sexta-feira, 28 de agosto de 2015

O Durão Barroso deixou-me muito desanimado.

Sempre pensei que o José Manuel fosse um bom candidato presidencial. 

Quando o Cavaco Silva defendeu que o futuro Presidente da República tem que ser uma pessoa com experiência em política internacional (ver) fiquei a pensar que o Durão Barroso estava a ser cozinhado para ser o candidato do PSD+PP. Mais fiquei convencido pela relutância com que os eternos candidatos a candidatos (Marcelo, Santana Lopes, Alberto João Jardim) se têm mostrado prudentes.
Pensava eu que seria um bom candidato.
Mas a última intervenção na "universidade de verão do PSD", desiludiu-me pela contradição, impreparação e pobreza do discurso.

Eu sou o maior e só não faço mais porque os palhaços não deixam

A crise do Euro.
O argumento foi que a Crise das Dívidas Soberanas não foi uma crise da Euro nem da Europa mas sim dos governos de cada país europeu, mais crise nuns que noutros. Repetiu nesta frase para defender as instituições europeias (que fizeram muito mais que o Plano Marshall) e combater os políticos (e governos) que usam as instituições como desculpa para a sua incapacidade em resolver problemas que eles próprios criaram.
O argumento foi "os políticos são fracos porque atiram para os outros o que são responsabilidades suas"
Concordo que Portugal ter entrado em 1999 para uma zona monetária onde estava a Alemanha teve a vantagem da diminuição da taxa de juro a que a economia se financiava mas, teve a desvantagem de as pessoas e os governos usaram essa descida na taxa de juro para endividarem o país de forma insustentável.
A impreparação foi demonstrada pela repetição exageradamente desta ideia como que a fazer minutos e por não mostrar dados que pudessem fortalecer a argumentação.
Por exemplo, falou de que a intervenção das instituições foi maior que o Plano Marshall mas não apresentou os números.

Depois, passou para a crise dos refugiados.
Agora, pensei eu, que fosse dizer que era um assunto que cada país teria que resolver mas não, falou da Europa como um colectivo.
"A Europa deve ter portas abertas" mas, e agora caiu na falha que tinha apontado aos governos europeus, "não podem estar escancaradas por causa dos palhaços, dos xenófobos e dos racistas".
Isso mesmo, a Europa só não recebe todas as pessoas que queiram vir viver para cá (ou para lá, já que ninguém quer vir para Portugal) por causa dos palhaços, dos xenófobos e dos racistas.

Faz como eu digo e não como eu faço.
Afinal, tal como os políticos europeus se escondem atrás das instituições europeias para não mostrarem as suas fraquezas, o Durão foi a correr esconder-se atrás de uma minoria abjecta para dizer "eu até quero que todos sejam recebidos mas os racistas não me deixam".

O problema é que a União Europeia só tem democracias.
Sendo os palhaços, xenófobos e racistas não passam de uma minoria insignificante sem qualquer legitimidade nem poder para influenciar os resultados eleitorais, não há que ter medo "deles".
Seria como dizer que "temos que liberalizar os roubos e assaltos por causa dos palhaços, dos ladrões e dos assassinos."
Mas ninguém pensa o código penal com medo dos palhaços, dos ladrões e dos assassinos pelo que não estou a ver como os políticos europeus podem ser influenciados ao ponto de quererem receber toda a gente e não o poderem fazer por causa de uma minoria .

Depois, atacou políticos concretos.
Começou por falar na Marie Le Pen, do problema que é os franceses colocarem-na bem colocada nas sondagens para as próximas presidenciais francesas. Mas, depois, arrependeu-se lembrando-se que a Marie só pode ser eleita se a maioria dos franceses for palhaço, xenófobo e racista, não sendo de bom tom um antigo chefe da Europa dizer isso da maioria dos eleitores franceses.
Estou a ver que, na cabeça do Durão. a democracia francesa se equipara à da Guiné-Bissau onde, dizem, os traficantes de droga tomaram conta das instituições.

