quarta-feira, 29 de abril de 2015

Eu sou racista

Mas o grave é que não sou o único. 

Um dia, era jovem tenro, fui à Galiza, foi o meu primeiro contacto com estrangeiros. Achei altamente estranho que numa margem do Rio Minho todas as pessoas falassem Português e, apenas a uns metros de distância, já todas as pessoas falassem Espanhol (agora chamam-se Galego). 
Como é que foi possível "convencer" todas as pessoas do lado de cá a falar Português e todas as do lado de lá a falar Galego?

Foi o poder da espada e da segregação.
Eu sinto-me incomodado quando estou num café, num parque público ou num comboio e três ou quatro pessoas a meu lado começam a falar Búlgaro, Ucraniano ou Romeno. Ainda mais me incomoda que falem alto e que um se ria quando outro diz coisas que eu não compreendo. 
Da mesma forma que o Papa Xico se sente incomodado quando vai na sua condução e o carro de trás começa a dar sinais de luzes e a buzinar, todos nós nos incomodamos quando ouvimos e vemos coisas diferentes a "invadir" o nosso espaço.
Tanto incomodava aos nosso antepassados ouvir galego que, quando alguém se atrapalha na fala, dizemos "deixa essa galegada e fala em condições" e a couve mais rija da horta chama-se Couve Galega (quando  essa planta não é originária da Galiza).

Porque será que somos racista?
Quando, há uns anos, a minha cabeça começou a dar sinais de que já não aguentava o stress do dia a dia, comecei a praticar "artes marciais orientais." E foi exactamente no Tai Chi / Chi Kung / Kung Fu que compreendi a razão de sermos racistas.
Não tenha vergonha em reconhecer que é racista pois é algo universal, todos nós somos racistas e isso está gravado nos nossos genes. Até o Bruno Nogueira (ver, Um ataque de Cosme)  e o Louçã (ver, Duarte Gomes e o amigo que afunda os barcos da pretalhada) são racistas pois nenhum defende que a pretalhada tem o direito a vir viver para Portugal (a minha hipótese 1).
Não há ninguém que diga "abram as fronteiras e tragam essas pessoas para cá, sejam mil, um milhão ou 1000 milhões."

Fig. 1 - Na minha vida tenho 6 anos de Tai Chi - Chi Kung - Kung Fu.

No Tai Chi - Chi Kung - Kung Fu o candidato a guerreiro aprende uma coreografia complexa, com uma articulação não natural dos dedos, pés, ombros, etc., o que obriga a um grande e longo esforço de aprendizagem. O objectivo é que seja totalmente impossível uma pessoa olhar para outra enquanto faz a dança  conseguir imita-la (é uma arte interior, i.e., a coreografia era ensinada em segredo).

Mas onde é que isto tem a ver com a "guerra"?
Calma que já lá vou.
Na batalha, as tropas de um exército tentavam penetrar as linhas do outro exército para fazerem assassinatos e sabotagens. E, como os chineses eram muito parecidos uns com os outros, não havia forma de saber quem pertencia a que exército. Então, quando havia dúvida, o soldado era obrigado a executar a coreografia. Se tivesse a mais pequena das falhas na colocação dos dedos, pés, ancas, cabeça ou mesmo na direcção do olhar, era logo identificado como um infiltrado.
A coreografia era a "password".

Fig. 2 - ZZZZZZZAAAAAAAZZZZZ, head-off, não passava de um infiltrado.

E que tem isso a ver com a racismo?
Vamos a ter um pouco de paciência que já lá vou.
Edgar Morin acha, à luz da Teoria da Evolução das Espécies, estranho que o nosso cérebro se tenha desenvolvido com capacidade para fazer coisas que, aparentemente, não contribuíam em nada para a nossa sobrevivência na selva.
É que o nosso cérebro gasta 20% da nossa energia e, não havendo na selva equações matemáticas para resolver nem naves espaciais para pilotar, como é que um cérebro com essas capacidades pode ter contribuído para a nosso sucesso quando mais nenhum animal seguiu esse caminho evolucionário?
Qual era a força de selecção que matava os menos inteligentes e deixava os outros viver de forma a que, ao longo dos milénios, a nossa espécie pudesse ter evoluído até aos cabeçudos que somos?

Teve a ver com os "nossos irmãos."
É que na selva, a principal causa de morte dos hominídeos nossos antepassados eram os outros hominídeos.
Se um grupo ocupava uma gruta e os terrenos de caça que a rodeavam, tinha a constante ameaça de outros grupos que lhe queriam roubar a "herança". Como uma mulher pode na sua vida ter 20 filhos, um grupo de hominídeos rapidamente ficava grande de mais para o seu território pelo que se via obrigado a tentar ocupar outros territórios vizinhos (onde outros já viviam, tendo que ser dominados e destruídos).
Da mesma forma, os leões são mortos principalmente por outros leões e os elefantes por outros elefantes.
Para um grupo prosperar era preciso destruir os grupos vizinhos. Nessa guerra, o Cérebro foi a nossa "corrida às armas" como no Elefante foi o tamanho e os dentes, na Gazela a velocidade e os cornos e no coelho as tocas e o número de filhos.

