segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Tanto Estado e, afinal, o povo tem que se desenrascar?

Já não sei se esta geringonça é de direita ou da esquerda. 

Os de Direita, dizem que o Estado não pode tomar conta das pessoas. Como diz (ou pensa) o Trump, cada um que se aguente como puder, se está doente e não pode pagar por não trabalhar nem se esforçar, que morra longe para não pegar a peçonha.
Mas em Portugal, contra o neo-liberalismo, apareceu a geringonça a dizer que o Estado, com mais e mias impostos, vai resolver todos os problemas de toda a gente.
Não é agora que.em, face do falhanço do Estado nos incêndios, vem a ministra d administração interna dizer que "as populações têm que se tornar resilientes às catástrofes?"
Então para que são os nossos impostos? Para meter nas contas da Suíça do Carlos Santos Silva?

O Obamacare e a procura de trabalho.
O Estado Americano pode bem pagar a assistência médica aos pobrezinhos e desempregados mas a questão não é essa.
É que quem tem emprego, tem seguro de família e a falta de assistência médica para os pobrezinhos desempregados é apenas uma pressão para que procurem emprego.
Bem sei que os esquerdistas gostam muito de anunciar o "estado social" mas estão todos contentes por o pagamento do Subsídio de Desemprego estar a diminuir.
Porque será que o subsídio de Desemprego não é pago aos desempregados de longa duração?
Por é que a geringonça não estende o prazo do subsídio de desemprego?
Porque, se o aumentar, o povinho não procura emprego.

O assédio sexual.
É por todos sabido que, em igualdade de competência, as mulheres bonitas têm mais sucesso que as feias.
Naturalmente, têm mais sucesso porque se insinuam junto dos homens.

Faz-me lembrar uma adivinha.
Qual a diferença entre uma puta e uma esposa?
A esposa tem contrato sem termo.

Mas vamos ao Weinstein.
A sexualidade é uma vulnerabilidade dos homens e uma arma das mulheres.
Interessante que, quando subiram depois de se deitarem, nenhuma dessas mulheres disse que as prejudicadas foram as que não se deitaram e que elas passaram à frente.
Nenhuma disse "Eu consegui este papel no filme passando à frente centenas de pessoas melhores do que eu porque sou uma puta e descobri que o Weinstein é um fraco."
Porque é que essas mulheres não se puseram ao fresco?
Porque queriam o dinheiro e aquilo não se rompe.
Atacaram o coitadinho como antes atacaram o Dominique Strauss-Kahn ou o Carlos Cruz.
Nós homens temos que ouvir essas acusações com muita reserva e não embarcar na caça às bruxas porque essas mulheres não passam de umas putas.

O que terá a sexualidade de tão especial?
Nós vivemos num mundo perigoso.
A sexualidade é uma coisa como outra qualquer.
Um homem (ou uma mulher) sentir-se sexualmente atraído por uma mulher (ou por um homem), são coisas totalmente naturais e, se uma mulher se mete debaixo de um homem para subir na vida, isso é o pão nosso de cada dia.
O Weinstein tinha um negócio privado, onde metia os atores que bem quisesse e, se os filmes não prestassem, era ele que tinha prejuízo.
Se a fama dele era que se mandava às atrizes, que fossem para outros filmes, de outros gajos.

Imaginem os filmes pornográficos.
Não acham natural que, chegando lá uma atriz para fazer o casting, tenha que tirar a roupa fora e fazer uma cena adequada ao filme?
Se o produtor se meter em cima dela, será apenas para ver se a coisa enrola ou desenrola.
Vir depois a atriz dizer "Quero um milhão de euros porque fui engana. Como o filme se chamava "Mulher com boca divina", pensei que era para ler a Bíblia".

