar ao seu riozinho.
Um abraço,
pc

Ricciardi disse...

O Luxemburgo fica a 6000 km do Brasil e a uns 1500 de Vila de Rei.
Vila de Rei para Lisboa é como um ribeiro que enforma num rio.
Quando as condições salariais são demasiado baixas, eu diria menores do que 50% do Salario Médio, o pessoal desata a emigrar como o salmão corre rio acima para desovar.
.
É, portanto, uma questão prática que, nem é preciso fazer um esforço muito grande para se intuir. Nós estamos a viver um novo periodo de emigração em massa. Porquê?
- Porque os salários passaram, em boa parte dessas pessoas, para zero.
.
Rb

Chilavert disse...

Ricciardi essa observação sobre o actual Primeiro Ministro presumo que tenha sido sarcasmo.
A grande questão que eu quis expor no meu post anterior é a imagem de impunidade que a classe politica ostenta actualmente.
Parece que podem cometer todas as irregularidades e ilegalidades porque ao fim do dia não vão ser responsabilidades.
Como se sabe o sentimento é de descrença da sociedade na classe politica e estas situações só afastam ainda mais a sociedade da politica, contribuindo para o arrastar do status quo.
A politica precisa de uma sociedade mais participativa e activa

Fernando Gonçalves disse...

Caro Pedro Alexandre,

não sou funcionário público,sou apenas um trabalhador que constata que as empresas se aproveitam do desemprego para pagarem menos do que os trabalhadores produzem,tão simples.

Cityhunter disse...

Caros,

Discute-se muito e fala-se muito... vou ser resumido. Se nao compreendi mal o Professor, estou bem de acordo. Porque se queremos castigar sempre alguem que fez um crime... então invariavelmente quem quer que fosse o Primeiro-Ministro, será sempre condenado. E nunca teremos um 1º PM, pelo menos na sociedade que temos neste momento Talvez temos saber distinguir crimes e crimes. E há crimes em Portugal que todos cometem. Para eliminar esses crimes, o trabalho reside na nossa Justiça, nos juízes, na legislação, e nos próprios portugueses.

Pedro Alexandre disse...

Caro Fernando Gonçalves,

Ainda bem que o aumento do SMN vai acontecer, é da maneira que a flexibilização do mercado de trabalho vai começar a fazer o seu papel, só entra no mercado quem trabalhar.

Tenha juízo em falar de produtividade, o país é uma nulidade em produtividade, se o salário fosse realmente medido em produtividade devia ser de cortar para metade a começar no estado, porque é o exemplo mor do que nada funciona no país.

Cumps

Fernando Gonçalves disse...

Caro Pedro Alexandre,

em Portugal qualquer patronzeco com 3 ou 4 funcionários ganha muito mais que os seus trabalhadores,depressa compram bons carros,claro que depois não podem pagar melhor.

Pedro Alexandre disse...

Caro Fernado Gonçalves,

Tu desconheces como funciona uma empresa, assim como a maioria dos xuxas, e por isso é que chegamos à bancarrota a que chegamos.

Em primeiro lugar os patrões não tem direito a subsidios de férias, de Natal e 13 mês.

Em segundo lugar o patrão não tem salário fixo nem tem direito a subsídio de desemprego.

Em terceiro lugar o patrão é obrigado a pagar os salários dos funcionários de acordo com a suas função no posto de trabalho, quer tenha ou não dinheiro para si mesmo.

Em quarto lugar, todo o dinheiro que as empresas ganham vai para um fundo de investimento e não para o patrão, se esse dinheiro for mexido tem de ser com autorização de entidades reguleradoras.

A realidade do país é que o patrão em Portugal vive na completa miséria, esse mundo em Portugal não existe rapaz.

Cumps

Fernando Gonçalves disse...

Caro Pedro Alexandre,
Não conheces os empresários que eu conheço então.Desde proprietários de restaurantes e tabacarias de fundo da esquina, é vê-los de mercedez para cima,os filhos em escolas privadas e têm cada mansão,sem falar em casa de férias.os seus empregados?ganham 500 euros.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code