segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Qual a vantagem de a Catalunha ser independente?

No dia 1 de Outubro tivemos as Autárquicas. 

Os bota abaixo da direita (Ferreira Leite, Marques Mendes, Pacheco Pereira) falaram de um terramoto eleitoral para o Passos Coelho mas, de facto, a "direita", PSD + CDS teve apenas uma pequena derrota. 
Se em 2013 teve 111 presidentes da câmara, teve agora 109.
Se em 2013 teve 35% dos votos, teve agora 34% dos votos.
Não foi bom mas não se pode chamar um terramoto.

O PCP é que está a caminho de desaparecer.
Inteligência é aprender com os erros dos outros pelo que o Jerónimo de Sousa e mais quem o segura lá não são inteligentes pois não observaram o que aconteceu ao PC francês quando se meteram a apoiar um governo socialista.
O PCP vivia da promessa da construção da utopia, da sociedade igualitária, da democracia directa e, ao meter-se a apoiar um governo, acaba com esse sonho.
Se o Jerónimo quer garantir a sobrevivência do PCP só tem um caminho.

Primeira fase) Meter como condição para viabilizar o Orçamento de 2018 a reversão do Código do Trabalho para repor as conquistas de Abril e a "renegociação da dívida". O PS vai dizer que não e o PC manda a geringonça abaixo.
Claro que vão dizer que, havendo agora eleições legislativas o PCP vai levar uma tareia mas quanto mais esperar, pior será. então, passamos à

Segunda fase) Dizendo que "O PS é tão de direita como o PSD + CDS e esteve este tempo todo a enganar-nos" e que "O país não aguenta agora novas eleições", tentam ganhar tempo dizendo que "Vamos viabilizar a reposição do governo PSD+CDS durante 2 anos."

Bem sei que isto não vai acontecer.
Porque se viesse a acontecer, nunca o PCP teria viabilizado a geringonça, como eu em muitos posts disse ao Camarada Jerónimo. 

A Cristas herdou o pensamento do Cunhal.
A ideia do CDS avançar em Lisboa foi um erro.
Nunca jamais um candidato do PSD ou CDS, fosse ele quem fosse, mesmo que fosse o Marcelo, o Rui Rio ou a Ferreira Leite, ganharia. Por isso, a Cristas avançar foi um terrivel erro.
Desse erro resultou uma vitória do PS.
Vir chamar a isso vitória, faz mesmo recordar a escola do Alvaro Cunhal em que encontrava sempre algo para poder anunciar "O Partido Comunista Português teve uma estrondosa vitória"


Também houve o "referendo" na Catalunha.
Não vou discutir se houve ou não houve, se a maioria quer ou não quer a independência.
O que vou discutir é o que a Catalunha (o Algarve ou o Minho) tem a ganhar em ser independente.
Será que vai fazer legislação criminal ou cívil diferente da que existe?
Será que as regras das reformas e aposentações vão ser diferentes?
Será que vai poder gastar quanto quer e deixar de pagar a dívida pública?
Será que vai deixar de ser solidária com as regiões mais pobres da UE?
Será que vai emitir passaportes e cartões de cidadão mais bonitos?
Será que vai fechar as fronteiras com Espanha para não entrarem "emigrantes" nem mercadorias da UE?
Será que vai ter Banco Central e moeda própria?
Será que vai ter embaixadas e consulados?
Será que vai ter 2 lugares na Liga dos Campeões?
Será que vai comprar água e electricidade a Espanha? E a que preço?

Não percebo que ganhos pode ter uma pequena região dentro da Zona Euro de se dizer independente.

Mas é bom para Portugal.
Qualquer confusão em destinos turísticos nossos concorrentes é uma boa notícia para o nosso turismo.
A confusão na Tunísia foi uma maravilha, no Egipto, uma bênção de Deus, na Turquia um presente do Arcanjo Gabriel e, agora, confusão na Catalunha, será a cereja no cimo do bolo.


7 comentários:

Anónimo disse...