Fig. 3 - No tempo dela, esta gaja era super-model, era a Gisela Bundchen do Paleolítico Inferior.
.
E de onde vem afinal o racismo?
É que, por um lado, um grupo maior teria maior capacidade para submeter os grupos vizinhos mas, por outro lado, teria acesso a menos recursos naturais (teriam que ser divididos por mais pessoas).
Do lado da inteligência, por um lado, hominídeos mais inteligentes, conseguiam submeter grupos maiores (ficando com acesso a mais recursos naturais por cabeça) mas, por outro lado, gastariam mais energia no cérebro.
A nossa espécie evoluiu num dialogo entre estas duas forças, o tamanho do grupo e a inteligência dos indivíduos.
O racismo vem de 1) no calor da batalha ser preciso identificar os que são "dos nossos" dos que são "dos outros" e 2) evitar a infiltração pacífica de elementos "dos outros" porque iriam consumir os nossos recursos naturais.
Interessante que, se hoje ouvirmos as pessoas da rua, continuam a ser estas as duas razões contra a entrada da pretalhada na Europa, "São uns terroristas que nos vêm matar" e "Roubam-nos os empregos".
Foi preciso evoluir para grupos homogéneos com pequenas (mas crescentes) diferenças entre grupos na língua, no encaraculado do cabelo, na cor da pele ou na dança do Tai Chi. E para isso acontecer, fomo-nos tornando também cada vez mais racistas, conseguindo excluir as pessoas pela mais pequena das subtilezas (por exemplo, matávamos pessoas pelo simples facto de não comerem chouriço).
O criticarem-me por "dar erros hortográficos" sendo que a hortografia não passa de uma convenção que está em constante motação, traduz essa pressão para uniformizar tudo e todos. É a hortografia, o sotaque, a saia ser ou não pelo joelho, o nariz ser grande, as mamas pequenas, essas pequenas pressões vêm dos consfins da selva.

Fig. 4  -Diz a tradição que as alheiras surgiram porque quem não tivesse chouriços dependurados, era queimado na fogueira da Inquisição.

Ser racista e ser inteligente são as duas faces da mesma moeda.
Temos que combater o nosso racismo nas acções e não no pensamento.
E temos que o combater na acção porque o pensamento está sempre dentro de nós e pronto a explodir seja na África do Sul (contra os Moçambicanos e os Nigerianos), na Birmânia (contra os bengalis) ou na França contra os Judeus.
Os ataques são sempre condenados por toda a gente com as mais duras palavras mas estão continuamente a acontecer pelo que só pode ser algo que está codificado nos nossos genes.

Nós não passamos de selvagens vestidos de fato e gravata.
Mesmo o ataque iniciado pelo Louçã contra mim não passa desse racismo natural, não aceita uma pessoa, a mim, que pensa de forma diferente dele, eu não pertenço ao grupo dele, não pertenço aos esquerdistas desmiolados.
Reparem bem, eu avanço com duas hipóteses 1) trazer a pretalhada para cá de forma segura nos aviões da TAP e 2) afundar os barcos e matar a pretalhada. Eu não digo qual das duas hipóteses prefiro (disse depois que prefiro a hipótese 1) Mas o Louçã não disse que defendia a hipótese 1), disse apenas que eu sou racista (o que é verdade) por ter articulado a hipótese 2.
O Louçã deveria dizer "Um sábio disse que devemos trazer a pretalhado todo para cá porque isso é positivo para nós e, por isso e por questões de humanidade, vou fazer uma campanha para que isso aconteça o mais rapidamente possível."

Se o Estado Português.
Me arrendar 1000km2 de território para eu fazer uma Cidade Franca, eu comprometo-me a receber todas as pessoas que atravessam o Mediterrraneo alojando-as com dignidade pelo menos igual à que têm nos países deles, melhor que nos campos onde estão e sem qualquer custo para Portugal.
Eu aceito nem que sejam 50 milhões e Portugal ainda terá lucro com isso pois eu pago a renda e estas pessoas serão um vasto mercado para os bens portugueses.

Agora a parte mais interessante.
Já tive no meu emprego 3 "processos de averiguações" por causa deste meu blog.
E parece que agora vou ter mais um.
É que o Louçã é um esquerdista e os esquerdistas estão em grande maioria nas universidades.

Fig. 5 - Vamos ter um problema cósmico

PF, enviem um e-mail para pedagogico@fep.up.pt
Nada melhor do que isto para verem que, mesmo 41 anos depois do 25-de-abril-de-1974, a liberdade de expressão ainda é algo que precisa ser defendido.
Pedia-vos o seguinte. Quem achar que eu tenho todo o direito a escrever no meu bloque o que bem me apetecer, por favor envie um e-mail para pedagogico@fep.up.pt a dizer:

"Ex.mo Sr.
O Blog do Cosme não põe em causa o prestígio da Faculdade de Economia do Porto.
Atentamente
"
Obrigado.

