sexta-feira, 19 de junho de 2015

Meu Deus! O Anti-cristo vai à frente

É isso mesmo, uma sondagem dá o PSD+PP à Frente.
Na noite da vitória do PS nas eleições Europeias, o Costa atacou o Seguro com o argumento de que, contra o governo mais austeritário dos últimos 40 anos, não bastava ganhar por poucochinho. Passado um ano e já sob o mando do Messias Costa, as sondagens dizem que o PS+PP está a ganhar por poucochinho.

Ganhar não interessa.

Segundo a Teoria do Costa nem sempre é bom ganhar nem é mau perder. O mau é ganhar por poucochinho.
Afinal, o Costa veio para salvar o PS da vitória do poucochinho e, ao mesmo tempo, condenar o PSD+PP a essa terrível sina, a sina de ganhar por poucochinho.

Fig. 1 - Meter um poucochinho é pior que não meter nada (Confúcio).

E o PS do Costa até está a melhorar.
É que o PS do Seguro, em 12 de Julho de 2014, teve uma vitória de 31,5% e, agora, o PS do Costa está com uma derrota de 37,0%.
Para o Costa ganhar com 31,5% é muito pior que perder agora com 37%. 
Se o Seguro teve uma vitória de Pirro, o Costa vai ter uma "vitória" moral.

Fig. 2 - Há 500 anos atrás, um tal PS teve tantas vitórias morais que o primeiro ministro de então, um desconhecido Passos Coelho, ficou lá até estar totalmente careca.

Vêm ai os mais longos 2,5 meses de sempre.
Quando em 25 de Janeiro de 2015 o Syriza ganhou as eleições gregas, o Galamba do PS ainda veio dizer que foi uma grande vitória da esquerda e daqueles que se iriam unir ao PS para bater o pé à Sr. Merkel e à Austeridade neoliberal. Seria o inicio do "outro caminho".
Para já a frente seria Holland + Tsipras + Costa mas, a prazo, mais esquerdista iriam entrar no "novo caminho", no "caminho do emprego e do crescimento".

Mas, no entretanto, o Galamba calou-se.
É que, com o passar dos dias, ficou cada vez mais claro que o Syriza era uma "bad bank." Que quem se colasse a esse Bloco de Esquerda grego ir-se-ia queimar e em grande.
No dia 25 de Janeiro eu previ que os 7,5 meses que faltavam para as nossas eleições legislativas seriam mais que suficientes para todos vermos que "o outro caminho" é o caminho da perdição.
Previ então que era tempo de mais para o Costa fazer de morto e, realmente, estes últimos 5 meses foram -se tornando cada vez mais pesados.

O Costa não vai chegar ao dia das eleições.
Prevejo que os próximos 2,5 meses que faltam até às eleições legislativas, sondagem depois de sondagem, vão ser de tal dureza que o Costa não vai resistir.
Agora é apenas uma derrota que não presta por ser a primeira sondagem, uma derrota poucochinha, mas, depois de a Grécia bater com a cornadura na parede, o PS vai-se começar a afundar e o Costa não vai resistir.
Até prevejo que, no entretanto, o Mário Soares vá bate a caçuleta.

Más notícias de um lado, boas notícias do outro lado.
De um lado vêm as notícias da Grécia que, desde que o Syriza entrou, a recessão voltou, o desemprego voltou a crescer e, do lado de cá, os indicadores trazem notícias totalmente ao contrário.
Uma das boas notícias, diz o Piris de Lima eo Paulo Portas, é o crescimento das exportações.
De facto não estão a crescer astronomicamente como o Pires de Lima anuncia, estão a crescer 3,5%/ano, na tendência anterior à Crise do Sub-Prime de 2008, o que é uma "vitória de Pirro". 

Fig. 3 - Exportações portuguesas mensais (dados: www.ine.pt)

Vitória boa são as importações.
O Pires de Lima e o Portas não falam disto mas isto é que é muito importante.
É que os bens que exportamos têm muitas importações incorporadas. Exportamos gasolina e plásticos mas precisamos importar petróleo. Vendemos sapatos mas temos que importar pelarias.
Então a muito boa notícia: no tempo do PS, por cada euro de exportação importávamos 1,65€ de bens. Agora, por cada euro que exportamos já só importamos 1,20€ de bens.
Apesar de ainda parecer mau (ainda importamos mais 20% do que exportamos), está muito melhor e, depois, temos as contas do turismo e as transferências dos emigrantes que mais que compensam esta diferença (a soma das parcelas todas dá a Balança Corrente que está positiva em 25€/mês por pessoa).
Deus ajude a alma do Costa pois, na Terra, o homem está perdido.

Fig. 4 - Importações por cada euro de exportações (dados: www.ine.pt)

Pedro Cosme Vieira

15 comentários:

"" disse...

