quarta-feira, 10 de maio de 2017

A Europa está a ser invadida

Mas não é pelos islamistas. 

Como todos sabemos, o Reino Unido decidiu deixar de ser membro da União Europeia.
Houve um referendo que todas as instituições internacionais disseram ser livre e justo e a maioria foi em favor da saída.
Sendo que decidiu democraticamente divorciar-se, a União Europeia, na figura dos seus dirigentes, não deveria começar, à moda do encornado despeitado, a começar a dizer que "A coisa vai-lhes sair cara"

O que pode fazer o Reino Unido?
Pura e simplesmente rasgar todos os tratados sem necessidade de perguntar nada seja a quem for.
E é mesmo isso que está previsto no Tratado de Lisboa: se nada for feita, se nada for dito, ao fim de 24 meses da invocação do Art. 50, os tratados caducam.
Se caducam, as relações entre o Reino Unido e os demais países passa-se a reger por acordos bilaterais que existem ou possam passar a existir e a acordos multilaterais como, por exemplo, sobre Cartas de Condução ou Passaportes.

Todo o homem tem a tendência a se tornar num ditador.
O presidente da Comissão Europeia não tem qualquer poder mas gosta de dizer que tem.
Não é diferente com o Jean-Claude Juncker que falou em francês porque "o inglês está a perder relevância na Europa"
Como se pode ser tão cego e tão tosco.
Ontem estive a ouvir a meia final do festival da canção e, em 18 canções, 17 foram cantadas em inglês e nenhuma em francês, nem mesmo a belga.
Mais estranho é que todas as músicas pareciam retiradas de hits da música anglo-saxónica, havendo mesmo cópias claras e até uma meio rap.
Mesmo países altamente "esquisitos" como a Geórgia, Arménia ou Arzebeijão, cantaram em inglês.

E mesmo olhando para a France 24.
O canal de notícias europeu não é a Euronews e a France 24 tem um canal em inglês.
Será que depois de Brexit vamos passar a ter a Euronouvelles a BBC vai passar a ter um canal em francês?
Não, da mesma forma que ninguém conta com a aparição da Nossa Senhora de Fátima para o próximo dia 13, não creio nisso.

A grande invasão é americana-inglesa.
Quando vem um espanhol ou italiano ao meu emprego fala em inglês o que seria impensável há 20 anos atrás.
Quando os refugiados vindos de países do mais variável aparecem nas praias europeias, vindos da Síria, Bangladesh ou Afeganistão, falam inglês.

O incidente do Mata Leão.
Aquele GNR deve ser pura e simplesmente despedido.
Está ali um panasca, totalmente pacífico, a fazer uma filmagem da fuça dele próprio e vem um, cobardemente, por trás e asfixia-o.
Além de despedido deverá chumbar com um indemnização exemplar porque a asfixia põe a integridade física daquele boiola em perigo e podia mesmo te-lo matado.
Imaginam quantas aquele animal irracional já deve ter feito? Só que desta foi apanhado.

A  raposa e as uvas.
Ao longo da nossa vida confrontamo-nos com muitos problemas.
Um problema diário é queremos ter coisas que não conseguimos adquirir.
Na Ciência Económica é o princípio da insaciabilidade que traduz que, se tivéssemos mais recursos, concerteza que aumentaríamos a qualidade e a quantidade de bens e serviços que consumimos.
E isto vem a propósito do mulherido.
Há muitas gajas boas por esse mundo fora, todo o homem é confrontado a toda a hora por visões para as quais só tem tempo de pensar "Meu Deus, vendo este rabinho e estas pernas fica provado que existes mesmo).
Mas, como Pinto da Costa só há um, logo somos levados a pensar "Deve ser chata como tudo e frígida".
Para levarmos uma vida saudável temos que pensar assim, ter o pensamento do pobretana "Eu não queria esse Mercedes SLK 350 nem que mo desses porque gasta muita gasolina e não tem lugar para levar a cadeira de rodas da minha mãezinha."
(Penso que já perceberam que) Estou a falar nisto por causa da ucranianazinha não em querer.
Parece contra-natura uma fulana que não tem onde cair morta, de beleza discutível e que ganha 110€/mês dizer "eu amo-te mas é como amigo" a um fulano que ganha num mês o que ela ganha em 2 anos e ainda tem a pensão da minha mãe que não é tão pequena como isso.
Mas tenho que acreditar nas palavras da minha mãezinha "Meu filho, o que vai ser da tua vida com mais uma doente aqui em casa, já não te basto Eu? E olha que ela não tem pensão."

Fig 1 - Deve ser chata como tudo e sempre agarrada à mãe que não se cala de dizer "Onde é que foste arranjar este falhado?"