Hoje na Farmácia.
Fui comprar uns medicamentos e estive a falar com a Kátia a gabar-me que era um celebridade, que o Bruno Nogueira, aquele alto com uns braços fininhos, tinha feito uma crónica na TSF sobre mim. Eu não ouvi mas, mesmo que tenha dito de mim que eu era pior que o Hitler, não deixa de ser extraordinário. Eu, perdido aqui neste computador ter honra de ser cronicado.
Foi uma oportunidade para meter uma pequena conversa e a Kátia é tão boa. Até sonho com o meu filhinho mais velho a chamar-se Joaquim Kátia e o mais novinho João Kátia.

Pedro Cosme Vieira

41 comentários:

jorge gaspar disse...

Pedro Cosme. O Herman José quando dizia o que queria e lhe apetecia, e criticava quem queria, era atacado por muito gente. Mas a esquerda sempre adorou o Herman José e não tenho dúvidas que o Bruno Nogueira idolatra o homem.
O Rui Sinel de Cordes é bastante mais "violento", "insultuoso" e "racista" nos seus textos humorísticos que qualquer post feito pelo Pedro. Será que o Bruno Nogueira tem algum problema com o Herman ou com o Rui Sinel de Cordes.

Há alguns anos atrás o Bruno Nogueira fez uns espectáculos com textos do João Quadros em que numa parte do texto diz que joga á cabra cega fazendo furos nos olhos duma foto duma mulher com fama de ter muitos homens (já não me recordo do nome dela.)
Falar em pretalhada é feio, mas chamar cabra a uma mulher já é muito bonito.
Pedro Cosme, não há nada na esquerda que seja feio. A esquerda está sempre na vanguarda, é sempre intelectualmente evoluída. Chamar cabra a uma mulher é feio se for o Pedro a dizer, mas se for o Bruno Nogueira é a vanguarda do humor em Portugal. Nem sei se isto é hipocrisia se é só estupidez, mas desconfio que é só estupidez.

Quanto ao Louçã: O gajo defende os piores regimes que existiram no mundo, o gajo defende os piores regimes que existem actualmente. O gajo defende as piores políticas económicas, defende todo o tipo de restrições á liberdade das pessoas. As ideias que defende só trouxeram miséria aos países onde essas ideias foram postas em prática, e vem dar lições de moral por tu teres falado em pretalhada? Pedro, tens que agarrar o Louçã pelo Pescoço.
Esse Hitlerzinho de merda, esse Estalinista com auréola. Que vá dar lições de moral para Cuba ou para a Venezuela.

Ps: Vou me calar, antes que um qualquer comuna humorista vire para o meu lado.
Quando tal, nem nas caixas de comentários podemos falar livremente. Vêm logo os pidescos de esquerda.
Já enviei o email para a FEP.

Dezperado disse...

O Louça é um totózinho daquela esquerdalha caviar.

straightout7 disse...

Louça - homem com nome de peça de cozinha - que defende insistentemente a meritocracia norte-americana, vê-se numa encruzilhada tão própria de um esquerdista. O seu primo, Vítor Gaspar, a ascender ao poder, assim como outros secretários e entidades governativas, que, surpreendentemente, estão ligadas ao louças.

Mais surpreendente é ver alunos da faculdade de economia - tão curtos na percepção de humor -, a criticar o professor em espaço redundantes como redes sociais. Esses mesmos alunos que, infelizmente, acedem ao ensino superior por vias tão ilícitas como aquelas dos colégios privados que, para além de acarretarem gastos desnecessários ao estado, atiram para um espaço de elite, gente tão mesquinha e incapaz.

Força professor, contra as tendências , continue o seu trabalho. Tem, pelo menos, uma pessoa que o aprecia.

Cumprimentos

jorge gaspar disse...

Fiz um comentário lá no espaço do Louçā ás 4 da tarde a dizer que como era óbvio o texto do Pedro era irónico, e a dizer também que o Louçã enquanto apoiante de regimes totalitários (sem qualquer ironia da parte dele) não tinha moral alguma para atacar o professor Cosme por causa da "pretalhada".
Disse também que a incapacidade do Louçã em compreender a ironia do texto do Pedro demonstrava como era pobre o Louçã a nível intelectual.
Como é óbvio não me publicou o comentário. Pelo menos não o encontro em lado algum.
O Louçã é todo o ele um pequeno Stalin, pequeno porque nunca teve oportunidade para mais.
Quando (como vi por lá referido) o Arménio Carlos chamou pretinho ao do FMI o Louçã não ficou nada indignado. Claro, a esquerdalhada tem o direito de dizer palavras consideradas racistas, devem ter comprado o direito.
Basta ver o que Marx pensava dos Africanos para se perceber a hipocrisia com que vive esta esquerdalhada

Lura do Grilo disse...