É saudável do ponto de vista econômico que se importe por exemplo 0,7 do que se exporta tendo em conta a escassez de recursos naturais (minério, petróleo,etc) do nosso país ?

Fernando Gonçalves disse...


Mais exportações e menos importações pelo empobrecimento dos trabalhadores
Mais turismo pelo empobrecimento dos trabalhadores que torna o país mais competitivo
Mais remessas dos emigrantes que tiveram de emigrar pelo estado do país
Isso não é sustentável,as pessoas não vão aceitar isso por muito mais tempo.Um país equilibrado com as pessoas pobres.

Frank Mendes disse...

Caro fernando Goncalves voce tem um raciocinio muito limitado da realidade.As pessoas que nao "aceitam isso" ficam atras e esperam aos gritos por subsidios e migalhas dos contribuintes que sempre fica mais pobre com gente dessa. "Empobrecimento dos trabalhadores" e uma expressao muito infeliz neste contexto. O seu modo de pensar LEVA ao empobrecimento e rapido.
Emigrar UE nao tem nada a ver com o contexto da palavra de ha 40 anos. Para um madeirense conseguir trabalho em Lisboa, Toquio ou Estocolmo e a mesma coisa. So que ha mais possibilidade de escolha.
Quem nao esta bem e nao sai a procura: ou e incapaz(nao tem dinheiro para o Bilhete, e mimado(a) ou tem pouca confianca em si proprio)ou e cronico dependente do Estado Provedencia que limita a inovacao e a inteligencia. Sair, viajar, experimentar, sofrer fazem parte da vida e fazem bem.
O que nao e sustentavel e Portugal ter ainda uma quantidade de gente que nao consegue ver o mundo ao seu alcance, que impoe limitacoes a si proprio quando o mundo agora esta ao nosso alcance(UE pelo menos). Liberta-te Fernando

Fernando Gonçalves disse...

Racocinio limitado é ficar pelos xavões ultraliberais que tudo justificam.Justificam os trabalhadores no setor do calçado serem dos piores pagos do mundo desenvolvido quando o país produz dos sapatos mais caros do mundo.Justificam que se uns enriquecem todos vão enriquecer,e as evidências desmontam cada vez mais essa ideia.Nunca me esquecerei o absurdo de este governo pretender aumentar a TSU aos trabalhadores em 7%,quando isso iria empobrecer drasticamente os trabalhadores,foi a 1ª vez e única até agora que eu estive na gigantesca manifestação que travou essa ideia do governo.Neste país so se safa quem ou rouba,ou herda bens de família,faz parte dos estabelecidos do sistema,que com menos qualificações que as novas gerações têm salários e segurança superiores às novas gerações.Por ser uma pessoa racional e esclarecida,decidi por opção ter apenas 1 filho,pois o desemprego jovem é que se vê,não vamos colocar mais axas na fogueira.Fique a saber que no meu dia a dia luto muito,esforço-me muito no trabalho onde passo mais de 10 horas por dia sempre a produzir,e penso,tanto esforço para nada,não vou enriquecer de qualquer forma e não.Este país é uma tristeza.

deathandtaxes disse...

@Fernando Goncalves.
É mais: um país pobre com pessoas equilibradas!
Como em tudo, o equilíbrio vai ser encontrado, nem que seja à força.
Se não quiser ser pobre, emigre para um país rico

BC disse...

Fernando Gonçalves,

Conhece algum país socialista no mundo que seja rico. Então porque acha que a receita socialista em Portugal resultaria em riqueza? A história dá-nos ensinamentos, basta estudá-la. Já pensou o que distingue Portugal dos países mais ricos do mundo? Existe um fator comum que os diferencia de Portugal, mais liberdade. Sim, é por serem mais liberais que estes países são mais desenvolvidos.

Bem sei que os socialistas gostam de arranjar desculpas, é o tamanho do país, a periferia, a Merkel, a falta de petróleo, os mercados, etc. Mas só há uma coisa que impede Portugal de aumentar o seu PIB, falta de liberdade.

Fernando Gonçalves disse...


deathandtaxes,pessoas desiquilibradas quer dizer,quer economicamente quer mentalmente,por culpa do sistema(livro "espirito da Igualdade").

BC,não conheço nenhum porque tudo o que é extremista,quer para a Direita quer para a esquerda é mau.A realidade mostra que é na combinação adequada do melhor do liberalismo(mercados livres,liberdade na criação de riqueza)com um intervencionismo na regulação e redistribuição da riqueza,que se atinge tanto elevados níveis de eficiência económica como de equidade.Veja-se os países Nórdicos.Dá é jeito aos ultraliberais dizerem que se não é a lei da sela então é socialista.Que reducionismo!A realidade tem muito mais tons que isso.Em Portugal temos é mercados e setores corporativistas(sindicalismos,direitos adquiridos,regalias,empresas do regime) e pouco socialismo na redistribuição na riqueza(impostos mais regressivos que progressivos,como o IVA,deduções fiscais que em nada beneficiam os mais pobres,apoio social insuficiente como reconhecido por várias instituições internacionais)isto é,a logica do liberalismo e socialismo nos pontos certos está invertida em Portugal.

