sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Missão Impossível

Ok, o António Costa ganhou o PS. 
O Seguro bateu-se com valentia mas não foi capaz de resistir ao regresso do D. Sebastião. 
No final das contas, por cada voto que o Seguro teve, o Costa teve 2. 
Foi bom para o Costa. 
Foi bom para a velha guardar, onde se inclui o desaparecido Ferro Rodrigues, sair da naftalina. 

Mas aguarda-o uma missão impossível. 
A jornalista pediu-se para comentar a vida futura do Costa e. depois, escreveu um material que pode ser visto aqui => ("Missão impossível" de Costa vai ser compatibilizar expectativas com realidade). 
É que o homem diz que não se compromete com nada mas anuncia aos ventos que vai por "outro caminho" o que me traz à lembrar um famoso discurso do Samora Machel (alegadamente): 
Meus Camarada, quando Frelimo tomou o poder, Moçambique estava na borda do precipício, agora, com Samora, já deu três passo na frente. 

Fig . 1 - O Passos meteu-nos à beira do precipício e, com o Costa, Portugal vai dar um passo em frente.

Será o "outro caminho" o voltar ao caminho do Sócrates? 
O Costa, no início da sua caminhada, disse que temos que continuar a obra do Sócrates, continuar a sua "política de crescimento". 
Nos 6 anos que durou o reinado do Sócrates, cada português (famílias, empresas e estado) endividou-se (a preços de 2005) 13500€ face ao exterior. 

Endividamo-nos 187€/mês, que se juntou ao nosso rendimento.
Seis anos em que, além do que produzimos, no fim do mês tivemos mais 187€ para gastar. Naturalmente que vivíamos melhor que agora que estamos sem esses 187€ por mês
Interessante que até 2008 estivemos taco a taco com a Irlanda e a Espanha mas, em 2009, a Irlanda começou uma politica de austeridade. Nós continuamos. 
O nosso socialista Sócrates manteve-nos taco-a-taco com o seu camarada Zapateiro da Espanha. 
Foi, como se diz agora, copy e paste do princípio ao fim.

Fig. 2 - Endividamento do tempo do Sócrates (dados: Banco Munidal)

Agora, quanto crescemos no tempo do Sócrates?
Se estivemos um endividamento externo massivo, nós mais a Espanha e a Irlanda devemos ter tido um crescimento colossal. O caminho do Sócrates e o do seu camarada Zapatero (e daquele camarada grego muito gordo e que se endividou ainda mais) deve ter atirado o nosso PIB per capita para valores astronómicos. 
O PIB per capita deve ter aumentado googles de € por pessoa.
Vou então confirmar isso nos dados, esperem um pouco, estou a ver, a ver, já fiz o download, agora fazer o gráfico, mau isto tem um erro qualquer, não pode ser, eu estou a ver mal.
Fazer outra vez a query, fazer o download dos dados, meter no Excel, fazer novamente o gráfico, eu devo estar a ver mal. Não pode ser.
Os dados do Banco Mundial dizem que, em 2011 relativamente a 2004, o nosso PIB per capita ficou praticamente na mesma.
Isto não pode ser, os dados do Banco Mundial foram martelados pelo desaparecido gasparzinho a partir do FMI. 

Fig. 3 - Crescimento económico (PIBpc) do tempo do Sócrates (dados: Banco Mundial)

O caminho do Sócrates não é o "outro caminho".
Definitivamente, voltar atrás não vai ser o "outro caminho" sobre o qual o Costa tem prometido a salvação do nosso povo.
E como eu preciso desesperadamente desse "outro caminho" porque já me habituei a estes últimos 4 mesitos sem cortes.

Será o "outro caminho" o caminho do Passos?
Não pode ser porque é exactamente esse "caminho de austeridade" que o Costa, juntamente com o seu camarada Holland, dá a entender que vai combater.
Não promete nada mas, quando diz que é contra os aumentos dos impostos, dos cortes de salários e das pensões, se chegar ao poder, vai anular essas coisas.
Eu rezo todos os dias para que o homem consiga fazer isso.

O Costa vai ser Prémio Nobel da Economia.
O problema do Costa, ou a sua oportunidade, é que o "outro caminho" não existe (ainda!) na ciência económica.
Há o "caminho" keynesiano que diz que a despesa pública e o investimento público são os motores do crescimento económico. Este caminho faz parte da ideologia esquerdistas e foi este o "caminho de crescimento" que o Sócrates, a Grécia e a Espanha seguiram entre 2005-2011. O problema é que este caminho não só não trouxe crescimento mas também nos endividou até ao tutano.
Há o "caminho" clássico/liberal que diz que a flexibilização dos mercados e a diminuição do Estado fazem com que os privados se tornem o motor do crescimento económico. É este o caminho adoptado pelo Passos Coelho e que o Costa não quer seguir. Este caminho liberal deu grandes resultados, por exemplo, no Chile que se tornou o país mais rico da América do Sul.
Não há mais caminho nenhum.

Então qual vai ser o caminho do Costa? 
Vai ser um caminho que ainda ninguém conhece, vai propor um novo quadro para o pensamento da ciência económica que o vai levar, de certeza absoluta, a ser prémio Nobel da economia.
Esse "caminho Costa" vai ser uma lufada de ar fresco que vai salvar os esquerdistas que ainda existem por esse mundo fora, como seja o camarada Holland.
Coitado do short, é short, short, mas chega para a viola. O moço é danado para o mulherio.