"O meu proposito é não lhes dar nada mais que não seja a minha numanidade mas, às vezes, o meu coração fraqueja e dou-lhes um franguito.": Chama-se caridade cristã professor: se for a Fátima vai-se converter.

"Até sempre camaradas,": fenomenal

Força Professor. Gosto de o ler!

Wyrm disse...

Cosme, caramba homem, normalmente quem já está dentro de um buraco fundo pára de cavar.

Ou não pare! Sinceramente os seus textos são sempre um fartote!

Bem haja, Cosme!

Pedro Carneiro disse...

Tanto canalha junto!!

Pedro Carneiro disse...

Mas tanto!!!!

Carlos Neves disse...

Carta enviada:

"
Caríssimos

Na qualidade de cidadão português descendente de portugueses (1) à várias gerações, venho exprimir o meu apoio ao vosso Professor Pedro Cosme Vieira, pela sua frontalidade na análise dos problemas económicos e sociais que faz no seu blog.

Ele é responsável pelo que escreve, e nós somos responsáveis pelo que interpretamos, mas não só, somos responsáveis por pormos ou não em prática as suas ideias, pelo que não devemos achar que ele promover o que quer que seja possa em circunstância alguma ser um fator de desresponsabilização das nossas práticas.

Como é óbvio entendo que a abordagem de qualquer problema pelo método científico apenas dignifica a nossa/vossa Universidade

Atentamente

Carlos Neves

Ps:
(1) - portugal e portugueses com letra pequena porque enquanto aceitarmos ser governados com dinheiro emprestado não somos uma nação com letra grande
(2) - caso pretendam a minha identificação pro favor responda a este mail que facultarei prontamente"

Dezperado disse...

Jorge, é normal, o anormal do Louça nao lhe ter publicado o seu comentario. Nos blogs de esquerda, todos tem de ter as mesmas ideias, quem discorda de algo, é logo corrido do tasco.

A esquerda é assim, por isso "todos os dias" nascem partidos de esquerda com o objectivo de unir a esquerda. Como a esquerdalha tem um ego maior que o partido, nunca conseguem uniao nenhuma.

Pedro continue com o seu blog por favor, é uma lufada de ar fresco, gosto de pessoas que dizem o que pensam e nao optam pelo politicamente correto.

Ja passaram mais de 40 anos e ainda ha pessoas com dificuldades em saber o que é liberdade de expressao.

André Henriques disse...

Cosme,

É nestes momentos que se vê que a treta do Charlie era apenas isso... uma treta.

O mundo está cheio de gente mesquinha, medricas, hipócrita, cínica. Fazemos manifestações por 11 Charlies, mas ninguém quer saber dos milhares que morrem quando a barcaça afunda. Temos "pena", "lamentamos", "dizemos que é uma vergonha". Mas alguém estaria disposto a aceitar essa gente cá?

Fazemos manifestações porque querem abater um cão cuja dona apanhou ébola, mas ninguém quer saber dos "humanos" que morrem "lá", ao longe... (e dizemos que não somos racistas e que fica mal chamar "pretalhada").

Cosme, força! (Avante camarada!) Este mundo está cheio de gente que só quer pensar da forma que traz mais benefícios, de bajuladores, de virgens ofendidas porque viram um pirilau e não podem dizer que gostaram. Vão-se lixar.

Excelente trabalho, este Blog.

Luis Carvalho disse...

Professor não pare de escrever.
Para ler textos "politicamente correctos" que não dizem nada, já temos os do Louça!

BC disse...

jorge gaspar disse "como era óbvio o texto do Pedro era irónico,"

Caro Jorge Gaspar,

O texto do Pedro Cosme não foi irónico. Foi prático e racional. Foram avançadas formas concretas e eficazes de evitar o prolongamento de afogamentos no Mediterrâneo. Mas a honestidade e racionalidade são características que chocam os esquerdistas.

Pedro Reis disse...

O Bruno fez publicidade e assim conheci este blog.
Bem haja em agitar as águas paradas e bafientas da nossa sociedade.
O FEP devia envergonhar-se de ter um professor que foi o pau mandado de um primeiro ministro corrupto e que atirou o país para a bancarrota. Ao contrário de Campos e Cunha, Teixeira dos Santos foi co-autor da desgraça económica do país e culpado do desespero que afecta milhões de cidadãos Portugueses.
Esse senhor é que envergonha a faculdade e já é uma nódoa indelével nos pergaminhos da FEP.

Pedro Reis disse...

O Bruno fez publicidade e assim conheci este blog.
Bem haja em agitar as águas paradas e bafientas da nossa sociedade.
O FEP devia envergonhar-se de ter um professor que foi o pau mandado de um primeiro ministro corrupto e que atirou o país para a bancarrota. Ao contrário de Campos e Cunha, Teixeira dos Santos foi co-autor da desgraça económica do país e culpado do desespero que afecta milhões de cidadãos Portugueses.
Esse senhor é que envergonha a faculdade e já é uma nódoa indelével nos pergaminhos da FEP.

jorge gaspar disse...

