domingo, 7 de agosto de 2016

Já tenho uma ideia para o Hotel da Escarpa da Serra do Pilar

Dizer que está errado é muito mais fácil do que dizer como se faz bem. 

E foi a parte mais fácil que fiz quando disse que o projecto da Douro Azul para um hotel na Escarpa da Serra de Pilar, ESP, é um mamarracho.
Mas, no entretanto estive a pensar nas palavras simpáticas do Mário Ferreira (que, interessante, não disse uma única palavra abonatória relativamente ao projecto do mamarracho!) e fiquei com remorsos de não lhe ter dito nada sobre como o hotel poderia ser imaginado.

Sendo que não é parolo ...
Pensei eu, então está aberto a soluções visuais nunca vistas, capazes de, daqui a 500 anos, haver uma lei a proibir que mexam nesse edifício.
Pensei toda a noite e hoje surgiu-me uma ideia: o hotel tem que se inspirar nos vinhos, tem que ter pipas, toneis e garrafas. Então, comecei a imaginar o hotel como um amontoado de pipas e toneis como se vê nas fachadas das caves do Vinho do Porto.

Fig. 1 - A fachada terá filas de pipas com 4,0 m de diâmetro.

A escarpa tem 400 m de comprimento por 65 m de largura.
Isto dá uma área total de 26000m2.
Para termos uma comparação, a ribeira do lado do Porto (o triângulo entre a R. Infante D. Henriques, a escarpa do Túnel da Ribeira e o Rio) tem 30000m2.

Fig. 2 - A ESP é uma área importante da Ribeira e que só está à espera de bons projectos de arquitectura
 
Por isso, a ESP é um diamante em bruto que está ali perdido à espera de ser lapidado.
Mas não pode ser à moda de S. João da Madeira e de Guimarães (i.e., com caixas de sapatos) mas antes à moda de Gaia, com coisas do vinho e do Douro.

Fig. 3 - As filas de pipas seria interrompidas, aqui e ali por toneis com 20 metros de altura.

Já estou então a imaginar a fachada.
Pipas amontoadas, com quebras de regularidade, aqui e ali e misturadas com toneis mais altos, tipo torres de um castelo, e mais baixos.
Nas pipas e toneis, janelas abertas como escotilhas num navio.
E, por falar em navios, também metia uns barcos rabelos misturados com as pipas e umas garrafas gigantes, transparentes que seriam jardins suspensos, tudo desconstruido e meio tosco.

Fig. 4 - Tudo como as bailarinas Paula Rego

 O importante é termos imaginação.

Imagination is more important than knowledge. For knowledge is limited to all we now know and understand, while imagination embraces the entire world, and all there ever will be to know and understand. 

Albert Einstein

0 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code