A União faz a força. A cristandade medieval europeia foi forte enquanto esteve unida por um cimento ideal feito de religião, filosofia e ciência. O mundo novo europeu, seja qual for, será feito de convergências e não de afastamentos absurdos como o da Catalunha. Juntos, somos poucos para enfrentar o perigo amarelo que já vem mostrando umas garras bem afiadas! Os americanos e russos também são bem-vindos!

Carlos Neves disse...

Independentemente do que gostamos penso que a tendência das próximas décadas para a organização dos estados europeus será a da divisão, como disso é exemplo a Catalunha, mas dentro duma União Europeia.
Acho que terá a vantagem de criar uma maior representação dos cidadãos que aquela que os governos nacionais têm conseguido, frustrando assim algumas intenções totalitárias pelo maior numero de participantes no processo Europeu.

Económico-Financeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Económico-Financeiro disse...

Estimado Carlos Neves,
Como a NATO faz com que cada um de nós se sinta seguro face às ameaças internacionais, agora são as regiões a declarar a independencia.
Depois serão os distritos, os concelhos e, finalmente, as freguesias a declarar a independencia.
Esta dissolução dos países não é mais que a "bairrização" que assistimos no Libano, na Líbia ou na Síria, em que numa mesma cidade, existem bairros Sunitas, Shiitas e Cristãos que são totalmente independentes.
Não sei se é possível que a construção da Europa como um supra-estado seja o resultado deste processo independentista dos municipios.

TEremos uma UE não com 28 países mas com milhares de municipios em que a UE será controlada a dois níveis. Teremos o Parlamento Europeu por eleição directa (que viabilizará a Comissão) e por um Senado com milhares de membros, um por município, que elegerá o "Presidente".
Um abraço

Silva disse...


Caro PCV

Os resultados das autárquicas eram mais ou menos previsíveis e até esperados.

A quebra acentuda do PCP, presumo que seja devido ao falecimento dos seus apoiantes idosos.

Tive curiosidade sobre os resultados eleitorais do concelho de Pedrógão Grande.

Positivo também, a saída de PPC, pois não fez nenhuma reforma estrutural enquanto foi PM.

Como reforma estrutural, só mesmo a extinção administrativa de todas as Juntas de Freguesia a nível nacional.

-------------------------------------------------------------------------------------------

Catalunha

Não vale a pena entrar em conversa da treta, ambas as situações (actual e independência) têm custos e benefícios.

Em relação à moeda, é preferível não emitir uma moeda própria, e mesmo deixando a CE e a zona Euro é melhor deixar como moeda o Euro, ou melhor ainda, deixando entrar também outras moedas nomeadamente dólares norte-americanos.

É a melhor maneira de pressionar futuros governos catalães de evitar défices, pois se houver má gestão do governo, o dinheiro tenderá a sair e se houver boa gestão o dinheiro tenderá a permanecer e até a entrar.

Portugal e Grécia também não deverão sair da zona Euro, mas é muito possível, senão mesmo provável que os euros tendam a sair das suas fronteiras.

mensagensnanett disse...