BC como é óbvio isto "para diminuir o número de pensionistas é preciso matá-las" não é ser racional e prático. É o Pedro que todos conhecemos a gozar com aquele pec5 do Costa.

Hugo Morão disse...

Tanta publicidade ao seu blog professor, será o efeito multiplicador?

Ze disse...

E-mail para o pedagógico.
Por favor professor, continue sempre assim.

"Ex.mo Sr.
Sou o aluno nº ******** e gostaria de dizer que o Professor Cosme, para mim, é um exemplo a seguir.
A honestidade com que nunca deixou de marcar as suas aulas, as conversas, o seu blog... a forma como responde abertamente , assim como ensina, contornando os moldes rígidos com que fomos habituados, é um contributo exemplar para as nossas vidas, e talvez uma visão do que deve ser o futuro.
Na sua posição, são poucos os que tem coragem de exprimir as suas opiniões mais sinceras, sempre bem fundamentadas, concorde-se ou não. Sendo ele um grande adepto e respeitador da discordância. Sempre que ela seja fundamentada, pensada ou percebida.
Para mim, o Professor Cosme, representa o verdadeiro sentido da palavra Professor ou Pensador, e tenho a certeza que ele não se importaria de ter vivido na Grécia antiga, e de se passear nas vestes dos filósofos. Eu gostaria de estar lá para o ouvir...Quando as pessoas eram interessadas e sinceras, concordavam na natureza da discórdia , sem deixar de defender as suas ideias, sem deixar de perceber porque estariam ou não certas, sem deixar a sua mente fechar a busca por mais sentidos, respostas e opções.
Fartos de malabaristas da língua, Políticos de conveniência, manipuladores engravatados , estou eu, e estamos nós todos.
Talvez seja suspeito por também praticar um desporto de combate :) mas eu cá prefiro um professor que nos ensina pontapés de kung fu, que recordarei para sempre.
Para além de tudo o que nos é suposto ensinar, ensinou-me a perceber que não haviam assim tantas barreiras entre aluno e professor, ou que pelo menos não deve haver. Na sua forma ousada, no seu discurso pouco ortodoxo, com uma inteligência e percepção de prioridades , dificilmente imitáveis, fruto do seu carácter genuíno e diferente.
Tiro lhe o chapéu, e acredito profundamente, que poucos são os que realmente praticam a liberdade de expressão. Ao contrário de todos os que gostam de a admitir como um direito, mas sabem perfeitamente que é preciso manipula la consoante as circunstancias sociais, a buscar por melhores posições, prestigio, etc.
Muito Obrigado."

Portuendes disse...

Sempre gostei de ler o blog do Eng. Pedro Cosme, pois mesmo quando a minha perspectiva é diferente, os fundamentos e as assumpções do prof. na defesa dos seus argumentos são racionais e fazem-me rever as minhas opiniões (ainda que nem sempre as modifique). O estilo do prof. Cosme é radical mas honesto e parece que só criticam a forma por não conseguirem contestar o conteúdo. Quanto ao Louçã, parece que agora só sabe recorrer à desonestidade intelectual em vez de se esforçar a debater razões. Para finalizar, se, como escreveu outro comentador, o Teixeira dos Santos foi professor da FEP, a FEP deve preocupar-se mais por esses lados...

luis barreiro disse...

Força Professor,
Gosto muito de ler o seu blog.
Já enviei email.

Rodolfo disse...

Jorge Gaspar, essa afirmação é ser racional. Está a explicar lógica.

Há algum tempo um gajo dizia-me que se fosse primeiro-ministro acabava com a corrupção. E eu perguntei-lhe como, com que medidas. E chamou-me atrasado por não estar a entender o que ele dizia, quando ele não apresentava nenhuma medida para 'acabar com a corrupção'. Isto aqui é igual, o professor só deu exemplos de medidas, não fez nenhum julgamento moral acerca delas.

Afirmações do tipo 'vamos contribuir para a sustentabilidade da SS', ou 'vamos acabar com a corrupção' ou ainda 'vamos dar paz para o mundo todo' são afirmações ao nível das top model.

Artur Amorim disse...

Jorge Gaspar,

Comigo fez exactamente o mesmo. Basicamente disse ao gajo que se seguisse a lógica dele toda a esquerda desaparecia do mapa no que toca a moralidade.

Não gostou. Mais uma prova que estes paladinos só concordam com a liberdade de expressão quando esta é politicamente correcta e está de acordo com os ditames deles.

Este post mostra o quão forte é o caracter do Professor Cosme. Este blog é sem dúvida uma lufada de ar fresco. Farto do politicamente correcto que não resolve assunto nenhum e só nos enterra já estou eu farto.

Cumprimentos,

Pedro Renner disse...