As férias.
Um casal de classe média/baixa estava na brincadeira e a mulher disse:
- Sabes amor, há tantos anos que não vamos comer a um restaurantes, já não tiramos férias há mais de 10 anos, gostava tanto de ir a algum sítio como a nossa vizinha!
- Mulher, realmente tens razão, também tenho andado a pensar nisso e penso que tenho a solução. A começar hoje, sempre que fizermos amor, meto uma nota de 5€ na gaveta e, quando chegar a Julho, vemos se o dinheiro dá para irmos a algum sítio.
Os meses foram passando e, chegado Julho, o homem lembrou-se que era tempo de ver o saldo da gaveta.
- Amor, é hoje que vou ver o dinheiro que temos para as férias, pelas minhas contas, se comermos sandes e fizermos campismo, dá para tirarmos 7 dias no Algarve.
- OK? Devemos ter dinheiro para passar um ano no Rio de Janeiro num hotel de 5 estrelas com tudo incluído. Abre lá a gaveta!
A gaveta lá tinha meia dúzia de notas de 5€ e muitas mais, dezenas, de 20€, 50€, 100€ e até tinha uma de 200€.
- Mas mulher, como é que tem aqui estas notas tão altas?
- É que nem todos são forretas como tu.

É como no meu judo.
Na minha primeira aula de judo eu achava que era forte, já tinha feito 3 anos de Kung Fu, tinha andado uns meses em Luta Urbana ...
Então, o Mestre mandou-me fazer um combatezito com uma mocinha que, na minha óptica, tinha um "bocadinho" de peso a mais o que, entre outros sítios, se traduzia numa mamas muito avantajadas.
O Mestre disse-me, e por isso é que ainda estou vivo, "quando não puderes respirar ou achares que o braço vai partir, bate com a mão para avisares a Mafalda".
Eu pensei "O Mestre está maluco, algum dia este moça me vai derrotar"
Começamos, ela no espaço de 5 segundos, manda-me ao chão e, quando dou conta, estou a asfixiar porque ela prendeu-me pelo cinto na posição Norte Sul (Kami Shio Gatame) e tinha metido as mamas em cima da minha cara tapando-me a boca e o nariz.
Eu bem tentei gritar mas não saiu nada.
Lá me lembrei de bater com a mão nas costas dela que parou. Senão fossem as palavras do Mestre ...

Mas vamos aos incêndios.
Naturalmente que os incêndios traduzem incompetência.
Quando ardem milhares e milhares de hectares, morrem dezenas e dezenas de pessoas e continua tudo na mesma.
Quando o presidente da liga dos bombeiros vem dizer que "a ciência não serve para nada no terreno, que venha quem vier, vai arder na mesma" e continua lá.
Se ninguém (que lá está) consegue fazer nada, naturalmente, seria tempo de dar lugar a outros.
E dar lugar à experimentação de novas metodologias de combate e controle dos fogos.

Os bombeiros fazer lembra os Vietcoms (uma arma dava para 10 combatentes) pois uma mangueira ocupa uns 10 bombeiros, todos a perder tempo, água e a exporem-se ao perigo de forma desnecessária e sem resultado

Vamos ao problema.
O incêndio tem uma Frente entre a área queimada e a área virgem.
A Frente tem chamas altas e a área queimada não tem chamas mas está em combustão lenta nas raízes e na madeira carbonizada, que vai durar horas a extinguir-se.
Quando os bombeiros atacam a frente, apagam apenas as chamas altas de forma que, se não ficar terreno livre entre a zona queimada e a zona virgem, passado um bocado, acontece um re - acendimento.
É um erro, é deitar água fora, tentar parar a progressão da Frente no meio do matagal porque vai tornar a arder.
Tem que se usar as estradas, caminhos, rios e outros locais sem vegetação para local de ataque à progressão da Frente.
Eu já fiz queimadas e isto parece-me elementar.
Não compreendo como milhares de bombeiros no terreno não compreendem isto, que estão a perder o seu tempo e a dar caminho livre aos incêndios.
Apagam e logo recomeça e volta a apagar e volta a recomeçar até que vem a chuva.

A Frente é muito quente.
Ninguém consegue fazer frente à Frente de fogo num dia de calor e vento.
Então, tem que se fazer um contra-fogo a começar no local onde existe a barreira sem vegetação.
Mete-se uma barreira com tecido que não arda e começa-se o contra-fogo à força toda.
E os meios, em vezes de tentarem apagar a Frente, ficam a controla a progressão do contra-fogo que é muito mais fácil de fazer que apanhar de frente com a Frente de fogo.
Isto, não é preciso tirar uma licenciatura em Proteção Civil para saber isto.
E não em venham dizer que é por causa das equivalências.