Sim, é que aquilo do melanoma não é brincadeira nenhuma. 
O exame histológico deu "estrutura muito feia" e agora estamos à espera dos exames aos marcadores imunohistoquímica.
Bem sei que era apenas um "sinal preto" mas, se os marcadores dão "positivo", tem que fazer análise ao gânglio sentinela (que custa dinheiro) e a coisa pode tornar-se feia muito rapidamente.
Anda ontem estive a falar com a Paula e o irmão, apesar de ser acompanhado, apareceu-lhe um sinal preto nas costas que tirou. Estava tudo bem e, ao fim de pouco mais de 3 anos, estava debaixo da terra.

A única forma de combater o melanoma.
É a excisão. Por isso, todos nós que temos sinais pretos (eu não tenho nenhum :-), devemos tira-los o mais rapidamente possível mesmo que o médico de família diga "isto não é nada".
Tirar por, se não for nada e o tirarmos, tudo bem. Se ficar lá e for melanoma, mata-nos rapidamente.
A ucranianazinha viu há uns 7 ou 8 anos atrás que lhe apareceu um sinalzinho preto muito pequenino que foi crescendo, crescendo. Ainda foi, há 6 anos atrás, a um médico ucraniano que lhe disse "se fosse, já tinha morrido".
Agora, 6 anos depois, a coisa está preta e dia 28 de Junho vai voltar à terra desse médico.
O médico está à espera que ela lá chegue morta para dizer "é, é."

As eleições para a Câmara do Porto.
O candidato do PSD é meu colega de trabalho.
Eu tenho dúvidas porque não é muito comunicativo, não é simpático e tem medo do contacto com as pessoas. 
Para fazerem uma avaliação da sua personalidade, somos mais ou menos da minha idade, trabalhamos juntos há 25 anos, sou do grupo dele (de Economia), e nunca falou comigo.
Passa, diz bom dia ou boa tarde e continua o seu caminho.
Nem nunca em apertou a mão.
E no meu emprego somos pouco mais de 100 profs e acontece desde muito antes de eu ter sido classificado como o professor mais odiado da Europa.

Mas eu nunca votaria Rui Moreira e muito menos Pizarro.
Defendo que devem aparecer a votação diversas soluções para os mesmos problemas. Que mesmo que PP, PS e PSD pensem o mesmo, devem procurar diferenças para que os eleitores possa ter por onde escolher.
Por isso, a ideia do Rui Moreira de não ter convicções políticas e de meter no mesmo saco 3 gatos sempre me pareceu antidemocrático.
E o Pizarro, primeiro derrotado autárquico do PS a ser cabeça de lista nas eleições seguintes, parece só querer tacho.
Não gosto nem de um nem do outro.

E o Trump ter demitido o do FBI?
O Trump foi eleito pelo voto do povo americano.
O director do FBI não foi eleito, é um funcionário.
Não pode haver um funcionário continuamente a colocar em causa a legitimidade dos eleitos.
Se é assim tão bom, que se candidate a presidente dos EUA.
Se o Trump não gosta dele, tem toda a legitimidade de o mandar embora desde que respeitando a lei.



3 comentários:

Silva disse...


Caro PCV

O mais importante do Brexit é que a CE deixa de ser financiada pelo segundo maior contribuinte líquido.

A pressão financeira irá aumentar o que levará a várias "cernelhadas" pelos países europeus.

Cityhunter disse...

Caro professor,

Tem ido às aulas de judo? Já começou a aprender as técnicas de shime-waza?
Um estrangulamento se feito com técnica adequada não magoa. Um pequeno corte de fluxo sanguíneo é o suficiente para colocar um adversário inconsciente principalmente quando não tiver os músculos do pescoço bem trabalhado. Para um judoca bem treinado bastam uns escassos 2 segundos. Sem treino, meio segundo. Ambos os casos podem ser acordados instantâneamente.
Agora o GNR devia ou não ser castigado, só após averiguações adequadas. Qualquer agente coloca-se sempre em situações ingratas. Se eles são tão desnecessários, acabava já com a PSP e a GNR, e ajudava a reduzir o défice e evitava mais situações semelhantes.

Helena Tomé disse...

Obrigada pela informação. Possivelmente o que o Reino Unido recebe da UE é mais importante do que pensamos (pensamos que estão a perder dinheiro e oportunidades de negócio). Não passa pelas cabeças que os ingleses que vivem fora do seu país (afinal não é bem UK...) sejam mal tratados quando sairem da UE... provavelmente muitos terão impostos a pagar e mais algumas outras coisas.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code