sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Deus ajude Angola

Vejo núvens negras sobre Angola.

Como já devem saber, em Angola vive-se um bocado mal. 
Comparando com o nível de vida português, se é dificil sustentar uma família de 4 pessoas com 900€/mês (dois SMN para dois adultos e duas crianças), em Angola, esses mesmos 900€/mês têm que dar para uma família de 8 pessoas (dois adultos e 6 crianças).
Se juntarmos a esta comparação que em Angola, por um lado, para captar mão de obra qualificada (médicos, engenheiros, ...) é preciso pagar-lhes o que ganhariam num país europeu e, por outro lado, que existe uma distribuição do rendimento bastante desigual, caimos numa sociedade onde uma percentagem grande da população vive muito mal, com quase nada.



Mas, dirão, "No tempo dos portugueses era muito pior".
O Banco Mundial não tem estatísticas para Angola referentes à década de 1970. Seria uma coisa que o Instituto Nacional de Estatística Angolano já deveria ter resolvido há muitos anos até porque a Guiné-Bissau, pais muito mais pobre e desorganizado, já tem estatísticas até 1970. Sem querer ofender os do INE-Angola, não deixa de ser uma vergonha.
Mas fui buscar uns dados ao Banco Mundial, outros a um site (o PIB pes capita nominal, ver), depois fiz umas contas com o câmbio entre PIB nominal e o real per capita português, mais umas simplificações, e obtive o PIB per capita para Angola até 1970.


Ano XXX0 XXX1 XXX2 XXX3 XXX4 XXX5 XXX6 XXX7 XXX8 XXX9
197X 3879,2 3757,6 3349,8 3309,2 3158,3 1964,4 1862,7 1984,3 2017,4 2028,6
198X 2216,1 2093,6 2162,6 2431,2 2639,2 3013,0 2004,4 1925,6 1865,7 2092,8
199X 1801,1 1899,4 1769,5 1378,2 1321,8 541,0 685,7 854,5 692,7 642,8
200X 1017,1 1044,5 1110,7 1055,1 1280,3 1984,0 2345,1 2918,4 3609,5 3266,4
201X 3603,1 4207,5 4906,8 4752,8 4779,4          
Quadro 1 - PIB per capita constante $2005 angolado (estimativa do autor usando dados do Banco Mundial e de outra fonte, ver)

Transformei estes valores em termos relativos e fiz um gráfico onde podemos ver que:
1) Nos últimos 15 anos o nível de vida em Angola aumentou muito, 14,3%/ano mas isso foi devido, principalmente a.
2)  Relativamente a 1970, chegamos a 1999 com uma queda do PIB per capita superior a 80%
3) Considerando que a governação actual nada teve a ver com a queda 1970/1975, desde que o MPLA tomou o poder, o crescimento do nível de vida foi de 2,3%/ano, o que não é mau em termos genéricos (Portugal cresceu 1,9%/ano), é mau atendendo às receitas do petróleo e ao nível baixo de rendimento.

PIBpc angolano relativamente a 1970 (dados, Quadro 1)

Mas se o PIBpc cresceu tantonos últimos anos, não deve haver problema!
Mas agora é que vem o problema maior, é que este crescimento resulta apenas e tão só das receitas do petróleo cujo preço está em queda livre.
Estando o preço médio do petroleo na ordem dos 100USD/barril, a partir de meados de 2014 começou a cair e está hoje abaixo dos 37USD/barril.
Estimando-se o custo médio de produção em 11,7 USD/barril (ver, Knoema), a receita líquida do petróleo angolano caiu 71%.
No caso do Brasil, o custo de produção é maior, 31,4USD/Barril, mas o peso do petroleo na economia é de apenas 2,5%.

E ainda pode cair mais.
E as rendas do petróleo pesam ...
Muito na economia angolana, acima dos 40%, pelo que a queda vertiginosa dos preços do petroleo vai ter um impacto astronómico no nível de vida.

Peso do petroleo na economia angolana e da Arábia Saudita (dados, Banco Mundial)

E Portugal também irá sofrer.
Porque, dizem, há muitos portugueses a trabalhar em Angola, talvez na ordem das 200 mil pessoas, principalmente na cosntrução civil.
E também exportamos muita coisa para lá.
Isto tudo vai acabar e rapidamente.

A economia angolana vai murchar muito e rapidamente.

Pedro Cosme Vieira

2 comentários:

Judge Dredd disse...

Angola é um dos países mais corruptos do mundo onde falta imensa coisa na base de sociedade(educação, saude,) e onde as fontes de produção de riqueza estão nas mãos de meia duzia de previligiados.

Não há milagres professor

Paulo Valdoleiros disse...

Estimado Professor,

Acrescento muito modestamente alguma informação, sendo eu apenas mais um dos que seguindo o avisado conselho do nosso ex-PM, saí da minha zona de conforto e fui até essas agradáveis paragens (Brasil e Angola), não com uma mão á frente e outra atrás, mas porque sempre acreditei na internacionalização do meu negócio: exportação de know-how e de massa cinzenta.
Gostaria de eslarecer dois pontos essenciais:
Primeiro Ponto
O governo português não sabe nem se interessa em saber quantos portugueses estão realmente a trabalhar quer em Angola, quer no Brasil, pois o nosso adn está carregado de uma matéria que faz com que nos desenrasquemos em qualquer sitação e isto dos vistos de trabalho, como o próprio nome indica, dão muito trabalho a obter.
Por isso a estimativa oficial do numero de portugueses em Angola a trabalhar não passará de isso mesmo, de uma estimativa, tendo por base o numero de portugueses que solicitam visto de entrada junto do Consulado Angolano em Lisboa e no Porto.
Segundo Ponto:
Como é obvio, o grosso da coluna,é preenchido com portugueses que foram integrar os quadros das empresas de construção civil que foram tentar salvar o que ainda restava em Portugal com os dólares recebidos dos trabalhos em Luanda e restantes provincias, mas essa mama acabou, como tão bem expôs. Mas há outros...
Há professores, educadores de infancia, médicos, enfermeiros, técnicos de IT, contabilistas, mecânicos de automóveis, e um outro sem fim de "profissionais liberais" que por este ou aquele motivo também decidiram exercer as suas profissões fora do seu país de origem.
Apesar da diáspora ser grande, Portugal, para mim, é o melhor País do Mundo para se viver e ter uma Familia. Houvesse trabalho e dinheiro para todos que isto seria o Paraíso.
Forte Abraço.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code