Fig. 4 - Lá vai o Holland na moto com a sua gaja

Eu vou a Fátima a pé.
Para verem como eu não tenho uma mente fechada, todas as noites, nas minhas rezas, penso sempre ao Espírito Santo (ao verdadeiro) que ilumine o camarada Costa a ponto de ele conseguir ver o "outro caminho". Já prometi mesmo que irei a Fátima a pé, ir e vir 100 vezes seguidas e sem beber água nem comer, se o Costa encontrar o seu "outro caminho". 
Um caminho em que o Salário Mínimo Nacional vá para pelo menos os 600€/mês, que o IRS volte aos níveis de 2009, que as regras de aposentação, de acesso ao rendimento mínimo e os salários dos funcionários públicos voltem ao que eram em 2010 e que sejam actualizados, já não peço muito, à taxa de inflação.
Se o homem encontrar este caminho, vou mesmo fazer um pedido ao Papa Xico para que passe a ser, enquanto vivo, cardeal patriarca de Lisboa e, mal morra, daqui a 100 anos, santo milagreiro.

Aquilo de Hong Kong vem da Crimeia.
Se as pessoas de um território podem declarar independência, o mundo entra em convolução porque as regiões mais ricas vão querer declarar a independência. 
O argumento na Escócia e na Catalunha para se tornarem independentes é que pagam mais impostos ao país do que recebem. Mas isso acontece a todas as regiões ricas e chama-se solidariedade territorial. 
Se for legal a Crimeia ou a Catalunha declarar a independência com base num referendo local, também será legal a independência de Hong Kong, de Macau, de Taiwan, de Cabinda, do Algarve ou do arquipélago das Berlengas (só é preciso o voto do faroleiro).

Fig. 5 - Quero a independência das minhas montanhas (são falsas mas são boas)

Mas não há só más notícias. Também temos o Ébola.
Há uns dias apareceu um caso nos USA o que pode ter criado nas pessoas um certo receio de que a epidemia do Ébola esteja descontrolada.
Mas não.
Acreditando nos dados da OMS - Organização Mundial de Saúde, a batalha está a ser ganha pois, desde meados de Setembro, de dia para dia a taxa de aumento do número de infectados tem estado a diminuir.
Estamos com 8 mil contaminados e ainda vamos ter muitos mais contaminados e mortos. Mas, continuando na tendência actual, lá para finais de Março a batalha estará ganha com apenas 60 mil mortos o que, para África, não é nada. 
Recordo que na África Sub-sariana, morrem anualmente  mais de 500 mil de malária (400 mil crianças abaixo dos 5 anos, ver). 60 mil acima ou abaixo não é nada.

Fig. 6 - Desde o dia 15 de Setembro que a taxa de aparecimento de novos casos de Ébola está a diminuir (dados, OMS)

Pedro Cosme Costa Vieira

7 comentários:

Daniel disse...

Caro Professor,

E o caminho da Coreia do Sul, que de um país ainda mais pobre que o nosso se tornou em poucas décadas num dos mais desenvolvidos do mundo, através (parece correto dizê-lo) de medidas protecionistas inteligentes, em que o Estado controlou para onde o dinheiro ia: investimento em indústrias, para exportações, etc.?

Será que o mesmo poderá acontecer em Portugal?

Teria o resultado do nosso "endividamento externo massivo" sido diferente se ele tivesse sido dirigido para investimentos produtivos (indústria, em vez de, e.g., novos cafés)?

Grato.

Pedro Alexandre disse...

Caro Professor,

O caminho do Costa é o caminho da mentira até 2015, como a do Sócrates, ele vai dizendo que tem outro caminho, mas desta vez já não há outro caminho, está tudo falido na Europa.

A lógica xuxa é, se não tens dinheiro aumentas o financiamento externo e depois trabalhas só para pagar dívidas.

Em resumo, a política xuxa é aumentar a despesa pública de tal forma que os défices publicos nos anos seguintes vão naturalmente disparar, até que a dívida externa se torna insustentável e os impostos caiem a pique, assim se faz uma bancarrota xuxa.

Cumps

Fernando Gonçalves disse...

Todo o Mundo fala no aumento do endividamento das famílias e do Estado,mas ninguém refere que o correspondente a esse endividamento se traduz em património imobiliário.As gerações seguintes vão ter a vida facilitada pois já têm casa seja herdada dos pais seja dos avôs.É que por exemplo ter um salario de 800 e pagar 300 eur de casa é completamente diferente de receber 800 eur e já ter casa paga.Gostava que o professor fizesse um post sobre compra de casa.

Helder disse...

Sim, uma casa com, pelo menos, 40 anos. E isso implica pagamentos de IMI e IMT. Para além do mais, enquanto jovens, queremos ser independentes e ter uma casa própria.

Fernando Gonçalves disse...

Caro Hélder,
as casas são património imobiliário.Mesmo que completamente inviáveis para recuperação(no entanto há prédios de 50 anos em mt bom estado),o terreno vale entre a 20 a 30% do valor do imóvel.IMI,condomínio e outras despesas isso paga todo o mundo,quer tenha casa paga ou não.Se herdar uma casa dum familiar que faz?ou vai para lá viver depois de investir na reabilitação,ou então vende nem que seja pelo valor residual.

Helder disse...

Vendo. Partindo da assumpção que há comprador. Enquanto não houver, é uma simples conta de IMI * nº de anos em que não vendo a casa versus valor de venda da casa. Acha mesmo que a primeira parte é, metade das vezes, de valor igual ou inferior à segunda?

Por outro lado, regra geral, quando se herda casa de algum familiar já se tem casa própria, pelo que são 2 encargos.

Fernando Gonçalves disse...

Caro Hélder,se herdar alguma casa venda-me por 1 eur,eu fico com os encargos.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code