Isto vai cair nos mais desfavorecidos.
Quem é que vai apanhar com a fava do fogos florestais?
Os velhotes que têm um terrenito perdido no meio de nada.
Vão chumbar com taxas, impostos, multas e ainda com cadeia.

Sabem porque este fim de semana houve tantos incêndios?
E isto porque as Câmaras estão a mandar centenas de cartas a ameaçar "Ou limpam os terrenos ou apanham com uma multa que até lhes vão cair os dentes."
Os velhotes aproveitaram o anúncio de que viria um furação para queimar o mato.
E queimou mesmo, já estão limpos.

Qualquer dia!
Não estranhem se, qualquer dia, começarem a aparecer licenciados em Bombeiro com mestrado em Mangueirista e doutoramento em Ramos (a bater nas chamas).
Como dizia a minha mãe (Deus lhe dê muitos anos de vida) "Meu filho, arranja qualquer coisas no Estado que és tão malandro que não te safas em mais lado nenhum."
Bombeiro parece-me bom, meia dúzia de incêndio em que, se não fizer nada, será dito que nada poderia ser feito e, o resto do ano, a assobiar para o ar. E, depois, tem noites e horas extraordinárias.

A Mata de Leiria ardeu!
Então é culpa dos velhotes não limparem as matas ou é culpa do Diabo?
Como podem as mesmas pessoas que deixam as matas do Estado arder virem dizer o que os privados devem fazer para evitar os incêndios?

Dá para asfixiar

7 comentários:

Silva disse...


Caro PCV

3 grandes incêndios assolaram Portugal em 2017, pelo menos, até agora: o primeiro foi em Pedrógão, o segundo foi nas autárquicas e o terceiro foi ontem.

Muitos xuxas arderam e a pressão financeira irá continuar a aumentar.



"Porque será que o subsídio de Desemprego não é pago aos desempregados de longa duração?"
"Por é que a geringonça não estende o prazo do subsídio de desemprego?"

Se os descontos fossem abolidos nem sequer o caro PCV perderia tempo a pensar e a fazer essas duas perguntas. Seria um tremendo "corte de custos fixos" com forte impacto no "aumento da produtividade".

O mesmo no país, pois essa reforma estrutural (inovação) iria contribuir para o desmantelamento da quase totalidade do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, seus organismos e dependências.

Milhares senão milhões de cabritos e borregos são muito melhores do que qualquer bombeiro.



Anónimo disse...

Portanto se o meu caro tiver uma filha jeitosa, automaticamente ela se insinuará junto do sexo oposto e qualquer vantagem que obtenha na vida a isso será atribuível?
De um lado a vulnerabilidade, do outro a "arma" e tal, mas antes de tudo o cretino que acha que se alguem cedeu à vulnerabilidade só pode ter sido sob ameaça, culposa, da tal "arma"...
Pense la bem nessa parte, tanta coisa bem dita escusa de ser chamuscada por confundir originalidade com estupidez.
Cumps
Buiça

mensagensnanett disse...

Já chega!
Foram mestres/elite em economia que enfiaram ao contribuinte autoestradas 'olha lá vem um', estádios de futebol vazios, BPN, etc, etc, etc.
Leia-se: quem paga - vulgo contribuinte - não pode deixar de ter uma palavra a dizer!
---»»» Leia-se: O CONTRIBUINTE NÃO PODE PASSAR UM CHEQUE EM BRANCO A NENHUM POLÍTICO!!!
.
.
Democracia Semi-Directa!
-» Explicando melhor, em vez de ficar à espera que apareça um político/governo 'resolve tudo e mais alguma coisa'... o contribuinte deve, isso sim, é reivindicar que os políticos apresentem as suas mais variadas ideias de governação caso a caso, situação a situação, (e respectivas consequências)... de forma a que... o contribuinte/consumidor esteja dotado de um elevado poder negocial!!!
-» Dito de outra maneira: são necessários mais e melhores canais de transparência!
.
Exemplo:
Todos os gastos do Estado [despesas públicas superiores, por exemplo a 1 milhão (nota: para que o contribuinte não seja atafulhado com casos-bagatela -» a Democracia Directa tem precisamente este inconveniente!!!)], e que não sejam considerados de «Prioridade Absoluta» [nota: a definir...], devem estar disponíveis para ser vetados durante 96 horas pelos contribuintes na internet num "Portal dos Referendos"... aonde qualquer cidadão maior de idade poderá entrar e participar.
-» Para vetar [ou reactivar] um gasto do Estado deverão ser necessários 100 mil votos [ou múltiplos: 200 mil, 300 mil, etc] de contribuintes.
{ver blog « http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/ »}
.
.
.
Um caso:
- dinheiro mal gasto... podia ter sido utilizado na compra de maquinaria florestal... no sentido de serem criadas ZONAS DE SEGURANÇA... para que a população possa ficar em segurança face à eventualidade de ficar cercada por um incêndio.