Caro professor Pedro Cosme,


Onde o Louçã viu desvios de barcos com pretalhada, matança de pensionistas, velhas caquéticas, fardos de palha do Portas, etc., eu encontrei o Princípio das Vantagens Comparativas, a dinâmica subjacente à inflação e o juro, o livro do merceeiro e a banca, o banco central e as políticas monetárias, o milho aos quilos e a concha (quer me parecer que é aqui [http://economicofinanceiro.blogspot.pt/2011/11/o-governador-do-bce-veio-me-consultar.html] onde está um grande motivo do celeuma), cálculos (e não paleio) sobre sustentabilidade da dívida e fatores para o crescimento económico com suas consequências no emprego/desemprego e nas demais condições sociais de uma população.

Do abacaxi, cada um come a parte que mais lhe aprouver! Mas a si é bom que alguém prefira as cascas e o carroço, fica o aproveitamento feito a 100%, e ajuda a publicitar a fruta…

Bom trabalho.

rollingsnowball disse...

Não enviei ainda o E-mail por ter receio de ser contraproducente o envio de todos os e-mails ao mesmo tempo. Deixo-o aqui copiado para envio futuro
"Ex.mo Sr.
O Blog do Professor Cosme Vieira em nada põe em causa o prestígio da Faculdade de Economia do Porto. Muito pelo contrário, a importância por ele dada ao conteúdo em detrimento da forma e do politicamente correto, bem como a simplicidade com que torna a economia acessível mesmo a quem não é da área é de enaltecer e apenas pode ser vista como um ponto a favor da Faculdade.
Atentamente"

Quanto ao que disse o FL apenas tenho a dizer que foi um verdadeiro argumentum ad hominem, típico de quem não conseguiu argumentar de forma lógica. No entanto vou citar uma frase que ele acrescentou da autoria dele: "A primeira solução é uma ponte aérea para trazer toda a gente de África para a Europa. Cosme Vieira não gosta nada disso, vive aterrorizado com esta ideia." Dá que pensar.

Fernando Gonçalves disse...

Discordo da visão ultra liberal do professor,e considero-me um liberal,defensor das ideias de mercado.Mas agora afirmar que o professor é racista não tem sustentação,essa discussão subiu ao patamar de absurdo pela forma como descontextualizou as suas afirmações.O professor tem o direito de escrever o que quizer desde que não insulte ninguém ou nenhum grupo social,e também pode usar o estilo que quiser pois para além de professor é antes de mais um cidadão,e é apenas nesta qualidade que se insere o seu blogue.Só o lê quem quer.Continue a escrever no que acredita,e eu continuarei a discordar de si.

Pedro Alexandre disse...

Caro Professor,

Eu tambem faço questão de enviar um mail à FAP porque parece que o 25 de abril foi só para os esquerdistas que julgam que têm o direito de processa-lo devido ao seu blog livre e independente à sua profissão.

Os esquerdistas de dacto têm piada, eles falam da direita, mas eles sempre conviveram mal com a liberdade de expressão quando alguem diz algo que nao é do seu agrado, ou quando alguem nao esta com eles.

A democracia para eles é todos pensarem como eles e quem não pensa é uma besta e muitas vezes é mal intrepertado como o professor foi claramente, é uma estranha forma de ver a democracia, parece uma tal de ditadura!?

Cumps

deathandtaxes disse...

Estimado Eng.º Cosme Vieira,
Nunca tinha visto tanto comentário!!!
Tanta publicidade, e tudo de borla. (?)
Conforme o solicitado, enviei o e-mail pessoal para a FEP.
Aconselho-o a desvalorizar as críticas descontextualizadas do "camarada Louçã", já que ele faz parte da "esquerdalha". Nos comentários, terá alguns a seu favor e muitos contra. É uma luta sem fim que eu evitaria.
Continue a partilhar as suas ideias ( de forma politicamente incorrecta) porque já estamos fartos dos papagaios do costume.

Mena disse...

E assim conheci este blogue e gostei muito de tudo o que li.

vazelios disse...

Cosme (Agora vou deixar de o tratar por senhor professor doutor meretissimo Pedro Cosme),

Este episódio do Louçã fez-me lembrar as queixinhas dos taxistas londrinos sobre a UBER. No dia em que fizeram a manifestação anti-UBER, bateu-se o record de downloads da aplicação.

Aqui, pelo que vejo nos comentários, bateram-se recordes de visitas :)

Como sabe acompanho-o desde o inicio e apoio-o a 100%. Estou a ficar maluco e com tendências psicopatas, mas gosto de o ler, eheh.

Já enviei um email à FEP também.

Um abraço e boas continuações...

Daniel Vieira disse...

