sábado, 20 de abril de 2013

Vamos resolver os afogamentos no Mediterraneo

Até existem duas estratégias eficientes.

Aparentemente acabar com os afogamentos é muito difícil. Dizem os que é muito caro, que é preciso ser solidário, fazer isto e aquilo para dar dignidade às pessoas mas é um problema muito fácil de resolvel haja vontade política. Assim, vou propor duas soluções simples que, no espaço de uma semana, acabam com os afogamentos.


Estratégia 1 - Mandar aviões para trazer as pessoas em segurança.
Faz-se uma "ponte aérea". Vai-se a uma daquelas carcassas da TAP, tiram-se-lhes as cadeiras, e manda-se o avião para o Aeroporto de Túnis para trazer todos que o queiram para Lisboa. Fazendo quatro viagens por dias, dá para trazer umas 500 000 pessoas por ano e fica barato. Mandam-se outras carcassas para Bissau, Maputo e por esse mundo fora e trazem-se todas as pessoas que o queiram em segurança.
Ponto final com os afogamentos.

De onde vem o problema.
Em termos de dinâmica populacional, na União Europeia cada mulher tem 1,2 filhos quando "deveriam" ter 2,1 enquanto que, por exemplo,  na África Sub-Sariana, em média cada mulher tem 5,2 filhos. Então, por um lado, na União Europeia há um défice populacional de 1,5 milhões de pessoas por ano enquanto que nas áreas geográficas visinhas há um "excesso" populacional de milhões e milhões de pessoas.

O problema é que não queremos essas pessoas aqui. Por isso, vem a segunda estratégia.

Estratégia 2 - Afundar os barcos e matar toda a gente.
Em vez de tentar salvar as pessoas que vêm nos barcos precários, "salva-los" atropelando-os com navios portugueses e, depois, todos os que consigam nadar, meter um tiro em cada um. 
Nos primeiros dias vão morrer algumas pessoas, talvez 1000 ou 2000 podendo mesmo chegar aos 5000 ou aos 10000 mas, depois, deixará de haver candidatos à tentativa de atravessar p Mediterraneo de barco.
Antecipando aos pessoas que não vale a pena tentar chegar à Europa desenvoivida, desitem.

Será que alguém morre afogado a tentar ir do Bangladesh para a Birmânia?
No passado também havia muitos naufrágios de pessoas que fugiam da miséria do Bangladesh para a Birmânea mas há já vários anos que isso acabou.
É que, se alguém chegar a terra, matam-no, queimam-no vivo.

Ainda há uma terceira estratégia mas é preciso deixar essa hipocrisia esquerdista de que quem chegar ao lado de cá é um cidadão de pleno directo, com igualdade de direitos face a nós que cá nascemos, mas quem não chegar ficando do lado de lá é um bicho.
Digamos que há "falta de vontade política" seja para afundar os barcos ou para considerar quem chega cá com exactamente os mesmos directos de quem não chega cá.

Pedro Cosme Vieira

5 comentários:

Mário Valente disse...

Ou melhor ainda:

- para quem quiser vir para a Europa tem de pagar. 500, 600 ou 700€. 1000€ é bem abaixo do que têm de pagar aos traficantes.

- esses €€€ servem para:
a) providenciar uma viagem segura;
b) terem formação profissional num centro de acolhimento; é
melhor do q não estarem a fazer nada nos currais onde agora
os metem; quem não aprender nada na formação profissional
tem o dinheiro e uma passagem de volta

maria disse...

É para rir ou para tomar às colheres ?

nuno1959 disse...

Há outra forma de acabar c/ o problema, requer é 4 células no cérebro que ainda estejam activas :

Em vez das economias ocidentais apenas se interessarem por África pelas matérias primas, apoiando ditadores ou fomentando guerras civis p/ as obter ao melhor preço possível, vendendo armas a ambos os lados, podia-se investir para que não houvesse necessidade de lá sairem

O capitalismo obcecado sendo geralmente tão patéticamente cego/idiota quanto o autor deste texto, não esperemos sentados

AvoGi disse...

Não entendo a piada. Enfim
Kis:>{

Mário Valente disse...

O capitalismo é "obcecado, idiota e patético".

Mas a sua solução é "investir". Investir o quê, batatas? Não, dinheiro. E investir para quê, para perder dinheiro? Não, o dinheiro tem de ser remunerado.

Portanto: a sua proposta é uma proposta capitalista.

A incoerencia e a imoralidade usuais dos "pensantes" de esquerda.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code