quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Hoje vou falar do problema da dor crónica

OK, todos nós já estivemos doentes.
Eu já estive doente, já estive muito doente, já familiares meus diretos estiveram doentes e mesmo morreram e, no entanto, fui sempre trabalhar. Mesmo naquelas noite em que não preguei olho porque a minha mãe não parou de gritar, às 7h30 da manhã meti-me no meu carrinho e fui dar a minha aulinha por "respeito aos meus alunos".
Um do problema mais graves da vida, muito mais que a falta de dinheiro ou de mulher (parece-me que as duas coisas estão intimamente ligadas!) é a dor crónica que é capaz não só de destruir o corpo (causa pressão elevada e contração do vasos sanguíneos) como levar a pessoa ao desespero mental.
Em tempos, quando gritava toda a noite, a minha mãe sofria muito, queria que eu a matasse, mas, depois, foi a um médico anestesiologista que lhe receitou "uns farrapinhos" (como a minha mãe lhes chama) que, colados nas costas, acabam com a dor.
a minha mãe tomava tramadol ma causava-lhe muito vómitos.

Pareceu um milagre. 
Eu não dava nada por aquilo mas colei na mesma 1/16 e esperei. Ao fim de um dia, a dor reduziu a quase nada e, ao segundo dia, dormiu descansada. 
Depois fui investigar.
Esses farrapinho têm um químico, buprenorphine, que se liberta lentamente ao longo do tempo, um emplastro liberta 35 micrograma por hora mas, no caso a minha mãe, 1/16 de um farrapinho foi capaz de acabar com aquela dores terríveis. 
As instruções foram, primeiro colar 1/16 e, a cada 24 horas, se a dor persistir, colar mais 1/16 até a dor acabar. Será essa a dose indicada para controlar a dor.

Mas o que é a buprenorphine?
É uma molécula sintética da classe do opioides que foi sintetizada pela primeira vez em 1969 e que, depois de ano e anos de testes de eficácia e segurança, deu origem há apenas meia dúzia de anos a este farrapinhos.
É da classe do opioides porque bloqueia uns recetores de dor específicos que temos no cérebro mas é muito mais potente e seguro que a morfina.
A segurança do analgésico vem a possibilidade de ocorrência de paragem respiratória e, neste ponto, a buprenorphine é muito segura. 

Vamos agora à ucranianasinha.
 Sofre de endometriose, o que lhe causa grande sofrimento em cada 20 dias do ciclo menstrual.
A endometriose afeta muitas mulheres e destrói a sua qualidade de vida porque ninguém consegue funcionar com tamanha dor.
Qual a solução que indicam à mulheres? 
Uns comprimidinhos de paracetamol (que na Ucrânia se chama  ацетамінофен - acetaminofeno)

Ma agora está a experimentar Trantec.
Um farrapo tem 20 miligramas de buprenorphine e é ativo durante muito tempo mas, porque se trata de um problema de difusão, a quantidade disponível no corpo aumenta até ao quarto dia e, depois,  começa a diminuir.
Estudando a semi-vida do buprenorphine dentro do corpo humano (uma média de 37 dias), aplicando 1/8 de um penso de 35 microg/h antes 4 dias do início da menstruação (nessa altura já começa a sentir dores ligeiras), é exatamente no quarto dia que a quantidade dentro do corpo é maior, para uma pessoa com 48kg, atinge 3,6 microg/kg de buprenorphine (ver, Fig. 1).


Fig. 1 - Evolução da quantidade de buprenorphine no corpo com 1/8 de farrapinho (48 kg de peso)
 
Até ao quarto dia esteve tudo bem.
Ontem à meia noite telefonou-me (bem dizia o meu amigo cego que hoje, sem telemóvel, não se pode ter mulher) a dizer que tinha muitas dores, não tantas como era normal mas, mesmo assim, não conseguia dormir.
Disse-lhe "Cola mais 1/8"
- Mas isso vai criar habituação - disse a coitadinha mas, como as dores estavam a aumentar, lá colou mais um bocadinho.
"E toma um comprimido de naproxeno porque só vais sentir o efeito deste novo farrapinho pela manhã."
Como não quis tomar o naproxeno que teria efeito em alguns minutos, só adormeceu às 3h da manhã.
Hoje de manhã ainda sentia alguma dor mas por esta hora já está completamente sem dor.

 Fig. 2 - Evolução da quantidade de buprenorphine no corpo quando se acrescenta 1/8 de farrapinho e se mantém o outro que já lá está há 4 dias (48 kg de peso)
 
Mas não deveria ter retirado o farrapinho velho?
Diz na caixa que sim mas é apenas para que a quantidade dentro do corpo não varie tanto.Retirando, fica mais previsível além de que, com o tempo, o penso descola (meti um adesivo por cima) e causa coceira.