BC disse...

Nunca consigo entender porque se diz que o liberalismo é extremista. O liberalismo é precisamente a antítese do extremismo. Numa sociedade liberal nada é imposto ou proibido ao indivíduo a menos que interfira com a liberdade alheia.

Também nunca consigo entender porque é que se diz que existe um socialismo mau e outro bom e que o bom podia ser aplicado em Portugal. O socialismo é intrinsecamente mau e não existe nenhum país no mundo onde ele tenha produzido bons resultados. Que tem Portugal de extraordinário para que aqui possa ser diferente do resto do mundo?

jorge gaspar disse...

Se num extremo está a proibição de qualquer acção no extremo oposto não está a permissão, mas sim a obrigação de qualquer acção. O liberalismo não só não se situam em qualquer dos extremos, como é até a ideologia mais moderada. Numa conversa de café estão aos gritos os que tudo querem destruir atacar e proibir e os que desejam obrigar todos a fazer todo o tipo de coisas. No meio está o liberal, a pensar nas várias consequências de cada um dos seus actos.
Aqueles que atacam o liberalismo não percebem que nadam contra uma onda gigante cheia de progresso, paz, liberdade e evolução humana e tecnológica. É impossivel vencer essa onda gigante, é impossível parar a evolução humana, cientifica e tecnológica. Meia dúzia de países irão combater o liberalismo e ficarão para trás, cada vez mais atrasados face aos restantes países. Mas o mundo como um todo, seguirá o caminho do liberalismo, quer queiram quer não queira. Quem não quiser esse caminho, terá sempre direito a um palanque e uma casa em cuba, na coreia do norte, venezuela ou grécia ou em qualquer outro país miserável.

Fernando Gonçalves disse...

BC,a questão não é o socialismo ou o liberalismo serem maus ou bons intrinsecamente.Mas se aplicarmos um socialismo puro(comunismo)é mau pois peca por falta de liberdade económica.Mas um liberalismo extremo,sem regras(ultraliberalismo)tb é mau porque mesmo a liberdade económica implica regras,por exemplo:leis de concorrência para evitar abusos de mercado,leis para proteção do ambiente,leis de licenciamento
e que regulam o negócio para proteção de todas as partes envolvidas inclusive os próprios trabalhadores.Quando se geram os rendimentos tb há regras que o permitem redistribuir dum modo que sem perder eficiência deve ter em consideração critérios de equidade social,tendo em atenção a necessária solidariedade entre as pessoas.Ninguém por mais empreendedor que seja consegue ganhar fortunas sozinho,a pessoa beneficiou do ambiente e do sistema que o rodeia,por exemplo,o Buffet afirma que num país como a américa não teria enriquecido tanto,logo é justificável que haja uma partilha dos ganhos entre a Sociedade.O salário mínimo por exemplo não tem haver com liberalismo na criação de riqueza,pois é obviamente uma distorção imposta pelo Estado,mas é um mecanismo de justiça social para evitar que por exemplo os trabalhadores aceitem trabalhar a qualquer preço. Os mercados não são 100 % concorrências e eficientes como alega a teoria dos mercados perfeitos,as intervenções publicas são sempre necessárias na Sociedade.ISSO NÃO É SOCIALISMO,são medidas sociais é certo(socialistas se quisermos,OU MELHOR,SOCIAIS DEMOCRATAS)mas que apenas têm como objetivo implementar um equilíbrio justo e saudável numa economia livre.Mas livre não é a lei da selva,mesmo que ninguém esteja a obrigar ninguém a nada é necessário mesmo assim equilibrar forças.O Socialismo é quando o Estado é ele próprio o principal agente económico,o que é diferente de ser regulador,redistribuidor,fiscalizador.Nos países nórdicos HÁ BASTANTE LIBERALISMO NA CRIAÇÃO DA RIQUEZA e bastante social democracia na sua distribuição.Nos EUA há pouco Estado social,há bastante liberalismo,mas também não tanto assim,pk há muitos lóbis entre as grandes empresas que influenciam a politica a seu favor.Liberalismo não pode ser entendido cada um poder exercer o seu poder à altura da sua capacidade interventiva,isso é corporativismo,abusos de mercado.O melhor sistema é a social democracia,pois o ultraliberalismo peca por falta de social democracia e o comunismo defende muito os sindicatos que muitas vezes(nem sempre claro)só querem defender a manutenção de direitos adquiridos.Eu revejo-me na social democracia,de que neste momento não há nenhuma forma politica em Portugal que corresponda.