O nazi Rajoy não suporta a existência de outros.
.
É A LUTA PELA LIBERDADE QUE ESTÁ EM CAUSA: é preciso dizer não aos hitlerianos que não suportam a existência de outros; leia-se: separatismo-50-50.
.
Explicando melhor:
---»»» Todos Diferentes, Todos Iguais... ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» inclusive as de rendimento demográfico mais baixo, inclusive as economicamente menos rentáveis.
-» Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
-» blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
.
.
Nota 1: Os Separatistas-50-50 não são fundamentalistas: leia-se, para os separatistas-50-50 devem ser considerados nativos todas as pessoas que valorizam mais a sua condição 'nativo', do que a sua condição 'globalization-lover'.
.
Nota 2: É preciso dizer NÃO à democracia-hitleriana; isto é, ou seja, é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros.
[obs: nazi não é ser alto e louro, blá, blá... mas sim, a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros]
.
.
NACIONALISTAS EUROPEUS: Retirem as palas de burro que têm enfiadas na cabeça!
Leia-se: reconheçam que o problema é global: QUALQUER POVO AUTÓCTONE do planeta que queira ter o SEU espaço no planeta, que queira sobreviver pacatamente no planeta, que queira prosperar ao SEU RITMO... corre sérios riscos de levar com um genocídio em cima!
Um exemplo: em pleno século XXI tribos da Amazónia têm estado a ser massacradas por madeireiros, garimpeiros, fazendeiros com o intuito de lhes roubarem as terras... muitas das quais para serem vendidas posteriormente a multinacionais (uma obs: é imenso o património no Brasil que tem estado a ser vendido à alta finança).
.
.
É NECESSÁRIO MOBILIZAR RESISTENTES AUTÓCTONES DO PLANETA PARA O SEPARATISMO!
(manifesto em divulgação, ajuda a divulgar - é necessário um activismo global)
.
.
UM PROBLEMA GLOBAL -» mercenários (ao serviço da alta finança), aspirantes (a donos-disto-tudo) e penduras (lambe-botas) estão impregnados de hitlerianismo: não suportam a existência de outros!
.
.
Os MERCENÁRIOS ao serviço da alta finança (capital global) trabalham para a eliminação de fronteiras: a alta finança ambiciona terraplanar as Identidades, dividir/dissolver as Nações para reinar...
.
Os mercenários gostam de evocar (como se tal fosse o único valor existente no planeta) que o SEPARATISMO vai provocar problemas económicos.
Na sua cegueira anti-Trump (tocou no tema-tabu -» fronteiras), os mercenários chegaram ao ponto de andar a evocar a imigração para a América... quer dizer, ao mesmo tempo que eles andam por aí a acusar povos de deixarem 'pegada ecológica' no planeta, em simultâneo, os mercenários revelam um COMPLETO DESPREZO pelo holocausto massivo cometido sobre povos nativos na América do Norte, na América do Sul, na Austrália, que (apesar de serem economicamente pouco rentáveis) tiveram o «desplante»... de quererem ter o seu espaço no planeta, de quererem sobreviver pacatamente no planeta, de quererem prosperar ao seu ritmo.
.
.
ASPIRANTES: pessoal dotado de uma elevada taxa demográfica... ambiciona/aspira ser dono-disto-tudo.
.
.
PENDURAS: na Europa existem muitas comunidades nativas penduras -» não trabalham para a sustentabilidade da sociedade (média de 2.1 filhos por mulher)... penduram-se na boa produção demográfica de outros!
[e mais, os penduras ao mesmo tempo que são contra a repressão dos Direitos das mulheres, em simultâneo, são uns lambe-botas da boa produção demográfica daqueles que tratam as mulheres como 'úteros ambulantes' - exemplo: islâmicos]
{Os penduras são uns lambe-botas dos aspirantes a donos-disto-tudo e da alta finança}


Anónimo disse...

Atualmente, o rei de Espanha não manda nada. Porém , dado que o presidente Trump não está interessado numa independência catalã, podem os comentadores deste blog explanar teorias sublimes sobre democracia, autodeterminações e independências que, sem o acordo do Trump, a Catalunha vai acabar por ficar quietinha no seu cantinho espanhol. A Califórnia, ou o Texas, deixaram de ser espanhóis porque os Estados Unidos assim quiseram. Portugal tornou-se independente em 1640, contra a vontade do rei de Espanha e Portugal, porque havia grandes potências, lá pelo centro e norte da Europa, nomeadamente a Inglaterra, a quem interessava muito enfraquecer o poder de Espanha, fazendo-lhe uma guerra à porta, em que, curiosamente, só morreram milhares de portugueses e espanhóis!
Na Idade Média, quem reconhecia o direito à independência era o Papa. Nos nossos dias, basta o Trump querer para que os mirandeses e os barranquenhos, tal como Iraque, a Guiné-Bissau, ou Timor-Leste, se vejam livres, em menos de uma semana, da opressão das potências antidemocráticas e colonialistas.
Viva a República!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code