Penso que já sei a dosagem certa.
Com 3 microgramas/kg no corpo consegue controlar as dores iniciais mas precisa de 5 microgramas/kg  para controlar o primeiro dia. Então, se começar 4 dia antes com 1/8 e reforçar com 1/16 passados 3 dias, vai chegar ao primeiro dia de menstruação com 5 microgramas/kg, quantidade que se vai manter estável durante 4 dias e acima de 3 microgramas/kg até ao dia 10 do ciclo (15 do tratamento).
Penso ser suficiente mas no próximo mês vamos ver. Tudo isto é um processo de tentativa e erro

 Fig. 3 - Evolução da quantidade de buprenorphine no corpo quando se acrescenta 1/16 de farrapinho e se mantém o outro que já lá está há 3 dias (48 kg de peso)

É bom e barato.
Uma caixa com 10 farrapos custa 41€ sem comparticipação pelo que, usando 1/8 + 1/16, estamos a falar de qualquer coisa como 0,80€ por ciclo mentrual para destruir uma dor impossível de tolerar.
Com participação normal custa 28€ e, para doentes com necessidades especiais, fica por 4,10€ (é preciso invocar na receita a portaria não sei quê).
A coitadinha começava por tomar 1 Benuron a cada 8 horas mas nos dias piores tinha que tomar um a cada 3 horas o que dava qualquer coisa como 70 comprimidos por ciclo, 3,5 caixas de 20 comprimidos. era uma custo de 10€ o que, para uma pessoa que ganha 100€/mês, é muita coisa.

Porque será que não se usa mais Trantec?
É talvez por ser um medicamento novo para o qual os médicos e família ainda não estão avisados e talvez também pelo preconceito de ser um opioide.
Temos todos que lutar para que a dor saia da vida das pessoas e o Trasntec é um milagre moderno para uma enormidade de situações complicadas.

Espero com esta informação poder contribuir para que milhões de pessoa com dor vejam a sua vida melhorada.
A tecnologia não serve apenas para fazer carros ou aviões mas também para criar moléculas que acabem com a dor, sem qualquer preconceito.

Já agora.
Precisei, disse o meu médico, de meter uns diazinho de baixa.
O esquerditas defendem tanto o direito dos trabalhadores e um deles é exactamente este!


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

A vitória do Trump, as sondagens e a mulher

Tenho andado desaparecido como o Piloto. 
Veio o Orçamento de Estado para 2017, mais dívida pública, mesmo problemas no meu emprego onde sou terrivelmente perseguido e eu não disse nada por causa da mulher.
Sim, digo mulher e não mulheres em geral porque é uma em particular: a moça que veio da Ucrânia para me retirar da minha vida monótona. O problema é que ainda não sei se é um anjo que me vai levar para o Céu ou um demónio que me vai roubar a alma (e os euros) para depois grelhar o meu corpinho no fogo infernal.
Seja como for, fiquei a saber que uma mulher tem a capacidade para nos infernizar a vida, ocupar a nossa mente dia e noite, tirar-nos o sono, o apetite de comer, fazer as nossas pressão arterial e pulsação aumentar mas também ter momentos de grande alegria, mesmo euforia, e esquecer todos os outros problemas que antes nos afligiam.
Assim sendo, agora estou-me borrifando para o meu trabalho (costumava corrigir os testes de um dia para o outro e, agora, já lá vão mais de 15 dias e eu nada), para as coisas do governo e todas as pulhices que os meus colegas me fazem (ou tentam fazer pois o meu ordenado é certo ao fim do mês).
Estou noutra onda, desculpem, e por isso é que não tenho escrito nada.

Vamos vamos um bocadinho ao Trump.
Desde que este homem apareceu como candidato a candidato republicano, a maioria dos dias eu acreditei que iria ganhar. como mostrei num gráfico com sondagens, a tendência era sempre a subir mas com, no meio, uns acontecimentos catastróficos que o faziam perder de um dia para o outro toda a vantagem.
A sorte é que, dizem os especialistas sobre informação, quando um acontecimento negativo tem um impacto -100, um acontecimento semelhante a seguir só terá um impacto -50 e um terceiro apenas -25 porque, num processo de aprendizagem bayseano, os agentes vão passar a considerar esses acontecimentos como naturais. Digamos que o primeiro acontecimento revela já uma parte substancial da informação contida (novamente) no segundo acontecimento e por ai fora.
Só assim se compreende que existam homens casados com prostitutas. 
Não é que haja alguém que, perguntado em pequenino, "O que queres ser quando fores grande" diga "Casado com uma prostituta" mas, a informação revelada uma após a outra faz com que o homem se vá adaptando à situação até que a passa a achar natural.