Fernando Gonçalves disse...

Caro Jorge Gaspar,obviamente que a forma como coloca a questão é muito reducionista.Liberdade não é libertinagem.

BC disse...

Continuo a não entender Fernando:

A maior virtude do mercado livre é precisamente a sua capacidade auto-reguladora. A humanidade ainda não conseguiu inventar um computador capaz de entrar nos cálculos com a infinidade de condições e aleatoriedades de uma sociedade. Entregar essa missão a humanos, por melhores que sejam as intenções, é caminho para o desastre como o socialismo tem tão bem demonstrado. Mais, para um libertário, a imposição unilateral de um punhado seres humanos (legisladores) sobre os restantes viola a liberdade mais básica.

Não existe nenhum sistema humano que replique a "inteligência" de um mercado livre.

Chilavert disse...

BC deixe me que lhe diga que se não houver sistema humano para regular o mercado livre a "inteligencia" de muita gente deriva na ganancia e na procura de todas as maneiras de subverter o sistema.

Liberdade a mais dá condições para que meia duzia de previligiados use essa condição para restringir a maioria.

Mesmo com Liberdade restringida essa subverção já acontece imagine com Liberdade total

Chama se totalitarismo e não interessa de que natureza seja.

Sempre fui educado a pensar que a democracia e a liberdade só funciona com um sistema humano de regras.

Podemos ajustar as regras á situação especifica mas NUNCA abolir essas regras.

Agora tenho dar a mão a palmatoria que o nosso Estado ainda tem tiques de socialismo arcaico.
Passou anos a perder dinheiro em areas que deveriam ser de iniciativa privada e negligenciou outras areas que deveriam ser da sua unica e exclusiva responsabilidade.

O problema é que a condição humana é mesmo assim depois de estar reprimida e restringida querem soltar a franga e gritar aos 7 ventos LIVRES e confundem a liberdade com libertinagem.

É exactamente o que os ultra neo liberais querem acham que mercado livre em todas as actividades é que funciona mas estão errados.

PS: eu considero me um liberal moderado

BC disse...

Caro Chilavert,

Até ao Séc. XX pessoas eram educadas para a ideia de que uma máquina mais densa do que o ar não voava. Mas houve quem discordasse e inventou o avião.

Só porque fui criado numa sociedade com o dogma da social-democracia não me obriga a achar que que a social democracia é a única organização possível de uma sociedade. Ou a melhor e mais justa!

E continuo a não entender a vossa insistência na liberdade excessiva ou extremista! É uma ideia paradoxal! Nem entendo como se acha que há limites para a liberdade, a liberdade é como a saúde, nunca se tem demasiada!

E depois confunde-se tudo, tirania é um regime opressivo que nada tem de livre. Não existem tiranos em mercado livre. O mercado livre não permite a imposição unilateral de vontades. A vontade da maioria prevalece sempre!

Fernando Gonçalves disse...

BC,exatamente,a vontade da maioria prevalece sempre.Isso chama-se democracia.Quando apenas os mais fortes têm essa capacidade chama-se Oligarcacia.A liberdade tem de ter limites,pk a liberdade sem freios é a anarquia.O liberalismo é o principio da liberdade,por oposição à ditadura.Portanto é o Regime Político.O capitalismo é o sistema económico que se baseia na liberdade económica:liberdade de trabalhar,de movimentar geograficamente,de produzir,de consumir,de investir.A social democracia não é antagónica ao capitalismo, é apenas o sistema económico-social que se baseando no capitalismo de mercado(primazia do capital público,não necessariamente,nem provavelmente,na sua exclusividade)estabelece um sistema económico-social que visa a eficiência e a equidade.Estes 2 princípios são os 2 vetores essenciais que se coordenam um com o outro,não são antagónicos,bem pelo contrário,o objetivo é promover um crescimento e desenvolvimento económico e social equilibrado,sustentado,e que produza o máximo possivel de resultados sociais a longo prazo.Por exemplo,sem proteção do ambiente os ganhos privados não estariam alinhados com os ganhos sociais,e o mesmo com todas as áreas que é necessário cuidar.Aos poderes públicos cabem assim sobretudo as funções de regulação,fiscalizaçáo,fornecimento de bens sociais,apoio social aos mais desfavorecidos.O Estado não se substitui às empresas,a estas é que cabe criar emprego e riqueza,o Estado está num patamar superior que enquadre os objetivos a atingir a longo prazo para a Sociedade.A cada indivíduo apenas cumpre se dedicar a produzir o máximo de riqueza possível,cumprindo as regras sociais.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code