sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

A sustentabilidade da dívida pública

Começou um novo ano. 
Se compararmos com o início de 2011, as finanças públicas melhoraram substancialmente.
E a economia, comparando com o início de 2013 (que foi o "buraco") também estamos muito melhor.
Essas melhorias traduziram-se em menos desemprego, menos endividamento externo, mais emprego, mais PIB. Também se traduziram por uma descida das taxas de juros da dívida pública para valores nunca antes observados e apenas previsíveis naquela mente que acusavam de se estar sempre a enganar, na mente do Gasparzinho.

Fig. 1 - Em 2015, deixe-me concentrar, o desemprego vai estar nos 12% e a taxa de juro a 10 anos nos 2,5%/ano.

Mais ninguém se enganou?
Eu enganei-me pois previ que chegaríamos a 2015 com taxas de desemprego acima dos 20%.
Eu enganei-me porque previ que nunca mais a taxa de juro descesse abaixo dos 7%/ano.
Eu enganei-me porque previ que o equilíbrio das contas externas iria causa uma contracção no PIB de 30%.
Eu enganei-me porque previ que iríamos sair da Zona Euro.
Nada disto aconteceu.

Ainda bem que me enganei.
Eu costumo dizer aos meus alunos que devemos apostar sempre que o nosso clube do coração perde.
Assim, se perder, ficamos tristes mas, para compensar, ganhamos o prémio. Se ganhar, ficamos contentes mas, para compensar, ficamos com o prejuízo.
No meu caso, fiquei triste por me ter enganado mas, para compensar, acabei de ser aumentado em 40€/mês.

E cadê os outros?
Tantos e tantos esquerdistas batalharam em torno da "espiral recessiva", da "destruição do Estado Social" e da "carta!"
Alguém se lembra ainda da "carta"? Daquela guerra entre o Seguro (e toda a esquerda) com o Passos Coelho por causa de uma carta que foi enviada para não sei onde?
O que será feito dessa carta?
Faz-me lembrar o Terceiro Milagre de Fátima que animou os portugueses durante décadas e, de um dia para o outro, desapareceu.
O que será que dizia a tal "carta" que foi mote da novela política?
Então onde estão essas pessoas que se enganaram a dizer "afinal, o Gasparzinho acertou mais do que nós"?

Vamos agora á Dívida Pública.
Portugal deve 130% do PIB.
A taxa de juro a 5 anos está em 1,36%/ano.
A taxa de inflação prevista é de 1,9%/ano
O crescimento do PIB vou prever que seja 1,5%/ano

Cenário 1 - Não pagamos nem um euro.
Este cenário traduz que, tirando os juros, a despesa pública iguala a receita pública.
Então, não se vai amortizar a dívida pelo que os juros vão passar integralmente para nova dívida. Todos os anos, vamos ao mercado pedir dinheiro emprestado para amortizar a dívida que se vai vencendo mais o dinheiro necessário para pagar os juros.
De facto, isto é totalmente equivalente a não pagar nunca a dívida, nem um cêntimo quanto mais um euro.
Por estranho que pareça, mesmo não pagando nada mas dizendo que vamos pagar tudo, a divida vai diminuindo.
Neste cenário "tapa buracos", em 2050 a nossa dívida pública estará reduzida a metade, a 65 % do PIB e, daqui a 100 anos, já teremos "pago" 90% da actual dívida.

Muito estranho.
Ao dizermos que vamos pagar tudo, mesmo não pagando nada, a dívida vai sendo cada vez menor.
Isso acontece por causa da inflação (de 1,9%/ano) ir degradando o poder de compra do dinheiro (do stock da dívida) e por o crescimento económico (de 1,5%/ano) ir tornando o stock da dívida relativamente mais pequeno.

Cenário 2 - E se pagarmos 1% do PIB?
Neste caso, pagaremos 1700M€ por ano em juros e amortização (crescente à taxa de inflação e do crescimento do PIB).
Já é qualquer coisinha mas não é nada em comparação com os 8 mil milhões € anunciados pelos caloteiros catastrofistas xuxalistas.
Neste cenário de "pagamento ligeiro", em 2050 já teremos amortizado 70% da nossa dívida e, em 2080 já não deveremos nada.
Entregando todos os anos apenas 1% do PIB para pagar juros e amortizações, em 2080 já não deveremos nem um cêntimo. 

Como compara com o orçamento da saúde?
Os caloteiros catastróficos xuxalistas dizem que "é preciso pagar em juros tanto como gastamos em saúde".
Isso é totalmente falso pois, em termos técnicos, comparam coisas não comparáveis pois estão a comparar uma grandeza fixa em termos nominais (os juros) com uma grandeza que cresce proporcionalmente ao PIB.
No OE2015 a saúde fica com 5% do PIB.
Vamos então supor que 5% do PIB vai para a amortização da dívida. Então, daqui a 20 anos já não deveríamos nem um tostão. Os 220 mil milhões € de dívida pública já estariam totalmente amortizados.
E, concerteza, não vamos amortizar a dívida em 20 anos.

O que diz o "tratado orçamental."
Diz que, quando a dívida pública está acima dos 60% do PIB, é preciso reduzi-la em 2% do PIB cada ano.
Então, se em 2015 estamos com 130% do PIB, teremos que atingir 60% do PIB em 2040.
E para isso, precisamos de exactamente +1% de saldo primário
Em 2013-2014 o saldo primário foi de -0,5% do PIB e em 2015 está previsto que seja +0,9% do PIB.
Por isso,  é razoável prever termos no longo prazo uma média de +1% de saldo primário.

Quando nos endividamos.
No tempo do Guterres e do Sócrates nenhum desses caloteiros que se dizem tão preocupado com a Economia portuguesa veio dizer "parem com o défice e com o endividamento que, mais tarde, isso vai-nos asfixiar."
Nada disso, foi "mais défice e mais dívida que precisamos de manter o Estado Social."
O Sócrates dizia mesmo que era sustentável pagarmos uma taxa de juro de 7%/ano.
Onde estavam os caloteiros nessa altura?
Talvez na PT, no BES, na TAP, na CGD ou noutro tacho qualquer a ganhar milhares.

Fig. 2 - Não te preocupes que podes ter tudo isto por 1% do teu orçamento.

E como vão as minhas eleições?
Vai andando.
Até parece a contenda Passo / Costa.
Eu ataquei com um blog onde digo coisas, apresento propostas, faço trinta por uma linha mas a "oposição" mantém-se calada, fazem de morto.
Como disse o Presidente Cavaco, procuro não fazer promessas demagógicas mas, às vezes, a pena foge-me.
Vamos a ver no que dá lá para Março.

Fig. 3 - Cuidado que pode estar só a fazer de morto.

Pedro Cosme Vieira

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code