Eu gosto quando as pessoas falam de peito "alto" !!
Eu não sou Charlie...porque penso que se devem "medir" as palavras !!!
Porque se eu chegar aqui e disser que vocês são todos uns "filhos da puta" que têm a mania que são "finos"... Vocês viram-me o cu e deixam-me enfiá-la bem no fundo ?? p.s Agora digo que estou a ser irónico...e as pessoas já acham piada !!! Se fossem vocês a passar o mediterrâneo como muita gente passa, já não falavam assim !!

rui martins disse...

caro e estimado professor Cosme Vieira,tambem conheci o seu blog devido á publicidade feita por inergumenos que sem saber prestaram um grande serviço a quem procura um cantinho que defenda as suas ideias...neste caso EU e a minha busca está terminada. aqui encontrei quem pensa como eu mas que tem o tá tá de boca que a mim me falta,o meu parco 9ºano é muito fraquinho para a cambada esquerdista.
pretalhada...alienigenas...amarelideos asiaticos???? nada é mais verdade e fraco é aquele que o pensa mas que tem medo de o dizer em voz alta.
espero que continue com os seus textos de inspiração que a mim tanto me alegram o espirito. um grande abraço.

Júlio disse...

Enquanto passeio pelo blog e pelos comentário começam a falar de si e de toda esta situação no 5 para a meia noite... Surreal.
Eu apenas lamento só hoje ter ficado a conhecer o seu blog. Tendo estudado no Porto (FDUP) e tendo alguns amigos na FEP prometo desde já reclamar com todos eles por nunca me terem falado em si.
Continue!

LUIS FERNANDES disse...

DEFENDO O DIREITO À LIVRE EXPRESSÃO DO COSME. SEREI RACISTA?


Ex.mo Senhor Presidente do Conselho Pedagógico da Faculdade de Economia do Porto


ASSUNTO: BLOGUE DO COSME

Começo por dizer a V. Ex.ª que nunca tinha ouvido falar do professor Pedro Cosme Vieira. Foi ao ler nos jornais o "quid pro quo", tomar uma coisa por outra, que fui ler o seu blogue, como quem diz provar o seu veneno. Acontece que vi, como quem diz provei, e gostei do que li. É um blogue com um pensamento bem estruturado numa escrita simples e entendível por todos. Usa e abusa de metáforas a cair no politicamente incorrecto. E depois? Não pode? É diferente? É! E talvez por ser divergente, pagando um preço pela originalidade, suscite as mais vivas reacções num país cinzento -nem sequer é a preto e branco, maniqueísta-, formatado e com vocação deliberada para ser conduzido para o pensamento único.
Apelo à inteligência e ao bom-senso de V. Ex.ª não fomentar o vazio de ilegitimidade arremessando gasolina para a fogueira mediática da idiotice de alguns arrogados intelectuais que nos deveria envergonhar a todos. Este homem, que não conheço nem nunca vi mais gordo, em nome de uma liberdade que apesar dos seus 41 anos apodrece de velhice, escalonada e condicionada por alguns, tem todo o direito de se expressar livremente. De facto, passadas mais de quatro décadas depois do 25 de Abril, começa a fazer sentido debater o conceito de liberdade, onde começa, por onde pode caminhar e onde termina.
Com franqueza, já me basta no mês passado o conselho directivo da Escola da Póvoa do Lanhoso suspender uma professora, sem provas e com base num "sururu", na suspeita de que estaria envolvida com um seu aluno de 15 anos. Chega de tanta injustiça, de tanta parvoíce e de tanta trapalhada!
O Blogue do professor Cosme não põe em causa o prestígio da Faculdade de Economia do Porto. Espero, sinceramente, que não se deixe enredar nas teias do facilitismo e a sua decisão caia para o lado do pior que pode acontecer a uma Universidade. Defendamos o direito ao pensamento e à livre expressão. Não foi com base nesta premissa que se condenou o ataque em Paris ao jornal satírico Charlie Hebdo?
Atentamente
António Luís Fernandes Quintans
(www.questoesnacionais.blogspot.pt)

Alvin Toffler disse...

O prestigio das nossas universidades anda pelas ruas da amargura e, portanto, o tal Cosme nao lhe retira nada, pelo contrario, é mais do mesmo.
Para condenarmos o Cosme universitario, teriamos que condenar o Passos, o Portas, o Relvas, o Cavaco, o Socrates, e tantos outros !
No entanto, fico realmente admirado como é que um tipo como o Cosme chegou a prof. Universitario. A explicaçao parece-me simples: decorou os manauais de economia e se o prof. fosse pro Adam Smith ele debitava liberalismo économico, se o prof. fosse pro Estado Social, evidenciava as vitudes do Keynes.
Afinal é facil chegar a Doutor, dificil, dificl, é ter neuronios que funcionem bem!
Ha cada um !
Vai-te tratar, vai!
P.S. - Mas acho que deves ter todo o direito de dizeres/escreveres as tuas asneiras livremente !

Bruno Andrade disse...

E no passado quando vocês foram "invadir" o nosso espaço em África? Caralho filhos da puta agora AGUENTEM! Que façam uma revolução e ainda vão ver que ficamos com o vosso país! Medricas de merda! Chamem os vossos aliados porque vocês sozinhos não nos conseguem tirar daqui! ahahahah FILHOS DA PUTA

Manuel Almeida disse...

A única coisa que pode ser considerada racista no sentido pejorativo do termo (não na perspectiva elevada e desafiante que o texto dá) é o uso do termo «pretalhada».