Diogo disse...

PCV: «Quando o presidente da liga dos bombeiros vem dizer que "a ciência não serve para nada no terreno, que venha quem vier, vai arder na mesma" e continua lá. Se ninguém (que lá está) consegue fazer nada, naturalmente, seria tempo de dar lugar a outros. E dar lugar à experimentação de novas metodologias de combate e controle dos fogos.»


O meu amigo PCV ainda não conseguiu perceber que os fogos são ateados por uma organização criminosa de vastos recursos e dispositivos incendiários sofisticados. É impossível que quase 600 fogos sejam ateados num só dia por "descuido" ou "pirómanos isolados com problemas mentais".

Anónimo disse...

Ó meus anjinhos bloguistas,

Portugal foi chão que já deu uvas!
No tempo de D.João V, embora já nos estivéssemos a afundar, o gajo ainda foi estourar o ouro todo em mulheres, igrejas, conventos e mosteiros!
Atualmente, com uma dívida colossal às costas, é considerada muito boa política continuar a investir rios de dinheiro, que os nossos amigos lá de fora nos emprestam, na formação de doutores enfermeiros e doutores professores, a um ritmo superior ao das máquinas industriais que engolem carcaças de porco, à entrada, e despejam fiadas de salsichas, à saída.
Eu só vejo uma saída para a esquizofrenia das explicações dos especialistas em fogos florestais: implantar uma Federeção Ibérica com os nossos vizinhos espanhóis. A velha aliança com Inglaterra, que tanto tem contribuído para o desenvolvimento socioeconómico dos portugueses ao longo dos séculos, trouxe-nos três invasões francesas e uma participação desastrosa na Primeira Guerra Mundial, mas atualmente já nem serve para dar uma ajudinha a apagar incêndios no mato.
O presente e o futuro só fazem sentido para quem conhece o passado.

Dr. João Silva

Silva disse...


"O meu amigo PCV ainda não conseguiu perceber que os fogos são ateados por uma organização criminosa de vastos recursos e dispositivos incendiários sofisticados."

Caro Diogo

Isso é apenas uma tentativa de branqueamento. Quais são os tais "vastos recursos"? Quais são os dispositivos incendiários sofisticados? Quem é que engloba essa organização criminosa? Quem é que financia essa organização criminosa?

Isto não passa das consequências das medidas tomadas pelos governos desde o 25 de Abril, sendo a mais importante a existência do salário mínimo que aliado à legislação laboral e à existência de descontos, têm dificultado a criação de riqueza e a promovem a desertificação do interior do país.

Anónimo disse...

Tenho a certeza que nos próximos verões vão continuar as tragédias dos incêndios na mata portuguesa. Continuo a achar que só com repovoamento do interior (que ninguém quer) é possível haver interesse em mante-lo seguro e rentável. Todas as políticas dos últimos 40 anos foram no sentido inverso. Apenas excêntricos fartos da vida urbana rumaram ao interior. O Alentejo safa-se nesta tragédia porque tem outras características (semelhantes às da Grécia, e interior Sul Espanhol, por exemplo). Apenas a Califórnia e a Galiza se assemelham nessas características, sendo esta última um pouco mais fresca e húmida mas ainda assim bastante seca em condições meteorológicas extremas e prolongadas. A tendência é para piorar, o clima está a mudar. Abandonar totalmente o interior será uma realidade quando se perceber que os custos serão incomportáveis para o tornar menos propenso a fogos. O ensino obrigatório e o conceito de trabalho infantil empurra as pessoas para o litoral. O fogo, dá o último empurrão.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best Hostgator Coupon Code