domingo, 4 de outubro de 2015

Ao fim de 371 dias, o salvador caiu abaixo

O Costa teve uma grande vitória. 

Em 28 de Setembro de 2014, nas primárias do PS, o Costa teve 67,9% contra 31,7% do Seguro.
O problema é que se tratava de uma jogo de treino, solteiros contra casados, mancos contra pernetas, duas equipas igualmente fracas. 
Mas o Costa pensou que esse jogo de treino era igual a jogar contra o Real Madrid e que, por isso, esta vitória interna traduzia que, quando viesse a "final da taça" iria facilmente derrotar o Passos Coelho + Portas.
Mas enganou-se porque são de outro campeonato do Tó Zé Seguro.

Agora, o Costa está agarrado como uma lapa.
Mas, mais uma vez, está enganado, tal como pensava que ia ganhar as legislativas e perdeu, pensa agora que vai conseguir, com um golpe de rins, digerir a derrota e manter-se ao leme do PS mas não vai aguentar.

Hoje até podes cantar vitória mas, daqui a 371 dias, vais ter que prestar contas. 

Mas a situação do Costa é insustentável.
Primeiro, porque já anunciou que vai colaborar com o PSD+PP para manter a governabilidade do país, coisa que combateu no Seguro.
Segundo, porque derrubou o Seguro há 371 dias com o argumento de que "ganhar por poucochinho contra um governo que foi além da Troika é pouco" e, agora, mantém-se lá tendo perdido por mais de 7 pontos percentuais.

O Manuel Alegre já falou qualquer coisa-
"Mantêm-se até haver um congresso e, se houver alguém que se apresente contra o António Costa, que se apresente."

Vamos às sondagens.
A primeira coisa a retirar é que as sondagens da EuroSondagem estiveram sempre erradas, dando a vantagem do PS até ao dia 23 de Setembro. Quando já toda a gente dava uma vantagem na ordem dos 7 pontos percentuais para o PSD+PP, a EuroSondagem teimava em anunciar que o PS estava à frente nas intenções de voto. Para não ser mausinho, digo que foi incompetência. 

A segunda coisa a retirar é que as sondagens pelo telefone fixo com sorteio dos números e estratificação da amostra é uma metodologia boa. 

Terceiro, a simulação que eu fiz com o somar das sondagens é uma metodologia válida pois consegui, quando todos davam impacte, eu afirmar com confiança que o PSD+PP estava a ganhar.

Recordo a "minha" previsão.
Pus entre aspas minha porque os dados são, originalmente, da Católica e da Intercampus. Eu apenas peguei nos valores que estavam publicados e fiz uma meta-análise reduzindo assim o erro de amostragem (pois, no meu último estudo, tinha mais de 9000 respostas válidas).
Assim, consegui há muitos dias afirmar (contrariamente ao que sempre disseram os órgãos de comunicação social) que o PàF estava significativamente à frente, e concretizou-se. 

Em termos quantitativos.
Os resultados dos "grandes partidos" estiveram muito em acordo com as sondagens e os meus resultados:

 PSD+PP ==> 38,8% (de 37,5% a 40,1%) e o resultado final será 38,6%.
 PS ======> 33,3% (de 32,1% a 34,6%) e o resultado final será 32,4%.

Mas falhei/falharam no BE e na CDU.
Acontece que, na minha última previsão (A sondagem das sondagens) avancei números para este dois partidos pequenos. Eu não apresentei as minhas previsões para a votação conjunta mas estava dois pontinhos abaixo do resultado verificado. Foi a tal tendência que eu considerei não significativa mas que se concretizou:

 BE+CDU ==> 15,1% (de 14,3% a 16,0%) e o resultado final será 18,4%.

Mas também falhei na ordem, apontei a CDU à frente do BE (todas as sondagens apontavam) mas a situação inverteu-se, o que não é grave porque não tem qualquer influência na solução governativa do PSD+PP.

Amanhã é outro dia e direi mais qualquer coisinha sobre esta grande vitória de todos os partidos (sim, ainda não ouvi ninguém falar em derrota).

Deixa essa parvoíce das eleições e anda para a caminha!

Pedro Cosme Vieira

1 comentários:

CsA disse...

quando todos davam empate*

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code