Espero que não o condenem por delito de opinião, por conta de um termo forte, mas em nada mais forte do que aqueles com os dignos cidadãos afro-descendentes nos brindam (pulas, etc.). O muçulmano híper-racista Malcolm X assumia o seu ASCO aos brancos, e a esquerda alça o rabo, solícita, para se fazer sodomizar pelos seus discípulos.

Veja o comentário do digno afro-descendente Bruno Andrade, que me precede. Chamar-nos "filhos da puta" por sermos brancos, não só é admissível como é louvável, no contexto da loucura do marxismo cultural que domina o mundo de hoje.

Em suma: o autor do blogue chama a atenção para que existe provavelmente um racismo inato em TODOS os seres humanos, mas os atrasados mentais da esquerda querem dar cabo dele, como pessoas mal formadas que são, por natureza.

E só não o fuzilam porque não podem.

Sendo que eles são verdadeiramente racistas, que desprezam os negros (Marx era-o, Engels era-o, Stalin era-o, o grande Tché Guevara era-o, etc.).

A mediocridade dita leis. Mas não dê o flanco. Ainda que possa estar aterrorizado, ainda que possa estar literalmente à frente do pelotão de fuzilamento, não lhes dê a alegria de se mostrar intimidado. Goze-os.

Nenhum comunista é digno de consideração. São todos gente raivosa, invejosa e estúpida.

Manuel Almeida disse...

Acerca do Tai-Chi-Chuan, Chi-Kung e Kung-Fu: usados como exemplo para servir o seu raciocínio, excelente. Mas olhe que eu acho que a sua concepção está cheia de imprecisões.

O Tai-Chi-Chuan é uma arte marcial interna porque se foca no cultivo da energia interior (o famoso "chi"), mais do que no desenvolvimento dos músculos, na energia mecânica, nas grandes pancadas que destroem o oponente.

Os criadores desta arte marcial deploravam os cortes, contusões, o dar cabo dos terminais nervosos dos membros que resultavam do bater repetidamente em pedras quentes, grãos, etc.. E a brutalidade dos esforços físicos.

Desenvolveram um processo mais subtil, que consiste em trabalhar a energia vital, canalizá-la para o combate, atacando por antecipação, "sentindo" as intenções do oponente, etc..

Não sei explicar melhor, mas aconselho por exemplo Wong Kiew Kit, para mim o melhor autor do género.

Sobre as formas, as rotinas, nunca me constou que servissem para isso que descreve. São um modo de cultivar a saúde e de exercitar as técnicas de combate a solo.

A Medicina comprova que o Tai-Chi-Chuan faz maravilhas pela saúde.

E aqui está um exemplo de uma coisa de outras "raças" que serve toda a Humanidade. E que você pratica.

Mas isso, ou louçãs não entendem. Em vez de cérebro têm um monte de cartazes empilhados no cerebelo, e levantam o que mais lhes pareça adequado a cada situação. :-)

Paulo disse...

Você pode escrever aquilo que quiser mas, na sua posição, acho que não devia. O seu ideário é pornográfico, só por isso. É uma questão de gosto.

António Sousa disse...

"O criticarem-me por "dar erros hortográficos" sendo que a hortografia não passa de uma convenção que está em constante motação, traduz essa pressão para uniformizar tudo e todos"

Na minha modesta opinião creio que não se trata só de uma convenção mutável. É verdade que a linguagem muda, mas se quer ser levado a sério o Professor talvez devesse fazer jus ao seu título. Escrever bem e sem erros não é um sinal de conformismo nem de conspiração, é sinal de bons estudos e dedicação ao bom entendimento entre todos aqueles que decidiram concordar em relação à utilização de uma linguagem comum. Portanto dar erros ortográficos e não se preocupar, não é sinal de valor, mas antes uma desculpa de quem nunca deve ter sido bom aluno a português. De qualquer das maneiras, haverá sempre alguém que o leve a sério.

Quanto ao seu texto. Parece-me confuso. Parece que está mais preocupado em defender-se de uma "esquerda", que a seu ver tudo conspira, tudo manipula, tal teórico da conspiração. Acaba por não explicar bem as suas ideias. Concordo que todos sejamos racistas em certos contextos, mas não excluo, tal como o Professor parece excluir, que também não sejamos racistas noutros.

Cumprimentos

Mariana Reis disse...

Parabéns. A sua idiotice anima-me.

Berantakan disse...

Pedro, o meu apoio por por os pontos nos is, sem receio.

Vou também enviar email à sua faculdade. Espero não ser "queimado" por usar o meu endereço de email da FMUC, numa UC também maioritariamente de esquerda, aliás, como a própria cidade. Basta o "luxo" e a "honra de albergarmos e pagarmos com os nossos impostos o CES do inefável Boaventura, tão proveitoso para o nosso bem estar colectivo. Quero desta maneira mostrar-lhe a minha solidariedade académica e dizer que não está só :-) .

Boas festas e um Santo Natal se for o caso.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code