Fig . 1 - "That man (Trump) is not fit to be the next president of USA" disse repetidamente o Obama.
O problema é que os USA não são um desses países de África onde o presidente seguinte é escolhido pelo presidente em exercício. Nos USA existem mesmo eleições onde os americanos são quem tem a última palavra sobre quem é fit e quem não o é. 
Afinal, o Obama não foi capaz de transformar a democracia americana numa democracia avançada como a de Angola.


Vejamos esta história verdadeira.
Certo dia muito frio, no trabalho, alguém disse "Oh amigo João! gostavas de fazer amor a três?"
 - Bem, nunca experimentei mas não me importava de experimentar
 - Ai sim? Então, vai a correr para casa que pode ser que ainda encontres lá o outro com a tua mulher!
O João foi a correr, entrou em casa de rompante, dirigiu-se ao quarto que estava escuro. Como a luz estava fundida, abriu a janela e, depois, as portadas de madeira já muito corroída pelo tempo. Aquilo, para bem dizer, era mais uma construção abarracada que uma casa. Depois, puxou a roupa da cama e apanhou em flagrante a mulher nua com um homem gordo também nu por baixo dela. O homem parecia um funcionário público, parado, a disfrutar.
- Ah minha puta e desgraçado de merda que vou-vos matar à porrada.
O homem gritou "Por favor, não me bata que eu sofro do coração" mas a mulher muito calmamente disse "João, antes de nos matares, tens que me ouvir."
- Fala então minha puta de merda.
- Esta nossa casa é fraquinha mas temos um bom carro, todos os agosto vamos passar 15 dias de férias ao Algarve e até já houve um ano em que fomos ao Brasil com tudo incluido, a água e a luz estão sempre pagas e nunca nos atrasamos no pagamento da renda. Agora faz contas, tu trases para casa 500€ por mês e eu estou desempregada ...
- Mulher, sabes que eu, porque te amo verdadeiramente, quero o melhor para ti. Por isso, vou fechar a janela que o Sr. ainda se pode constipar.

Mas as sondagens.
Ninguém controla as sondagens. Quando uma sondagem diz "Clinton tem 7 pontos de vantagem sobre Trump", ninguém pode verificar os dados, apenas fiar-se na credibilidade de quem emite o resultado.
Acontece que havia uma sondagem que dava sistematicamente o Trump à Frente, LA Times / USC Tracking, enquanto todas as outras o davam a perder por muitos.
Afinal, estavam quase todos errados ou queriam enganar o povinho.

Fig . 2 - Evolução da sondagem LA Times / USC Tracking que mostrava que Trump ia à frente. 
O escandalo dos e-mails da Clinton anulou o escandalo do Trump dizer que "um homem rico pode meter a mão no sapo das mulheres bonitas, aspirantes a ricas, que estas não só não se importam como estam ali de pernas abertas mesmo a pedi-lo".

O que hoje sei e que quase ninguém sabe.
Em tempos, há dezenas e dezenas de anos, tive uma relação amorosa durante anos e anos. É esta a vantagem de ter 51 anos, é quie tudo pode ter sido durante anos e anos e, ainda assim, há décadas. Durante esse tempo todo, a minha senhora nunca teve um .... Naturalmente, isso com o passar dos anos foi-me causando dano psicológico e penso ser uma coisa que causa dano a todos os homens (e mesmo às mulheres).
O que hoje sei é que todos os .... das mulheres são falsos, que elas não conseguem atingir o .... que não seja de forma digital ou com a ajuda de instrumentos mecânicos. E que, por terem vergonha de o dizer abertamente e de o fazer em "público", nunca o chegam a ter em presença da pessoa amada.
Por isso, mulheres e homens por esse mundo fora, é natural as mulheres não terem .... durante a ...., sendo que são muito mais sofisticadas que os homens porque, enquanto que as mulheres já estão na era digital, nós nos mantemos teimosamente na era manual.

Um abraço para todos
Principalmente para todos aqueles republicanos que fizeram uma guerra sem quartel ao Trump.
Afinal, o Trump não fez uma fortuna de milhares de milhões de euros a ver passar falhados e a deixar que outros metam a mão onde ele pode meter a dele. Se não fosse assim, de que serviria ser rico?
Penso que, agora, as aspirações do Paul Ryan (o das orelhas para fora) vir a ser alguma vez presidente americano se reduziram a zero.

Fig. 3 - Ao saber da vitória do Trump, o Paul Ryan até chorou "Apostei tudo o que tinha e não tinha e, no final, optei pelo cavalo errado. O que mais me doi é que fui eu próprio que me fodi."


Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code