Depois, falou do Trump.
Apelidando-o de palhaço, xenófobo e racista.
Mas, sendo o Trump um palhaço, sem ideias como diz, os americanos só podem ser imbecis.
Estranho como um país de imbecis pode ser o líder tecnológico mundial.
Não competirá a cada país ter as leis que bem entender quanto à entrada de estrangeiros?
Será que compete ao Durão dizer as leis de imigração dos USA?
Muita presunção!

Eu não tenho culpa de te enganar, a culpa é do palhaço

Afinal é fraquito e gordo.
Os EUA são uma democracia muito mais consolidada que as democracias europeias. Enquanto nós  europeus andávamos a brincar ao Nazismo, o Fascismo, Franquismo, Estado Novo e Estalinismo eles mantinham-se democráticos.
E porque não falou no Maduro ter expulso os colombianos?

Imigrantes potenciais.
Vou fazer uma lista dos 8 países mais populosos de onde os refugiados vêm.
Só nestes 8 países que têm um nível de vida menor que 10% da média da União Europeia (medido pelo PIB per capita em paridade de poder de compra do Banco Mundial), há mais pessoas que em toda a UE.

País PIBpcppc População Nivel de vida
European Union 34658 508,3 100%
8 países 3245 551,8 9%
       
Pakistan 4619 185,1 13%
Bangladesh 2991 158,5 9%
Ethiopia 1432 96,5 4%
Sudan 3940 38,8 11%
Afghanistan 1893 31,3 5%
Syrian Arab Republic 2500 23,3 7%
South Sudan 3838 11,7 11%
Eritrea 1180 6,5 3%
Dados: Banco Mundial

Quem diz que podemos manter uma politica de portas abertas, não sabe mesmo o que está a dizer, está apenas a empurrar o problema para outros, para os alemães, os ingleses e os palhaços.

Isto das presidenciais está a ficar complicado.
É que não estou a ver ninguém de jeito.

Pedro Cosme Vieira

4 comentários:

Pedro Alexandre disse...

Caro Professor,

Concordo com quase tudo Professor, mas acha mesmo que o Durão iria dizer mal do seu próprio mandato? Claro que não, obviamente que a culpa da crise das dividas soberanas é o resultado de uma politica europeia conjunta e não só dos estados que não fizeram nada se não afundar a já anémica economia europeia.

Ter o poder centralizado nunca será o caminho mais correto, julgo que o federalismo é o caminho importante para mostrar que estamos unidos mas deve haver separação de poderes, hoje em dia a Europa controla muitas das decisões do país, burocracias em exesso e muita regulação que não permite a livre concorrência.

Depois nós temos conciencia que o melhor candidato seria o Durão sem duvida porque tem experiencia e conhece muita gente que manda na Europa, o povinho é que não gosta muito dele e isso vai ser fatal, mas preferia o Durão ao Santana e ao Marcelo sem dúvida.



Cumps



Vitor disse...

Boa tarde!
Para mim o melhor candidato a presidente é o Marcelo Rebelo de Sousa. Após as legislativas vai anunciar a sua candidatura e vai ganhar nas calmas.

Económico-Financeiro disse...

Estimado Vítor,
Eu vou revelar algo que Deus me segredou mas sobre o qual pediu segredo.
Existem dois cenários.
No primeiro, a coligação PSD+PP ganha e o candidato é o Paulo Portas.
Esta condição foi imposta pelo Portas para desbloquear a "demissão irreversível".
No segundo, a coligação perde e o candidato é o Passos Coelho.

Mas, cuidado com esta informação pois até Deus joga aos dados (recompondo Einstein).
pc

Pedro Alexandre disse...

... e falta referir que me esqueci do Rui Rio e era uma boa hipótese caso o Durão não fosse, mas está bastante longe do Marcelo e do seu mediatismo.

Eu acho que se a coligação vencer vai ser ou bloco central com o Seguro/Passos/Portas, que já teve mais longe de acontecer, ou então vai haver uma saida de cena do Passos e o Portas vai se coligar com o PS o que duvido e o PS em meio ano está igual ao Syriza.

Cumps

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code