sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Como irá o Prof. Marcelo responder à Pergunta?

O Prof. Marcelo desapareceu do radar. 

O Sr. Prof. Nóvoa, deixa tratar o homem com respeito pois não se deve dizer mal dos defuntos (políticos, no caso), depois de anunciar que era candidato passou a aparecer em tudo em que havia uma oportunidade desde funerais (da Maria Barroso) até feiras e congressos, tipo emplastro. 
Pelo contrário, o Prof. Marcelo (tratá-lo bem pois vai ser Ex.mo Sr. Presidente da República), assim que anunciou a candidatura, desapareceu.
Desapareceu e fez bem, vai tomar no imaginário dos portugueses o lugar que, até há uns 15 dias, pertencia o António Costa, vai passar a ser ele o novo D. Sebastião, o salvador desejado que há-de chegar numa madrugada de nevoeiro. O mais certo é cada um de nós vê-lo perdido nas selvas vietnamitas a matar esquerdistas, começando nos comunistas, passando pelos bloquistas e acabando nos socialistas (excepto seguristas e assisistas).


Tão cedo não lhe vão poder fazer a Pergunta.
O Sr. Prof. Nóvoa já veio a correr responder. Sendo que há uns meses disse que "Comigo a Presidente, o Passos Coelho não teria sido Primeiro Ministro mais do que um ano" agora mais não poderia anunciar "Sim, sim, concerteza". 
Imagino mesmo que até diria "Mesmo que a PàF tivesse ganho com maioria absoluta dos deputados, só se tivesse mais de 50% dos votos das pessoas recenseadas é que daria posse ao Passos Coelho."
O Sr. Prof. Marcelo não deu a hipótese de lhe fazerem a pergunta e, sabiamente, não veio a correr à procura de um microfone para dizer o que pensa vir a fazer.

Pode ser que o problema se resolva por si.
Eu, e muitas mais pessoas, não acho possível que os comunas metam na gaveta o comunismo.
Depois de criticaram o PS por ter metido o socialismo na gaveta, não me acredito que aceitem tudo o que o PS (da gaveta) terá que fazer para dar cumprimento ao Tratado Orçamental, um défice de 0,5% do PIB (quando, com austeridade destruidora, ainda estamos acima dos 3% do PIB) e um dívida pública de 60% do PIB (quando estamos nos 130% do PIB).
Não me acredito que os comunas deixem cair a ideia de que "as empresas estratégicas" onde se incluem os bancos, as empresas de transportes, de produção de electricidade, de telecomunicações, etc. etc., só lhes faltando exigir a nacionalização das fábricas de automóveis.
Não me acredito que os comunas deixem cair o primado do trabalhador sobre o capitalista.

Hoje ouvi uma coisa impensável.
No programa Sem Moderação, mesmo a acabar o Daniel Oliveira, esquerdista do BE, disse que "havendo uma segunda volta entre o Marcelo e a Maria de Belém, eu votarei Marcelo porque é um homem sério."
Isto diz tudo sobre como será a Frente de Esquerda.
Será mesmo o Costa que a vai encabeçar ou vai ser a Catarina Martins?

A Frente de Esquerda vai-se esfumar. 
Neste caso, o PS vai-se abster na moção de rejeição ao governo que vai ser proposta pela CDU e pelo BE e o Marcelo já nada terá a fazer.

Não foi este que foi posto fora do BE porque queria fazer uma aliança da Esquerda com o PS?

Vamos supor que o Costa continua na ilusão.
Tendo o Costa a ilusão de que vai conseguir o apoio da CDU e do BE, vai chumbar o governo do Passos Coelho e, depois de ter sido eu a dar a notícia em primeira mão, o Sr. Presidente da República (o Sr. Silva) vai deixar o governo em gestão até ao fim do seu mandato.
Neste caso, vão atacar o Marcelo com a Pergunta.

Vai dar posse ao António Costa ou dissolver a Assembleia da República?
Agora, vou dar em primeira mão a resposta que o Sr. Prof. Marcelo vai dar.

Aqui vai em primeira mão
Relativamente à Constituição de 1976 que eu ajudei a escrever, na Constituição actual os poderes do Sr. Presidente da República estão bastante diminuídos.
Assim sendo, não posso dizer nada que ainda diminua mais os poucos poderes do Sr. Presidente da República.
Outra razão prende-se com o facto de não conhecer em pormenor a dinâmica da situação política actual, como têm evoluído as conversas que estão a decorrer entre os partidos com assento na Assembleia da República.
Assim, se respondesse "Vou dissolver a Assembleia da República" ficaria preso a esta afirmação mesmo que, no entretanto, houvesse desenvolvimentos no sentido do aparecimento de um apoio ao governo do Dr. Passos Coelho.
Pelo contrário, se respondesse "Vou dar posse ao Dr. António Costa," ficaria também preso a esta afirmação mesmo que, no entretanto, a maioria aparente do Dr. Costa se esfumasse e crescesse a necessidade de haver eleições clarificadoras.
Apenas posso dizer que, em democracia, a legitimidade do poder vem das eleições. Por isso, sempre que esteja em perigo o regular funcionamento das instituições, será esse o caminho que, constitucionalmente, o Sr. Presidente da República terá obrigatoriamente que tomar.

Oh Judite, penso que me safei bem da Pergunta!

O que irá fazer o Marcelo?
Acreditando que é uma pessoa coerente, ao afirmar "Eu viabilizei um governo minoritário do Eng. Guterres" está a dizer que "Agora está na hora do PS pagar o favor."
Por isso, dia 5 de Abril, sairá o decreto residencial a dissolver a Assembleia da República.

E se nas eleições de Maio 2016 o resultado for o mesmo?
A legitimidade da Frente de esquerda será diferente porque o eleitorado já saberá que, perdendo, o PS irá fazer encabeçar um governo dos derrotados.
É que, no dia 4 de Outubro, quem ficou em casa pensando que iríamos ter um governo minoritário do PàF "moderado" pelo PS, vai-se poder levantar do sofá e pronuciar-se se quer o governo dos derrotados.

Se eu tenho mais pontos que a Sharapova (6580 contra 4691), porque é que a gaja aparece sempre como se tivesse ganho?

Porque a Simona ganhou por poucochinho, apenas 107 contra 86.

Pedro Cosme Vieira

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code